"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Gangbang com a sogrinha


autor: Kate
publicado em: 18/09/17
categoria: grupal
leituras: 1989
ver notas
Fonte: maior > menor


Depois que eu tirei a virgindade do cuzinho da minha sogra, ela ficou bem mais ativa, tínhamos um diálogo muito aberto principalmente quando o assunto era sexo.

Infelizmente por falta de oportunidades não tivemos mais nossas transas enlouquecedoras, aliás tínhamos tempos curtos, mas eu sabia que se rolasse ela ia querer dar o cuzinho e em pouco tempo não seria uma coisa legal. Eu particularmente não gosto de ir direto e gozar logo, acho que um sexo gostoso tem que começar com boas preliminares. Mas eu mais que ninguém sabia dos desejos que se afloravam em seu corpo. Desejos esse, que seu namorado Lauro não fazia questão de suprir(sexo anal). Era um homem legal, não bonito, mas que Carla, minha sogra amava demais.

Meu namorado e o resto da família resolveram fazer uma surpresa para Carla, pois era seu aniversário. Eu ajudei em tudo, fiz uma linda ornamentação e a entreti para que não suspeitasse de nada. Dessa vez eu seria a única pessoa que daria o presente atrasado e mais diferente da vida dela. Isso foi em uma sexta-feira, assim que ela saiu do trabalho, pedi a ela que passasse em casa pra me buscar. Assim foi, e quando chegamos na casa dela a surpresa estava pronta e Carla amou tudo. No dia seguinte, falei com dez amigos meu, alguns dos homens mais experientes e bonitos da minha agenda telefônica, queria encontrar com eles, mas infelizmente só sete estavam disponíveis sem as esposas por perto.

Encontrei os sete num barzinho próximo da minha casa e lhes expliquei a situação, disse-lhes que eles seriam uma surpresa para minha sogra e teria que ser muito especial, meus amigos todos lindos, morenos e com idades entre 29 e 37 anos se encaixavam perfeitamente nos meus planos tramados há semanas. Então, combinamos de nos encontrar no dia seguinte e início da noite em um motel muito sofisticado da cidade. Ainda no sábado, liguei para Carla e a convidei para ir à igreja, isso no mesmo horário que marquei com os meninos. Na verdade não teria igreja coisa nenhuma e sim a melhor noite da vida dela.

No domingo a noite Carla já arrumada me liga e diz que tá passando em casa. Quando a vi na porta do meu quarto, lhe dei um beijo e quase desisto de entregá-la para aqueles machos famintos, ela estava tão linda e elegante, exalava um cheiro doce, e inocentemente depois do beijo disse:

-Kate, vamos logo, a missa está quase começando.

-Já vamos, calma! -Disse eu abotoando minha calça jeans

-Sabe?! O que você acha de ficarmos aqui e curti essa noite? -Disse Carla

-Minha sogrinha linda, lembra que estou te devendo um presente de aniversário? Pois é, vou te dar hoje, nós não vamos à igreja, vamos nos divertir.

Carla anciosa queria saber mais, mas só lhe disse o essencial. Confirmei com os safados lindos e avisei-os que já estávamos à caminho. No carro, vendei minha sogra e pedi que ela ficasse quietinha, desliguei nossos celulares e seguimos para o motel. Os meninos chegaram minutos antes e preparam uma linda recepção para Carla que estava muitíssimo curiosa e apreensiva. Chegando lá, conduzi Carlinha até à suíte e tirei sua venda:

-Oh meu Deus, Kate. Mas o que é isso?

-Esse é o seu presente!

-Eu vou ficar no carro te esperando, aproveita sogrinha!

-Não, não. Fica por favor! -Disse ela, ainda sem entender nada, meio nervosa, mas com um olhar safado.
Me aproximei e falei no seu ouvido:
-"Eles são muito discretos, eu conheço todos, e eles vão fazer com você tudo o que seu namorado não faz. Relaxa amor, curte esse momento, eu vou sentar aqui nessa poltrona. Agora vai, e mostra pra eles do que você é capaz". Beijei seus lábios e me afastei.

Carla até aquele momento era fiel ao seu companheiro, embora comigo tenha passado oito dias direto fazendo amor numa viagem a sós que fizemos. Eu não escondia meus desejos por ela, mas eu sabia que ela queria muito mais que um pênis de silicone no seu cuzinho. Afinal, ela merecia tudo aquilo. Os machos estavam um do lado do outro ao redor da cama cheia de pétalas de rosas vermelhas, lhe deram uma taça com vinho e logo um se aproximou e a puxou pra dançar a música suave que estava tocando. Vale ressaltar que os sete já estavam sem camisas e com os corpos úmidos de óleo. No embalo daquele ritmo convidativo os outros se aproximaram e cercaram Carla que já se sentia entregue àquele momento. Os sete começaram a deslizar suas mãos sobre o corpo ainda enxuto daquela coroa de 42 anos que exalava desejo de ser comida.

Arracaram-lhe o vestido, deixando-a só com sua lingering nude, Carla era muito atraente e aqueles machos estavam adorando aquele momento, todos disputavam os beijos dela e a deixavam sem fôlego as vezes, sua calcinha já estava encharcada e eles ali em pé ainda, começaram a tirar suas calças e colaram seus mastros para fora. Carla se ajoelhou e ficou rodeada por aquelas picas enormes, umas mais claras, outras mais escuras, mas eram todas muito grossas do jeito que ela gosta. Ela segurou um pau em cada mão e punhentava-os enquanto chupava outro, fez isso nos sete até sua traquéia começar a doer.

Carla foi carregada e colocada delicadamente na cama e foi despida pelas quatorze mãos famintas daqueles homens maravilhosos que a dedilhavam e a chupavam da cabeça aos pés de uma forma inigualável que homem nenhum tinha feito com ela. Carla gemia e se contorcia toda recebendo linguadas e leves palmadas na sua bucetinha, logo ela começou a gozar e foi segurada em cada perna por dois deles a deixando em formato de 'V' enquanto um outro bebia todo seu mel, outros tarados mamavam em seus seios e enfiavam o pau em sua boca. Minha sogra era a putinha mais satisfeita do mundo naquele momento, e ainda com as pernas bem abertas recebeu sua primeira estocada que a fez gritar de prazer e a enlouquecer cada vez mais, se é que fosse possível.

Em revertidas, todos metiam e tiravam o pau daquela buceta encharcada e vermelha. Até que Carla surpreendentemente diz que quer duas picas na sua xoxota e se deita com os peitos pra cima sobre um deles com as pernas abertas e uma pica enterrada na buceta, escolhe outro macho:
-Ei? Você negão, vem aqui! Mete teu pau aqui nessa buceta também. Quero as duas picas no meu grelinho me comendo.
Sem hesitar ele passou um pouco de saliva no pau e meteu na buceta de Carla lhe levando a mais um orgasmo depois de poucas socadas. A safadinha descansou e montou em cima de outro homem rebolando em seu mastro duro que nem um ferro enquanto os outros a beijavam, davam tapas em sua bunda e dedilhavam seu cuzinho que piscava pedindo pica.
-Eu quero um pau no meu cuzinho! -disse minha sogrinha muito excitada

Logo ela foi feita de cadela e recebeu uma pica no seu rabinho que estava muito empinado e cheio de tesão, ela estava adorando aquela dupla penetração e mexia gostoso naqueles cacetes enquanto abocanhava outros. Depois desse momento, se desgrudaram e puxaram Carla pra pontinha da cama, colocaram-a de quatro e formaram uma fila. O primeiro veio e carinhosamente pincelou a pica na buceta dela e forçou na entrada do seu cuzinho que depois de segundos já acomodava todo aquele cacete grosso, que entrava e saia sem piedade nenhuma e lhe ofereceu toda sua porra. Veio o segundo e meteu só de uma vez no seu cuzinho até gozar, o terceiro, o quarto e todo o resto fizeram a mesma coisa que Carla já havia perdido a conta de quantas vezes tinha gozado. Quase desfalecida de levar tanta porra no cuzinho, ela se joga debruçada na cama, estava com o cu ardendo, mas estava muito satisfeita. Todos estavam exaustos e jogados ao lado dela beijando sua boca e fazendo carinho em seus cabelos. Já eu, estava toda melada querendo fazer parte daquela orgia deliosa, mas me contive. Afinal de contas, era o presente da minha sogra e eu queria que ela desfrutasse sozinha, pelo menos aquela primeira vez.

Com a calça ensopada e querendo mais que tudo uma surra de pica, eu fui pro carro e marquei com meu namorado, eu precisava descontar aquele tesão todo. Carla e seus machos pauzudos se recomporam e saímos dali. Minha sogra me agradeceu tanto, e eu via seus olhos brilharem de tanta satisfação:
-Obrigada meu amor, foi o melhor presente de aniversário eu já ganhei. Eu não vou me importar nenhum pouquinho se você quiser me dar mais um presentinho desses e participar. Rs, rs

-Você é muito gostosa e safada Carla, claro que vou marcar com eles, ou quem sabe com mais homens pra nos foder bem gostoso.
Minha sogra estava no ápice daquela sensação boa e eu fiquei feliz em ter lhe proporcionado aquilo. Chegando em sua casa corri para o quarto do meu namorado e chupei seu pau até ficar duro o suficiente pra entrar na minha bucetinha encharcada por conta da cena maravilhosa que eu presenciei. Bernardo sem entender muito meu fogo, me fodeu ferozmente que eu gozei duas vezes seguidas e pedi mais que tudo que comesse meu cuzinho. Fui fodida de todas as maneiras lembrando de todos aqueles machos fodendo Carla. Aqueles pensamentos me deixavam cada vez mais excitada e me proporcionava mais gozadas gostosas. Foi uma noite de domingo perfeita, que eu ainda esperava repetir, só que da próxima vez eu participaria. Quem sabe com alguns dos meus leitores... haha. Eu e minha sogrinha iríamos adorar.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.