"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Elisa - mamou gostoso, queria mais


autor: kasa
publicado em: 21/09/17
categoria: hetero
leituras: 1265
ver notas
Fonte: maior > menor



Elisa – mamou gostoso, mas queria mais! (Conto Real)

Na sexta feira, conforme combinado, nos encontramos antes de irmos a um coquetel de lançamento de um livro, que aconteceu com a presença do autor, novamente na livraria Saraiva no shopping da cidade. Resolvemos que iríamos no carro dela e que eu iria dirigindo, assim que saímos rumo ao shopping ela pegou no meu pau e alisando por cima da calça disse:

Ela – querido, quero mamar você agora!

Eu – quer mamar delicia, fique a vontade

Elisa, então começou abrir minha calça, sendo que acabei de abrir e a desci até a altura dos joelhos ao mesmo tempo em que mudei o trajeto para ruas mais sossegadas e sem muito movimento, e assim continuei dirigindo, ela imediatamente começou aquele boquete delicioso, que ela fazia tão bem, mamou, chupou, pegou nas bolas, colocou dentro da boca dela uma de cada vez e continuou chupando beijando com carinho a cabeça de meu pau, depois as bolas, primeiro uma depois a outra, passava a língua bem embaixo do meu saco e enquanto isso ficava me punhetando de leve, muitas vezes engolia o pau inteiro com tamanha fome e tesão e depois voltava a beijar com calma e carinho, me deixando cada vez mais com tesão e vontade de gozar, ao mesmo tempo eu corria minha mão pela sua bunda e pernas dela levantando seu vestido, dava-lhe uns tapas na bunda e em outras vezes além dela engolir com fome por inteiro meu pau eu ainda forçava e segurava sua cabeça bem firme com o pau totalmente enfiado em sua boca fazendo com que ela engasgasse todas as vezes que fiz isso, em determinado momento ela disse:

Ela – quero que goze bem gostoso na minha boca

Eu – quer que eu goze vadia?

Ela – sim, quero tomar leitinho

Depois que a chamei de vadia, ela enlouqueceu ainda mais de tesão, me chupava loucamente, beijava e sugava novamente, eu com isso, mal conseguindo dirigir, ela chupando e engolindo meu pau por inteiro, eu já não conseguindo me controlar, gozei, gozei muito, bem dentro daquela boquinha deliciosa e quentinha que enchi de porra, porra que foi todinha engolida por ela e que continuou sugando e se deliciando com isso até as últimas gotinhas, ela saboreava cada gotinha que conseguia e eu morrendo de tesão com um boquete maravilhoso que acabara de receber.

Quando tudo terminou, voltei para o caminho do shopping e fomos para o coquetel. Chegando lá, ela entrou primeiro e eu logo na sequencia; entramos separados, pois ninguém sabia de nossa relação; lá dentro nos encontramos, nos cumprimentamos simplesmente como colegas, conversamos com diversas pessoas, depois quando o coquetel já estava praticamente acabando, ficamos olhando para o outro e eu lhe disse:

Eu – vamos sair daqui?

Ela – vamos! Não agüento mais, quero você

Com uma carinha bem safadinha ela pegou na minha mão e saímos. Quando saímos, estávamos no estacionamento a caminho do carro, decidimos ir para o escritório dela, estávamos com um enorme tesão e totalmente excitados. No caminho, Elisa alisando meu pau por cima das calças ficava só dizendo:

Ela: quero ele dentro de mim inteirinho

Eu: vai ter minha vadia, vai receber meu cacete inteirinho nessa bucetinha

Elisa ficava mais louca a cada vez que eu a chamava de vadia ou de putinha. Assim que chegamos no escritório falei:

Eu: chegamos putinha, agora vou te comer gostoso,

Ela: que delícia!

Entramos no escuro e fomos direto para a cozinha, tomando o cuidado de deixarmos todas as luzes apagadas no caminho para não chamar atenção de quem passasse na rua. De imediato começamos a nos beijar e logo tirei o vestido dela deixando-a só de calcinha, uma mini tanguinha branca que também a tirei na sequencia, deixei Elisa vestindo só um par de sandálias de salto. Ela por sua vez começou a tirar minha camisa abrindo um botão de cada vez vagarosamente estávamos curtindo cada segundo, assim que tirou a camisa ela começou a abrir e a tirar minha calça, fiquei de cueca que ela também foi tirada por ela e nesse exato momento começou a me chupar novamente. Naqueles momentos em que Elisa abria minha camisa, minha calça e tirava minha cueca, fiquei dizendo:

Eu: putinha gostosa, agora vou meter em você bem gostoso, é isso que quer vadia?

Ela: é, quero sentir teu pau gostoso dentro de mim

Elisa abaixada chupando meu pau e alisando minhas bolas, eu metia socando tudo em sua boca até que puxando-a a levantei e a coloquei com suas mãos apoiadas e de frente para a pia da cozinha, comecei a esfregar meu cacete naquela bucetinha e a roçar naquela bundinha linda, empinadinha e durinha. Não demorou muito e enfiei meu pau, já latejando de tesão, de uma só estocada na bucetinha dela, ela gemendo disse:

Ela – ai que delicia, tava loca para sentir ele dentro de mim

Ele – gostou minha safadinha? Quer mais vadia?

Ela – quero, mete mais, mete

Foi o que aconteceu, comecei a meter e socar meu cacete até o fundo, ela rebolava, gemia, eu dava-lhe uns tapas debaixo para cima na bunda, tirando suas mãos de apoio e abaixando a cabeça dela para que ficasse encostada na pia e assim arrebitasse mais ainda sua bunda foi quando ela gozou, seu corpo tremia e ela rebolava cada vez mais querendo aproveitar ao máximo sua gozada e meu pau socado dentro dela, e ali eu olhando para aquela bundinha deliciosa empinadinha lhe disse:

Ele – querida, que delicia sua bundinha, quero seu rabinho agora

Ela – é seu meu amor mete nele quando quiser

Apesar de meu pau estar totalmente lubrificado com o gozo de Elisa, coloquei dois dedos na bucetinha, molhando-os e enfiei um e depois outro naquele cuzinho delicioso, assim lubrificando e preparando para enfiar minha rola. Com aquilo ela só gemeu e eu tirei minha rola da bucetinha e cravei naquele rabinho delicioso, socando até o fim e ao mesmo tempo dando uns tapas na bunda dela e puxando ao seu encontro. Disse para ela:

Eu – é isso que você quer? É isso que tava querendo minha putinha?

Ela – isso mesmo, é isso que quero, me come , enfia bem gostoso cada vez mais

Socando muito, com força, e depois suavemente, cutuquei aquela bundinha, aquele cuzinho rosinha gostoso e apertadinho até que ela gozasse novamente, um gozo em que ela tremeu o corpo inteiro e ficou rebolando na minha rola, rola do seu amante. Com tudo isso, segurei o máximo que pude, mas não agüentando mais de tesão, gozei também, bem quando dei uma forte estocada enfiando totalmente meu cacete até o fundo segurando o corpo dela junto ao meu, gozei bem lá no fundo do cuzinho da minha putinha, que adorou e só ficava dizendo:

Ela: delicia, que gostoso, adoro seu pau no meu cuzinho

Ficamos ali por alguns minutinhos com meu pau socado no cuzinho dela até que em determinado momento saí, nos abraçamos e estávamos totalmente suados e cansados, tivemos que dar um tempo para nos recompormos nos limparmos e na seqüência fomos embora.

O nosso relacionamento durou por inúmeros meses, entre vários almoços, jantares, também aconteceram diversos e diversos encontros em que foram feitos no escritório de Elisa e em motéis, e quando não tínhamos tempo para fazermos nada disso, eu sempre ficava dirigindo e ela fazia o que adorava, mamar minha rola até conseguir o seu objetivo, o que ela mais desejava, um gozo bem gostoso na boca, engolindo todo o leitinho e sugando até a última gotinha.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.