"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A surpresa


autor: Salgado_Rj
publicado em: 11/10/17
categoria: grupal
leituras: 981
ver notas
Fonte: maior > menor



Cíntia acaba de sair do banho quando seu telefone toca, ao olhar para tela ver que é Alberto ligando, animada ela atende.
_ Alô!
_ Oi linda, daqui a pouco estou chegando ai… Tenho uma surpresa para hoje
Na hora Cíntia senti o sorriso malicio de Alberto e fica apreensiva querendo saber.
_ O que é amor? Ela pergunta
_Você saberá em breve, agora vou desligar, até mais tarde e beijos.

Apos desligar o telefone, Cíntia fica imaginando o que pode ser, mas não chega a nenhuma conclusão. Termina de se arrumar, coloca um vestido simples porém com um decote um pouco provocante e vai terminar de preparar o jantar.

Distraída nos seus afazeres e surpreendida com batidas na porta e já deduz se aberto que tenha chego, olha no olho mágico e vê aquela cara de safado que ela tanto gosta. Abre a porta e é recebida com um beijo intenso ali mesmo na porta, avançado pelo apartamento ainda se beijando enquanto ouve a porta sendo fechada atrás de Alberto. O beijo terminar e Cíntia nota uma bolsa na mão de aberto que não era comum de tê-la.
_O que tem ai?
Ele sorri e responde
_Você saberá mais tarde, vou tomar um banho enquanto você colocar o jantar… Por segurança, vou levar isso comigo pra você não estragar a surpresa. Sorrindo maliciosamente ele se afasta.

Cíntia prepara tudo e eles jantam normalmente, eles vão para o sofá e ali começa a sessão de beijos e mãos bobas percorrendo seus corpos que já estavam prontos para uma ótima noite de sexo. Alberto para os beijos e vai até o ouvido de Cíntia e a convida para o quarto. Ela aceita de imediato.

Chegando lá, Alberto retira lentamente toda a roupa de Cíntia e admirando sua lingerie, começa a deitá-la na cama e vindo por cima, começa explorar seu corpo com a boca, ele desce pelo pescoço, colo, atingindo os seios por cima do sutiã e mordiscando ainda por cima do leve tecido, Cíntia se contorce e solta um leve suspiro. Ele continua sua exploração, avança lentamente até suas coxas e conforme vai descendo com sua boca para as coxas dela, leva junto sua calcinha, deixando assim sua buceta lisinha exposta pra ela. Apos passar a peça intima pelos pés de Cíntia, Alberto sobe e alcança a buceta de sua mulher, começa a fazer leves carinhos e aproxima sua língua, fazendo Cíntia agora gemer mais alto e cariciar seus cabelos em forma de aprovação.

Repentinamente, Cíntia se levanta e anuncia ser hora dela retribuir os carinhos e com um sorriso maldoso, arranca de uma só vez a bermuda e a sunga de seu amado, deixando exposto o seu pênis que ela já conhecia muito bem. Pediu pra ele se deitar e começou a acariciar a cabeça do pau com delicadeza e aos poucos foi dando leves beijos nele, que logo se transforam em mordidinhas e em seguida, Cíntia engoliu todo o pau de Alberto com maestria e prazer, ficou acariciando as bolas enquanto chupava e ouvindo os gemidos de Alberto, que depois de alguns minutos pediu pra que ela parasse que estava na hora dela ter sua surpresa.

Ele então pega a sacola até a cama, tirou primeiro uma venda e colocou em Cíntia que não entendeu qual a necessidade daquilo e se era toda a surpresa, mas entrou no jogo e aceitou. Logo em seguida, teve seu corpo deitado sobre a cama, sem ver nada que acontecia a sua volta, sentiu algo gelado nos seus pulso que se fecharam. Ela identificou de imediato, estava sendo algemada. Depois sentiu outra no seu pulso esquerdo e tendo os dois esticados, ouviu o clique delas se fechando mais uma vez e com uma leve puxada, sentiu que elas estavam presas na cama.

Alberto chegar no ouvido dela e diz que hoje ela só sentirá prazer e que não poderá questionar ou fazer qualquer coisa. Ela senti um frio na barriga, mas confia e sabe que ele não lhe faria mal algum.

Logo Cíntia sente seu corpo ser tocado por algo frio, passando nos bicos dos seus seios e que desce até sua virilha e volta nos seus seios, de repente, ela sente o objeto sendo batido de leve no seu seio e acreditar se tratar de um chicote sadomasoquista que há algum tempo ela disse a Alberto que tinha curiosidade em saber como era usar um. Do nada o objeto se afasta de seu corpo, ela não sente nada e fica um ar de mistério, chama por Alberto, que alguém bate na porta e que atenderia, ela diz que não precisa, mas ele já foi.

Quando ela sente novamente uma presença no quarto, Alberto lhe informa que não era nada e volta a explorar seu corpo com a língua, indo direto a sua buceta, ele a faz gemer, o que é rapidamente interrompido quando ela sente o chicote em seu corpo, mas Alberto continua chupando sua buceta. Ela se agita e uma voz doce toma o ambiente.
_Boa noite Cíntia, me falaram muito bem de você, mas não imaginava que fosse tão gostosa.
_Quem é você? Ela pergunta nervosa
_ Sou sua amiga e hoje vim pra realizar mais um dos seus desejos, espero que goste da noite de hoje, porque ela será única.
_Alberto! O que está acontecendo?
Ele sorrindo responde em um tom calmo
_Meu amor, você sempre me disse que queria ter uma mulher conosco, hoje ela está aqui, lhe falei que tinha uma surpresa pra essa noite e na verdade a surpresa é ela.
Enquanto ele falava, Cíntia sentiu uma boca macia envolvendo a sua em um beijo quente e gostoso, ela se entregou ao momento e aproveitou o beijo enquanto seu amado tirava as algemas de seus pulsos.
Ao abrir os olhos, depois de ter a venda tirada, Cíntia olha pra a mulher que acabou de beijá-la, era uma moça normal, com um corpo quase acima do peso e com um par de seios médios, mas com uma pele bem branca, que conseguia ser mais branca que Cíntia que sempre se achou muito branca, talvez não fosse tão branca assim, fosse só a impressão por causa de seus cabelos negros e seus olhos em um castanho mel super envolvente.

Ela tem seu rosto envolvido na mão de Alberto que a puxa para um beijo de lado, enquanto Paula beija seus seios que agora já estão sem o sutiã e livre para aquela boca que vai descendo e logo se encontra na buceta toda melada de Cíntia que geme dentro da boca de Alberto. Eles ficam assim por alguns minutos até Paula perguntar se Cíntia quer chupá-la e mudam de posição e se encaixam em um 69 com as duas se chupando, Alberto aproxima da buceta de Cíntia e tem seu pau envolvido pela boca de Paula antes de começar a foder Cíntia que mal consegue passar a língua em Paula devido à sequência de orgasmo vai tendo em ser penetrada e tendo seu clítoris chupado e estimado por Paula. Ela implora pra que eles parem, mas Alberto só para ao gozar dentro de sua buceta e ver Paula sugando a porra que escorria de sua mulher.

Cíntia fala que precisa de um banho e Paula vai junta, no banho ela começa a foder Cíntia com os dedos que retribui fazendo o mesmo em sua nova amiga, estão tão distraídas que nem notam Alberto admirando as duas se fodendo no com a água escorrendo pelos seus corpos. Ele chama a atenção delas e convida para que voltem para a cama, porque ele também quem participar.

Na cama, Cíntia pede pra Paula deitar e novamente inicia um 69, que ela para por um instante e pede para Alberto foder seu cu enquanto Paula tem exclusividade em sua buceta. Ele atende de imediato e começa a lubrificar sua amada, aos poucos vai introduzindo seu pau enquanto ela geme e sente Paula dedilhando sua buceta em uma velocidade absurda que faz ela gozar em poucos segundos e solta um grito de prazer. Ela tem seu cu todo preenchido por seu homem e sua buceta sendo devidamente tratada por Paula, ela pede pra que Alberto foda Paula pra que ela sinta esse mesmo tesão.

Alberto atende novamente sem questionar sua mulher, ele começa a foder a buceta de Paula com força, fazendo ela dar gritos abafados em cada estocada dele, enquanto isso Cíntia se deliciava chupando a buceta de Paula e o que não sobrava pra fora dela do pau de Alberto, esse precisava ser controlar pra não gozar rápido com tanto prazer que estava tendo.

De repente ele tira o pau da buceta de Paula e pede para mulheres chuparem seu pau, que ele queria aquelas duas bocas no seu pau e gozar dessa forma. Foi atendido pelas duas que chupavam o pau e com seus dedos acariciavam a buceta uma da outra. Quando Alberto anunciou que gozaria, Cíntia começou a punhetar o pau na direção de seu rosto enquanto Paula passava a língua como dava pelo pau, quando saiu o primeiro jato, Cíntia sorriu com cara de puta sentindo o calor da porra em seu rosto, continuou se banhando naquela porra e quando tava saindo as últimas gotas, Paula começou a lamber até não sobrar mais nada e foi em direção a Cíntia, lambendo lentamente a porra que tinha no rosto dela e com a língua começou a levar porra a boca de Cíntia que compartilhava a quantia em um beijo demorado até a porra sumir de suas bocas e repetia o processo, até não sobrar mais nada no rosto de Cíntia que levantou e ganhou um tapa na bunda de sua nova amiga.

Quando voltou, viu Alberto e Paula deitados na cama esperando por ela, ela sorriu lembrando de tudo que tinha acontecido e se junto a eles, trocando carícias até pegar no sono após aquela maravilhosa noite de sexo com tantas surpresas.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.