"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Fui chantageada pelo pivete


autor: Alessavianna
publicado em: 11/10/17
categoria: hetero
leituras: 2527
ver notas
Fonte: maior > menor


Me chamo, Alessandra V. Sou morena clara, cabelo bem preto e liso, 1,70m, olhos azuis, coxas grossas, seios firmes e grande, bunda grande e uma bucetinha bem pequeninha, e tenho, também, uma cinturinha que parece que meu corpo vai quebrar no meio.
Moro no interior de São Paulo, numa chácara, há 10 km do centro da cidade. Minha casa é um sobrado, e na parte de cima ficam os quartos e de lá de cima dá pra ver minha sala inteira.

O fato ocorreu em janeiro desse ano, quando eu acabara de completar 24 anos. Meu pai é muito conhecido na cidade, pois já foi prefeito duas vezes, inclusive é prefeito atualmente.

Por eu sempre morar em área rural, sempre fiquei longe do contato com os amigos, e até então, nunca tive namorado e continuava virgem. Sempre presei muito pelos estudos, inclusive, me tornei funcionária pública concursada, porém, continuava estudando para obter um cargo melhor.

Certa vez, meu avô paterno, que mora em outra cidade ficou doente e meu pai teve que ir até lá passar alguns dias e levou minha mãe com ele. Acabei não indo, já que eu tinha que estudar para um concurso que me inscrevi. Fiquei sozinha em casa junto com meu cachorro que vivia com a gente dentro de casa, e que era manso de dar dó, nem pra gato latia, pelo jeito que foi criado.

Logo de manhã, estava em casa estudando com meu cachorro deitado no chão. Resolvi descansar um pouco e fui tomar uma banho para relaxar e vesti uma saia curta e uma regatinha sem as roupas íntimas e me debrucei no sofá para continuar os estudos.

Nisso, meu cachorro se levantou e veio até a mim querendo atenção e eu ficava esnobando e foi quando ele veio por trás e me deu uma lambida bem próximo ao meu ânus e isso me deixou incomodada e ao mesmo tempo excitada, pois nunca tinha sentido isso antes.

Ele continuou brincando e subiu em cima de mim e a brincadeira passou numa vontade desesperada dele tentar me comer. A excitação tomou conta do meu corpo e acabei tirando a roupa e fiquei completamente nua e fiquei na posição de quatro escorada no sofá, foi aí que ele subiu de novo e ficou metendo em mim, mas seu pinto não entrava e durante meia hora ele ficou na tentativa, mas não conseguiu enfiar. Foi aí que recobrei a consciência e tirei ele de cima de mim e me vesti.

Já à tarde apareceu na minha porta um pivete de 14 anos, moreno, feio que dói e baixo, o qual era conhecido na cidade por roubar várias residências e inclusive de pegar as menininhas a força, mas por ser menor, ficava pouco tempo “preso”. Nem a família dele queria mais ele.

Nisso meu coração gelou e logo pensei, pronto ele viu meus pais saírem de mala e cuia e veio aproveitar a situação pra roubar.

Porém, ele pediu pra entrar e disse que tinha algo a me mostrar e perguntei o que era. E ele me disse:

- Vi seus pais saírem de viagem e pensei que você tivesse ido também. Então, de manhã, entrei pra roubar e a primeira coisa que vi foi uma filmadora e notei que tinha um dvd dentro e comecei a gravar as coisas que ía roubar. E quando cheguei na sala acabei sem querer filmando seu cachorro te comendo.

Ao ouvir isso, senti meu coração vindo na boca e tive até uma queda de pressão, e ele continuou:

- Esse dvd é uma cópia do que eu filmei. Coloca aí pra você ver.

Peguei o dvd da mão dele e tomei um susto ao ver a filmagem. Quem assistisse aquilo ía achar que meu cachorro tinha conseguido me comer. Comecei a chorar e perguntei o que ele queria e ele disse:

- Bom, te achei muito gata e bem gostosa. Eu quero meter minha rola na tua buceta, ou vou distribuir várias cópias pela cidade. Quero ver a cara dos seus pais quando chegarem e ver a cidade toda comentando da filhinha do prefeito.

Comecei a chorar desesperadamente e o filho da puta veio pra cima de mim me apalpando, e acabei empurrando ele pra longe. O moleque ficou com muita raiva e disse que ía embora distribuir as cópias e eu chorando disse:

- Não, por favor. Não faça isso. E ele:

- Então eu vou te beijar e tirar a sua roupa, e nem tenta me impedir, senão eu mostro o filme pra cidade toda. E se não parar de chorar eu vou embora e mostro o filme pra todo mundo.

Ele veio até a mim de novo e começou a me beijar e eu tive que corresponder, e nisso ele foi tirando a minha roupa e quando eu tentava impedir ele me ameaçava. Foi aí que acabei ficando completamente nua. Ele me deitou no sofá e começou a chupar meus seios.

- Puta peitão gostoso – dizia ele- vou te chupar todinha.

Ele começou descendo pelo meu corpo enquanto me chupava e eu chorava bem baixinho diante daquela situação. O filho da puta estava fazendo o que queria e eu não podia fazer nada além de choramingar baixinho. Foi aí que ele colocou a boca na minha buceta e começou a chupar com gosto. Aquilo foi me deixando excitada e com raiva ao mesmo tempo, pois como podia estar tendo prazer de um pivete que estava me chantageando.

Foi aí que ele colocou o dedo na minha buceta e eu dei um pulo, e ele surpreso disse:

- Nossa, você é virgem ainda. Seu cachorro não conseguiu te comer.

E eu disse que não e ele falou:

- Que se foda. Sorte a minha que vou ser o primeiro. E quem ver o filme não vai acreditar que você nunca deu mesmo. Vão pensar que se você deu pra um cachorro já deu pra vários caras, vão pensar que a filhinha do prefeito é uma putinha que adora dar até pra cachorro.

Nisso ele continuou me chupando e eu só chorando, foi quando depois de cinco minutos mais ou menos eu tive um orgasmo e não consegui segurar meus gemidos. Nunca tinha sentido isso antes. Comecei a gemer alto e pedia para ele parar, pois já tinha conseguido o que queria, e ele respondeu:

- Eu vou conseguir o que queria agora, pois vou te fuder. E já disse pra parar de chorar.

Ele me puxou até uma escrivaninha e me colocou sentada em cima dela e começou a chupar minha buceta de novo até eu gozar novamente. Quase desfalecida vi que ele pegou as minhas pernas e colocou no seus ombros, depois tirou seu pinto pra fora e nessa hora vi era grande e grosso, devia ter uns 17 cm. Encostou a cabeça na entra da minha buceta e disse:

- Agora você vira mulher, e o sortudo aqui vai ser o primeiro.

Ele começou a forçar a entrada e eu não parava de chorar diante daquela situação:

- Para, tá doendo! Eu não quero, por favor para. Ai, aaaiii tá doendo.

Nisso ele riu, colocou suas mãos na minha cintura e enterrou duma vez. Gritei alto de tanta dor:

- Seu filha da puta, olha o que você fez comigo. Tá doendo muuuiiito.

Ele deixou seu pinto um tempo dentro de mim um tempo e depois começou e fazer vai e vem bem devagar, e depois foi aumentando a velocidade. Podia ouvir o barulho de seu corpo batendo no meu. Ele enfiava com muita vontade:

- Puta que pariu, como você é gostosa, que corpo perfeito, nunca tinha visto uma mulher que nem você, e virgem ainda, puta sorte que eu tenho. Caraaaiioo, to comendo essa boazuda.

Só sei que com o tempo a dor foi se transformando em prazer, e comecei a gemer, mas estava com muita raiva por ele estar me forçando a fazer sexo. Pedia o tempo todo pra ele parar, mas em vão.

Passados uns 10 minutos, gozei feito louca, perdi completamente a noção do que estava acontecendo comigo. Nisso ele ficou com mais tesão ainda e começou a meter com mais força, e eu continuava a gemer alto e desesperadamente sem parar. Na posição que eu estava, ficava olhando aquele pinto entrando e saindo de dentro da minha bucetinha com tanta vontade e com tanta força e rapidez, achei aquela visão maravilhosa. Nunca pensei que um pinto entrando na minha buceta pudesse ser tão bom e naquele momento parecia a coisa mais gostosa do mundo.

Foi quando, depois de 20 minutos, eu com as pernas em seus ombros, ele me segurou pelo quadril e enterrou forte me pressionando contra a parede e gozou dentro de mim, enquanto eu tinha outro orgasmo forte. Parecia que ele tinha gozado uns cinco litros dentro do meu útero:

- Puta que pariu, que delícia de morena. Que bucetinha gostosa.

- Por que você gozou dentro de mim? E se eu ficar grávida.

- Porque eu fui o primeiro a te fuder, então é direito meu ser o primeiro a gozar dentro. E foda-se se uma boazuda que nem você ficar grávida de um cara de 14 anos. Minha moral vai subir se toda cidade ficar sabendo que eu engravidei a filhinha do prefeito, e ninguém vai ficar sabendo que foi à força, vão pensar que você quis dar pra mim.

Nisso ele me pegou por baixo da minha bunda e me levou pro sofá e deitou em cima de mim e me obrigou a ficar beijando, enquanto metia devagarinho. Comecei a sentir muito tesão. Depois ele se apoiou nas minhas pernas e começou a meter com força e novamente fiquei hipnotizada com aquele membro entrando e saindo de dentro da minha bucetinha. Naquele momento desejei que aquela sensação nunca acabasse.

Depois de um tempo, ele me colocou de quatro e começou a me comer de novo:

- Nossa, que bunda grande, e olha que cinturinha, que da ora te fuder nessa posição.

Enquanto me comia de quatro, ele dava uns tapas fortes nas minhas nádegas. Estava sentindo tanto tesão que acabei esquecendo da situação de chantagem que me encontrava, e já não chorava mais e nem pedia pra ele parar, e comecei a perder o controle da minha razão e gritei:

- Bate na minha bunda, me come, enfia seu pinto com força na minha buceta. Mete, mete, vai, enfia com força. Me faz gozar de novo.

Acabei gozando feito louca e logo em seguida ele gozou dentro de mim novamente. Ficamos ali deitados no sofá até anoitecer.

Quando acordei, caí na real sobre o que tinha acabado de acontecer, vi que minha bucetinha estava bem vermelha e inchada e com um monte de liquido branco saindo de dentro dela, nisso comecei a chorar.

Ele se levantou e vi que ele subiu na varandinha que dá na sala e pegou algo e desceu. Notei que era a filmadora. E ele disse:

- Viu porque todo mundo vai achar que você deu pra mim porque estava com vontade. Filmei a gente trepando e tá tudo gravado aqui você pedindo pra eu te fuder com força.

Parecia que meu mundo ía desabar naquele momento:

- Você vai mostrar pra todo mundo, não vai?

- Quando seus pais voltam?

- Daqui sete dias.

- Então eu vou ficar morando aqui durante sete dias e você vai ser minha putinha. Vai ficar pelada o tempo todo, e toda vez que meu pau ficar duro vai ser sua função tentar deixar ele mole. Se eu tiver sentado no sofá de pau duro, você vai ter que subir em cima de mim e cavalgar bem gostoso e só vai parar quando ele ficar mole de tanto gozar. Vamos tomar banho juntos o tempo todo, e nós vamos meter a noite toda na cama de seus pais.

Chorei muito e falei que não ía fazer isso, mas ele me ameaçou mostrar os dois filmes pra cidade toda e acabei cedendo.

- Tá bom, eu faço, mas depois você traz os dois filmes pra eu queimar.

E ele concordou em trazer os filmes.

Realmente acabei acreditando que ele ía me dar os dois filmes depois de ficar sete dias me comendo, e hoje faz quase dez meses que ele me come praticamente todos os dias dentro da minha casa, na cachoeira e em todo matagal perto de casa.

Até agora não errei a tabela, e tomo anticoncepcional, e temo um dia errar e eu, com 24 anos, ficar grávida de um pivete de 14 anos.

E pior de tudo, não sei se realmente quero para de trepar com esse moleque de 14 anos, baixinho e muito feio. Me entreguei completamente e ele nem precisa mais me chantagear. Já não tenho mais pudor de demonstrar que adoro sentir a rola dele e de sentir tesão quando ele me chupa e principalmente de ficar por cima beijando-o enquanto eu faço movimento de vai e vem com minha bucetinha engolindo completamente a sua rola grande e grossa. Descobri que adoro cavalgar e de rebolar na rola dele.

Inclusive, ele me leva para o centro da cidade à noite, pra me fuder nas casas abandonadas e já não me importo muito de me entregar de gozar e gemer alto nessas casas, e nem ligo mais se alguém irá ouvir quando peço pra ele me fuder com força:

- Vai, vai, mete, mete com força, não é isso que você queria, um putinha gostosona, me fode pirralho gostoso. Arregaça minha buceta seu nojento, feio pra caralho, come sua putinha. Eu sou sua, só sua seu puto.

Até pedir pra gozar dentro de mim e me engravidar acaba saindo da minha boca quando eu estou me deliciando com a rola dele. Sorte que eu não penso em engravidar quando saio de casa, senão deixo de toma o anticoncepcional, pois tenho muito tesão em pensar em ficar gravida enquanto ele fode com gosto. Deve ser o fascínio de ver um pivete baixinho e bem feio fudendo uma gostosona. Sim hoje me acho gostosona.

E quando ele não aparece pra me comer eu saio a procura de qualquer um que encontrar pelo caminho pra me fuder, e isso já aconteceu várias vezes, e os caras, que são quase todos de sítios (caipiras) acabam não acreditando no que acabou de acontecer com o sortudo que fica no meu caminho quando o pirralho não aparece pra me comer. Eu fico puta com ele no dia seguinte e pergunto por que ele não veio me fuder.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.