"Os mais excitantes contos eróticos"


A NOIVA CRENTE DO MEU AMIGO. PT 01.


autor: ricardosafado
publicado em: 06/12/17
categoria: traição
leituras: 1873
ver notas
Fonte: maior > menor


Me chamo Fernando, tenho 30 anos, moreno, 1, 76 de altura, corpo definido, pois treino boxe todo dia, ah.. E o mais importante, sou solteiro.
O que venho contar a vocês aconteceu a exatamente 3 dias. Depois de um dia cansativo no trabalho, lá vou eu pegar o metrô para ir embora, quando de repente dou de cara com a noiva do meu amigo esperando também o metrô na plataforma. Como a gente morq na mesma rua, parei próximo dela e ficamos conversando ali mesmo, enquanto o metrô não vinha. Por incrível que pareça aquele dia o metrô demorou, onde consequentemente acabou lotando a plataforma. Na hora de entrar foi aquele empurra purra, mas como sou grande, acabei protegendo a noiva do meu amigo, segurando-a pela cintura, puxando ela para o cantinho da porta. Bom, ela se chama Fabiana, uma morena muito linda e muito recatada sabe, pois ela é evangélica e muito seria. Naquele dia ela estava linda, com um vestido florido bem soltinho e cabelo amarrado em forma de rabo de cavalo, do jeito que eu gosto. Como o trem foi lotando, eu acabei ficando esprimido ainda mais nela, encostando meu pau em tua bunda. Nessa hora meu coração acelerou, afinal, ela era noiva do meu amigo, e estar ali no metrô lotado encoxando ela era estranho demais. Eu não via a hora de chegar na estação itaquera, mas por obra do destino, o bendito trem resolveu parar na estação sé, fazendo minha agonia aumentar ainda mais. Fabiana parecia um pouco tensa, se mexendo toda hora, como se quisesse esquivar do meu pau. Aquilo me deixou ainda mais nervoso, mas também bastante excitado, pois de tanto ela se mexer, meu pau começou a dar sinal de vida, ficando duro. Tentei me controlar ao máximo, mas meu esforço foi em vão, onde em questão de minutos, meu pau já parecia uma pedra. Fabiana notando que meu pau tinha endurecido, resolveu parar de se mexer, onde eu pude sentir ele pulsando involuntariamente em tua bunda. Tentei me mexer para afastar dela, mas o metrô estava muito cheio, impossibilitando minha ação.

CONTÍNUA NO PRÓXIMO CAPÍTULO.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.