"Os mais excitantes contos eróticos"


Feminista convicta goza e pede


autor: publicitario45
publicado em: 19/10/15
categoria: hetero
leituras: 4693
ver notas
Fonte: maior > menor


No nosso segundo dia em Arraial D´Ajuda saímos para dançar e beber alguma coisa. Passamos por vários locais e Melissa escolheu um bar onde tinha uma música ao vivo e muita gente bonita. Sentamos numa mesa que estava desocupada na varanda e ficamos ali, bebendo e contando curiosidades um da vida do outro como se fossemos dois namorados se conhecendo.

Melissa me contou das suas fantasias de adolescente e confessou que já teve vontade de fazer um Menage e para ela não importaria se era masculino ou feminino. Mas como ela mesma disse, o tempo passou e ela não teve coragem nem oportunidade de realizar sua tão desejada fantasia. Então mudamos de assunto e continuamos conversando mas a ideia de ver Melissa num Menage não saia da minha cabeça e eu comecei a arquitetar a ideia de realizar a fantasia dela no nosso fim de semana.

Fomos para a pista dançar e eu ficava observando Melissa dançando de olhos fechados enquanto alguns homens e algumas mulheres a olhavam indiscretamente. No meio disso tudo tinha Mauricio, o garçom que havia arrumado a nossa mesa e que sempre que possível dava uma secada na minha “amiga”, que dentro de um vestido florido, salto alto, cabelos ruivos e olhos claros ficava irresistivelmente deliciosa. Na medida que a bebida subia Melissa se soltava e por várias vezes dançou colada numas mineirinhas lindas que passavam o feriado na Bahia, confesso que cheguei a achar que eu levaria as duas pro quarto mas logo Melissa se desvencilhava das meninas e voltava a dançar só pra mim.

De longe Mauricio comia Melissa com olhos e eu resolvi investir na possibilidade de ver Melissa dando pro garçom. Disse a ela que iria ao banheiro e pedi que ela buscasse duas caipirinhas. Melissa concordou e eu me mandei pro banheiro. Fiquei por lá alguns minutos e quando voltei Melissa estava conversando animadamente com Mauricio que falava alguma coisa no seu ouvido lhe arrancando gargalhadas. Quando ele me viu, se afastou mas eu fiz sinal para que ele continuasse, o cara entendeu o recado e puxou Melissa pela cintura em direção ao seu corpo.

Eles meio que conversavam e dançavam até que Mauricio saiu de perto dela e foi atender outras mesas. Melissa me viu e veio sorridente com os copos na mão e eu não perdi tempo:

Eu: o garçom parece gostar de você.

Ela: que nada, ele é apenas educado.

Eu: sim, mas eu ainda não o vi segurando ninguém pela cintura.

Ela: esta com ciúmes?

Eu: não, pior. Estou pensando em convida-lo para uma saideira na nossa suíte, o que você acha?

Ela: não sei se teria coragem.

Eu: a gente convida, se rolar bem, caso contrário a gente vai embora na segunda mesmo.

Ela sorriu meio que concordando e voltamos para a nossa mesa. Assim que Mauricio chegou eu perguntei até que horas ele trabalhava e ele disse que poderia sair qualquer hora, pois como ele ganhava comissão não tinha horário fixo. Disse a ele que queríamos convida-lo para uma saideira e ele disse que em meia hora nos encontraria na porta do bar, mas que o ideal seria irmos para casa dele, pois a pousada que estávamos não permitia a entrada de terceiros.

Uma hora depois estávamos do outro lado da calçada no maior amasso quando Mauricio chegou. Saímos andando pela rua e fomos para casa dele, um lugar rústico, bacana, com uma vista de cinema pro mar. A casa era pequena mas muito confortável. Na sala tinha um sofá grande e na varanda várias almofadas jogadas em cima de um tapete.
Entramos e fomos direto para varanda. Mauricio abriu umas cervejas e disse que iria tomar um banho. Eu e Melissa ficamos deitados no tapete olhando pro mar e ela parecia estar nervosa e ansiosa ao mesmo tempo. Disse para ela relaxar e comecei a beijar sua nuca, fazendo massagens enquanto ela fechava os olhos e relaxava ao som do mar quebrado nas pedras.

Minutos depois saiu Mauricio de dentro do banheiro apenas enrolado numa toalha exibindo um corpo forte e bem definido. Sua pele era morena quase jambo, cabelos cortados bem curtos, brinco nas duas orelhas uma tatuagem nas costas. Melissa nem conseguiu disfarçar e fitou cada detalhe do nosso anfitrião e foi ai que pedi ao Mauricio uma toalha para que eu tomasse um banho. Ele apontou onde estavam as toalhas e eu fui pro chuveiro na intenção de deixar Melissa à sós com Mauricio.

Quinze minutos depois eu volto e ouço beijos e gemidos na varanda. Passei na cozinha e peguei um copo de agua e fui direto para varanda. Chegando lá a cena era a seguinte: Melissa estava ajoelhada no tapete e Mauricio completamente nu de pé em sua frente. Ela segurava sua rola com as duas mãos mas parecia não ter tido coragem de ir adiante. Quando ela me viu eu sorri e disse – cai de boca logo - e ela assim o fez.

A pica deveria ter uns 20 centímetros mas era extremamente grossa, chegava ser descomunal a grossura da vara do cara. Tinha uma cabeça grande, roxa e reluzente. Melissa passou a língua em torno da cabeçorra e Mauricio fechou os olhos. Depois ela foi até o saco dele e lambeu subindo lentamente até chegar de novo na cabeça para depois tentar engolir a tora do rapaz. Melissa tem uma boca grande, bem desenhada e até a metade da rola ela conseguiu abocanhar, mais que isso seria impossível.

Mauricio se sentou na rede e Melissa começou um vai e vem frenético na pica do rapaz.

Ela segurava ela pelos cabelos ditando o ritmo da chupada que as vezes era alternada com umas mordidas nas coxas grossas dele e lambidas no saco. Mauricio delirava com a boca da minha quase namorada até que ele deu uma urrada a gozou na boca de Melissa e pela quantidade de porra que escorreu os jatos eram fartos e fortes.

Eu continuei sentado num banco na varanda e Melissa veio em minha direção. Ela ainda estava de calcinha mas já dava para ver que ela estava encharcada de mel.

Engatinhando ela chegou perto de mim e me beijou a boca ainda com gosto da porra do Mauricio. Com as suas mãos ela foi desabotoando a minha camisa e minha bermuda me deixando nu em poucos segundos. Sua boca estava quente, molhada e sedenta.

Rapidamente ela desceu e abocanhou a minha pica fazendo um vai vem delicioso. Ela me chupava, lambia e me olhava com cara de puta. Mauricio por sua vez se refez da primeira gozada e deitou no chão, entre as pernas de Melissa. Colocou sua calcinha de lado e pediu que ela abaixasse o corpo em direção a sua boca. Sua xana encaixou com perfeição e o cara começou a sugar todo aquele mel que havia escorrido de dentro da sua boceta rosada.

Melissa rebolava na cara de Mauricio enquanto me chupava. Suas mãos me apertavam a cada espasmo que seu corpo deflagrava com as chupadas do nosso amigo até que Melissa gozou tentando gemer alto ainda com meu pau na boca.

Mauricio saiu debaixo dela e se pôs ajoelhado atrás dela anunciando a penetração com pinceladas na sua xaninha. Melissa prevendo que a rola grossa de Mauricio iria provocar um estrago, segurou nas minhas pernas, olhou pra trás e disse: mete a rola sem dó.

Assim Mauricio fez. Numa estocada só a rola entrou rasgando aquela boceta linda e rosada levando Melissa a gritar de dor. Suas unhas cravaram nas minhas coxas e ela abafou os gritos sugando minha pica novamente. Mauricio por sua vez não queria nem saber e aumentava o ritmo das estocada que já não doíam tanto mas sim davam prazer a nossa putinha insana. Melissa rebolava na pica do garçom para sentir cada centímetro de vara dentro do seu corpo.

Mauricio deitou no tapete e convidou Melissa a cavalgar na sua rola. Antes de sentar na tora do amigo ela deu-lhe mais uma chupada, beijou a minha boca e sentou no mastro de carne engolindo de uma vez só aquela tora.

Melissa cavalgava e Mauricio lhe dava tapas na bunda de pele branca. O suor já escorria pelas costas de Melissa que já tinha gozado umas três vezes em cima daquela pica imensa e grossa. Mauricio então, abriu a sua bunda me convidando a comer o cuzinho de Melissa, mas ela peiu que mudássemos de posição.

Deite-me no lugar dele e ela sentou na minha vara entrando fácil. Então, abri a bunda de Melissa e Mauricio caiu de boca no seu cuzinho levando-a loucura. Logo Melissa estava gozando mais uma vez e agora era na minha pica. Mauricio meteu um depois três dedos no rabo de Melissa. Passou um gel lubrificante e se posicionou atrás dela.

Melissa recuou um pouco quando ele forçou a entrada mas com as suas mãos ele a segurou pela anca e a cabeça entrou rasgando.

Melissa urrou e beijou minha boca na tentativa de abafar seu grito de dor. Mauricio continuou empurrando aquela tora para dentro de Melissa que afundará as unhas no meu ombro. Mauricio parou alguns segundos com a pica atolada dentro dela para que seu cuzinho se acostumasse com a pressão e logo ele começou a se movimentar lentamente.

Mais gel lubrificante foi despejado na sua tora e agora a pica já deslizava com facilidade dentro de Melissa que já rebolava lentamente na minha pica.

O gemido de dor deu lugar ao de prazer e Mauricio já socava com mais força o rabinho de Melissa. A dupla penetração fez com que ela gozasse mais algumas vezes e dissesse palavras desconexas. Mauricio distribuía tapas na bunda de Melissa e a chamava de puta, para retribuir ela pedia mais força até que ele gozou no seu rabinho enchendo de porra. Em seguida gozei na sua boceta melada e caímos os três no tapete. Em nossa pele o nosso suor se misturava aquele banho de porra. Minutos depois Melissa pegou minha toalha e seguiu pro banheiro. Minutos depois Mauricio foi atrás dela e lá da varanda eu vou Melissa gemente novamente. Desta vez ele a comeu em pé debaixo do chuveiro.

Nos despedimos de Mauricio e seguimos para nossa pousada. Já passava das 7h30 da manhã quando encontramos a mineirinha que havia dançado com Melissa no bar. Conversamos alguns minutos e ela nos convidou para uma festa numa casa da família dela.

Chegamos no hotel, pedimos que servissem o café da manhã no nosso quarto. Tomamos um banho, comemos e apagamos na nossa cama.

Ah, sobre a festa da mineirinha foi bacana. Muita gente jovem, muita bebida e muita pegação. Mas isso eu conto depois.

Beijos, obrigado pelas mensagens e comentários e boa semana a todos.

SKYPE: publicitario1970@hotmail.com




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.