"Os mais excitantes contos eróticos"


Chupei o namorado da minha ami


autor: Morena69
publicado em: 26/10/15
categoria: hetero
leituras: 24157
ver notas
Fonte: maior > menor


Oi, meu nome é Adressa. Tenho 22 aninhos, tenho namorado, sou do tipo quieta, alguns até me acha ant social.

Bom, tenho uma amiga que estava morando em Minas Gerais cerca de 1 ano. Essa minha amiga se chama Renata, ela já estava namorando com um carinha a alguns poucos meses, pelas redes sociais pareciam ser muito felizes. Como todo início de namoro. Ela a uma semana atrás de mandou uma mensagem que estava com o boy dela aqui no Rio, que queria me encontrar para bater papo. Eu topei, marquei no final de semana. Marcamos de ir no barzinho na sexta e sábado iríamos p balada. Na minha casa tem dois quartos, um deles é vazio. Eles poderiam ficar lá sem problema nenhum.
Os encontrei no bar combinado, ela estava linda, mais magra, amei o reencontro. Ele era lindo, alto, um sotaque de se apaixonar! Belo casal os dois...
Sentamos, conversamos sobre tudo, relembramos alguns momentos da escola, namoradinhos, lembramos de coisas engraçadas e divertidas. O nome do namorado dele era Pedro. Pedro observava tudo com muito instusiamo, estava agradavel à noite e as companhias. Renata estava um pouco bebada, começou a falar algumas besteiras, a falar intimidade deles dois, disse que o Pedro adorava sexo oral. Ele certamente ficou constrangido. Vendo que o estado dela estava já ficando desconfortante, resolvemos ir para casa. Como combinado, todos foram para minha casa. Renata se jogou na cama de roupa e tudo, adormeceu de fazer barulho. Quando fui para sala, Pedro estava sentado. Ofereci uma toalha p ele ir tomar um banho p ir dormir. lhe ofereci também cerveja que por sorte ainda tinha na geladeira, ele aceitou. Bebemos mais um pouco e ficamos conversando na minha varanda, podíamos ouvir os roncos de Renata na varanda. Estava no sono dos anjos, minha amiga. Papo vai, papo vem, Pedro me contou alguns outros relacionamentos que teve, algumas coisa bem particulares. O sotaque dele me atraía, mas eu tinha Q me conter. Desde quando ficamos a sós na varanda, eu sentia o olhar dele diferente, mas não sabia até onde era vontade minha ou se era ilusão. Não podia arriscar! Continuamos bebendo... Tinha 6 cervejas de litro na geladeira, o papo estas bom Q não observamos o tempo passar. Eu comecei a falar um pouco mais abertamente, contei das minhas experiências sexual com algumas mulheres que tive. ( quando falamos sobre homossexualismo). Ele ficou interessado... Falou sobre o desejo dele de duas mulheres, como todo homem, contou que quer muito ainda realizar essa fantasia. Mas ele não tinha entendido que eu queria aquele momento era só ele. Eu já não fazia discrição do que era certo ou errado, se era minha amiga, minha irmã, nada mais. Aquele homem só de falar estava me deixando com vontade. Eu precisava armar uma situação p ve qual a dele, precisava vê se os olhares dele era coisa da minha cabeça ou se estava afim. Se estivesse, eu ia da. Ainda perdida em meu pensamento de como fazer p agarrar esse homem, escuto a voz dele dizer : vou vê a Renata e vou no banheiro, já volto p tomarmos a saideira. Entrei em desespero, tinha que pensar rápido!!!!! Escutei a porta do quarto da Renata fechar, a do banheiro abriu. É agora! Vou lá! Fui cheia de coragem, me segurando pelas paredes, além do nervoso estava alcoolizada. Fui, quando ele abriu a porta p sair, deu de cara comigo. Fiquei constrangida. Ele disse em um tom de sarcasmo: veio atrás de mim ou quer usar o banheiro? Eu respondi prontamente: Logico qe é usar o banheiro. Quando segurei a porta do banheiro para entrar, ele me agarrou pelo braço. Me encontrou na parede e disse : jura que você veio ir ao banheiro? Que não queria isso? E me beijou deliciosamente. O cheio de álcool, de homem, me deixava louca. Comecei a me esfregar nele, entramos no banheiro e nos trancamos. Ele ficou alisando minha bunda até eu segurar seu pau sob a bermuda e dizer : quero putaria. Senti o olhar dele se transformar, ele me pegou com força, colocou minha cara na parede, ordenou que eu empinasse a bunda, que deixasse tudo aberto. Fiz como mandou, já estava de tesao. Senti seus dedos rasgando meu Cu, ele meteu no cu primeiro. A bucetinha estava toda aberta para receber, mas ele meteu no cu. Dei um grito, foi uma mistura de tesao e dor, uma dor deliciosa. Rebolei com seus dedos no meu cuzinho, ele não parava de falar putaria no meu ouvido. Me chamava de piranha, de vagabunda, que sabia que ia me fuder desde o início. Filha da puta, me colocou para mamar sua cacete igual um sugador, chupei as bolas, enrosquei seu piru na minha garganta. Que delicia! Delicia vê o desdepero dele querendo que eu engolisse todo seu pau, duvido que a minha amiga chupe melhor que eu. Ele uivava quando eu dizia que eu era a amiguinha da mulher dele, que adorava o cacete do macho dela. Já com a buceta latejando de tesao, ele meteu. Meteu comigo de costas, perna aberta, uma perna no chão e outra encima do vaso, quase na posição de 4. Que delicia senti aquele cacete entrando, ele metia com vontade, juntou seu corpo com o meu e mandou a vê na minha buceta. Soca, mete filha da puta, mete na sua vagabunda. Come a amiga da sua mulher no banheiro, come. E ele metendo igual louco, pronto de gozar na minha buceta. Coloquei ele sentado no vaso e encaixei no seu pau, sentei devagar. Rebolei, pulei, pulei, minha buceta mastigou seu pau. Gozei sentada, gemendo sem parar. Ele ainda tinha que gozar, bebendo geralmente fica mais demorado. Mas eu ia derrubar aquele cacete. Disse a ele que queria leitinho, queria tomar na boquinha. Ele prontamente se animou e me deu para chupar, chupei com vontade, passei minha língua nele todo, massageando sua bola e sugando seu pau, sem demora ele gozou. Senti o leitinho na boca, senti explodir minha garganta. O jato do macho gostoso da minha amiguinha, outro dia conto como foi acordar de manhã com eles.


Aos machos de plantão, deixe seus contatos ou e-mail. Quem sabe não dou para você também!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.