"Os mais excitantes contos eróticos"

 

ESTUDANTE DE MEDICINA


autor: GiorgioSardeck
publicado em: 28/10/15
categoria: hetero
leituras: 5561
ver notas
Fonte: maior > menor


Baseado em Fatos reais.

Em 2014, após o término do meu relacionamento de 3 anos, entrei em pré vestibular da minha cidade, afim de me preparar para o ENEM deste ano. Corria tudo muito bem, até que conheci a Stefany. 1,72, morena de pele clara, olhos castanhos avelã, pouco peito, porém coxas grossas e vinda consideravelmente grande. Stefany sempre me cumprimentava ao entrar na sala, esta que tinha cerca de 130 alunos. Até que eu um dia resolvi conversar com ela, papo vai e papo vem, falando sobre diversas coisas, pedi o número dela, e ela me passou. Certo dia, conversávamos pelo WhatsApp, e tudo muito bom, os assuntos foram ficando mais picantes, entramos no assunto de "posições sexuais", Stefany me revelou que amava ser penetrada de 4, e que sempre gostou não só de boquete, mas também de levar gozada na boca, eu citei pra ela alguns gostos particulares também, mas o dia tinha sido intenso, e no outro dia (sábado) teríamos aula, de manhã cedo. Bom, eu precisava sair da aula e ir pro serviço, como sou Fuzileiro Naval, fui fardado pra aula, assim que Stefany me viu, me deu abraço, um beijo na bochecha e sentou do meu lado.. Após a aula, estava chovendo decidi que levaria ela pra casa, ela entrou no carro, estava linda pra quem vai assistir uma aula pro sábado de manhã, usava uma saia rodada, uma blusa de alcinha folgada, cabelos presos em um rabo de cavalo, tudo combinando com seus olhos e seu sorriso, no carro ela me olhava bastante e perguntou o que eu faria a noite, eu disse que sairia com uma pessoa. Um silêncio ecoou pelo carro, até que ela perguntou: "qual programação pra sua saída?" Eu, com os olhos fixos no trânsito disse: "Vou levá-la pra jantar, e depois vamos pro meu apartamento." Stefany estava com raiva, eu podia ver isso, então eu imediatamente falei: "só está faltando ela aceitar, passo na sua casa que horas?" Ela riu, e disse:"às oito!" Perfeito, tínhamos um encontro, deixei a em casa, e quando cheguei no quartel tinha uma mensagem no meu celular que dizia: "Ver você de farda me deixou louca, estou ansiosa pra que essa noite chegue logo." Respondi, cumpri meu horário de serviço e lá estava eu indo pra casa da Stefany, levei camisinha, claro, e tudo estava correndo de acordo com o planejado.

Quando cheguei a casa dela, um bairro nobre, ela desceu, e ao chegar na portaria, estava com um vestido ligeiramente curto, não possuía decote, pois ela tinha pouco peito, mas suas coxas ficavam amostra, seu cabelo solto, brilho em sua boca, e cheiro tremendamente excitante, ela entrou no carro e eu estava ouvindo Armandinho, ela me cumprimentou com um beijo na bochecha e lá fomos nós. O jantar foi legal, rimos bastante, conversamos e ela me disse que estava no pré vestibular para tentar uma vaga pra medicina, sempre me interessei por mulheres decididas, e ela era muito. Paguei a conta, abri a porta do carro pra ela, e fomos nós pro meu apartamento.

O mais estranho era que eu já estava com muito tesão, e ainda nem tínhamos nos beijados, mas quando entramos no apartamento, eu disse: "fique a vontade vou trocar de roupa." Tirei a camisa social e o terno. estava a vontade, mas ela não. Então ofereci uma taça de vinho, e pedi pra ela sentar no sofá, meu pau já estava duro, então abaixei e comecei a tirar a sandália dela, assim que tirei, ela levemente abriu as pernas e eu pude ver sua calcinha, olhei pra ela e sorri, subi e apoiado no sofá, começamos nos beijar, minhas mãos sempre foram inquietas, e assim que começou a esquentar, levemente deslizando minha mão por entre as pernas da Stefany, cheguei na região íntima que estava molhada, comecei a acariciar, o clitoris dela, ainda por cima da calcinha, e ela soltava alguns gemidinhos, e foi onde a mão dela encontrou o meu pau. Ela o tirou pra fora, e sem cerimônias começou a me chupar, enquanto isso minha mão já estava dentro da calcinha dela, eu a masturbando e ela me pagando um boquete, ela levava jeito, acho que já devia ter chupado outros caras, o sorriso safado, e os gemidos intensos entregavam, pedi ela pra parar fiquei abaixado na frente dela, e ela deitada no sofá e então, comecei a levantar , seu vestido, ela estava com um olhar de tesão tão gostoso, que me excitava mais ainda, meu pau estava molhado de saliva, então posicionei ele na entrada na vagina dela, e forcei a entrada, ela gemeu tão gostoso que meu pau latejou, então começamos naquele movimento, eu não podia acreditar, estava penetrando a Stefany!

Bom, o nossos papos no WhatsApp eram sempre sobre posições sexuais, então resolvemos testar, comi ela de 4, papai e mamãe, e de diversos jeitos possíveis, mas os últimos 8 minutos da transa foram os melhores em toda minha vida, ela levantou e pediu pra eu sentar no sofá, e assim que sentei, meu pai estava muito duro, e ela muito molhada, ela disse: "vou te dar um presente" eu não falei nada, só observei, ela posicionou meu pau bem no seu cu, e de leve foi sentando, foi o anal mais delicioso da minha vida, aumentando a intensidade, ela foi sentando, e gemendo.. Eu dava alguns tapas em sua bunda, enquanto ela dizia: "Me fode vai, me come inteirinha." E não conseguia parar, e até que senti um forte prazer, e eu gozei dentro do cu dela, ela tremia as pernas, e dizia : "aí amor, eu gozei eu gozei". Era 2:30 da manhã, esperamos alguns minutos, e ela foi pra banheira, e eu fiquei ali olhando aquela morena passear por meu apartamento, até que decidi ir na banheira também, tomamos um banho juntos, e fomos pra cama, pra minha surpresa, Stefany começou a me masturbar por baixo dos lençóis brancos, e a medida que meu amigo foi ficando duro, ela me beijava e roçava sua bucetinha em minha perna, decidi então dar um chupada nela, não liguei pro quanto estava molhada, comecei a chupar como quase que estivesse em desespero, ela gemia, e segurava meu cabelo, então levantei, e ela decidiu me chupar, foi interessante porque ela colocava meu pau inteiro na boca, até engasgar.. Então virei ela de barriga pra baixo na cama, e comecei a penetrar na bucetinha dela, eu adorava as sacanagens que ela falava, o que me deixou mais excitado foi quando ela disse: "Que delicia, comeu meu cu, agora fode minha buceta soldado" , me deitei por cima dela, e com a intensidade das metidas, eu disse que iria gozar, a Stefany contraiu a buceta, e minha jorrada dentro dela não poderia ser melhor, meu pau latejando, e eu em cima dela, e ela gemendo maravilhosamente e dizendo que nunca tinha gozado tanto.

e depois? Busquei outra dose de vinho , ligamos a tv , e ali no meu quarto ficamos ela encostada no meu peito, adormecemos.
Estamos juntos até hoje, e cada transa continua sendo incrível!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.