"Os mais excitantes contos eróticos"


Comi minha cliente casada (Par


autor: publicitario45
publicado em: 04/12/15
categoria: hetero
leituras: 6331
ver notas
Fonte: maior > menor


Após rever Mara e ir parar num motel com ela, começamos a nos falar quase que diariamente e na maioria das vezes nossa conversa descambava para o sexo. Numa destas conversas, lembrei que ela havia me dito no motel, que tinha fantasias com homens negros e dotados. Ao tocar neste assunto, ela ficou muda por um bom, e do outro lado da linha eu ouvia apenas a sua respiração.

No começo fiquei preocupado, afinal de contas a minha amiga tinha tido um problema emocional muito sério e eu ainda não sabia se ela estava realmente bem, então mudei de assunto e para minha surpresa ela retomou a conversa.

- Sim, tenho fantasias com negros. Acho que depois que eu e meu marido diminuímos o número de transas, minha imaginação criou asas e depois de alguns vídeos, fiquei pensando se aguentaria. Quer me ajudar?

- Olha, posso te ajudar sim, mas ainda me preocupo com você. Será que isso é tesão mesmo ou uma fuga sua dos problemas que você andou enfrentando?

- Que nada, relaxa. Eu sempre fui safada, sempre aprontei, dei muito quando era solteira, sosseguei depois de casada porque a família do meu marido é muito tradicional. Vamos lá, me ajuda, eu deixo você assistir.

- Ok!! Vou te ajudar.

- Como?

- Isso é segredo, apenas confie em mim, ok?

- OK!

Então, para facilitar e agilizar as coisas, abri um perfil num site de encontro de casais aqui do estado. Confesso que a ideia de ver a minha amiga sendo devorada por um negão me deixava excitado e comecei a mexer os pauzinhos.

Mara me mandou algumas fotos onde seu rosto na aparecia e postei como se ela fosse a minha esposa.

No e-mail falso que criei, choveu mensagens de homens e casais de tudo quanto era canto do estado, até um chamou atenção dela. Deitada na cama do motel, de bunda pra cima, nua, Mara foi passando as até que viu a foto de Paulo. Os olhinhos dela chegaram a brilhar com a foto do cara de sunga amarela contrastando com a sua pele negra. Com quase 1,98 de altura e um corpo totalmente malhado, Mara chegou a passar a língua pelos lábios e pediu que eu ligasse para ele. Colocamos o celular no viva voz e a conversa entre eles fluiu fácil. Mara bombardeou o cara com um milhão de perguntas e ele respondeu a todas quase sempre com frases de duplo sentido. Aquilo estava deixando Mara excitada e eu também, então, resolvi come-la por trás enquanto eles conversavam no telefone, e quando ela gozou, o cara quase enlouqueceu do outro lado da linha. Neste dia, trepamos muito e Paulo deixou minha amiga completamente sedenta por pica.

No decorrer da semana, fomos conversandp e sempre que íamos para o motel, Mara ligava para Paulo e enquanto eles conversavam, eu a comia com vontade aproveitando que ela ficava bem excitada e gozava muito mais rápido e intensamente.

Mara já não aguentava mais e me mandou uma mensagem que se lia: é hoje.

Quero dar pra ele hoje. Marca pra tarde. Liguei pro Paulo e marcamos de nos encontrar na Praça dos Namorados às 14h. busquei Mara que estava linda de sainha e blusinha, calçando um salto alto que deixava seu corpo ainda mais gostoso. Chegamos rapidamente no local combinado, mas Paulo ainda não estava lá. Ficamos dentro do carro aguardando até que vimos um negro alto, forte e muito bem vestido caminhando em nossa direção. Era ele.

Paulo entrou no carro e sentou-se no banco de trás. Além de muito bem vestido, Paulo usava um perfume muito bom o que fez Mara elogia-lo imediatamente.

Conversamos rapidamente e seguimos para um motel um pouco mais afastado. Entramos e já na garagem Paulo puxou Mara pela cintura e lhe tascou um beijo de tirar o folego. Ela correspondeu imediatamente e as mãos grandes dele já buscavam seu corpo com muita vontade. Eles foram atracados até a suíte onde

Paulo a pegou no colo e a carregou até a cama.

Eu, como estava ali ajudando uma amiga casada, tirei minha roupa e resolvi abrir uma garrafa de vinho branco e assistir a tudo, de camarote com vista privilegiada.

Quando retornei para pert da cama, Paulo já havia tirado toda a roupa de Mara, deixando-a apenas de calcinha que log em seguida foi rasgada com o dente. O cara era animal e mesmo ainda de calça jeans, dava para ver o volume enorme na calça dele. Ele sugava os seios brancos de Mara com força a ponto de deixa-los avermelhados, suas mãos apertavam o outro, depois descia até a sua bunda onde ele desferia tapas vigorosos, Mara apenas gemia e se deixava ser conduzida pelo seu novo amigo. Quando o cara caiu de boca na sua boceta,

Mara gemeu alto e se contorceu toda. Paulo chupou seu grelo, penetrou com dos dedos, lambeu seu cuzinho, estapeou sua cara e ela apenas consentia a tudo.

Depois do terceiro gozo, Mara pediu que ele se despisse e o cara foi tirando peça por peça. Quando tirou a camisa, Mara já caiu de boca no seu peitoral e em seguida desceu a língua até a barriga sarada. Com mais de 1,90 de altura, Paulo abriu o ziper da calça e ficou apenas de Box onde se via que a minha amiga teria uma longa tarefa naquela tarde. Ela massageou o pau dele por cima da cueca e depois baixou soltando uma tora negra, grande e grossa capaz de fazer inveja em muita gente.

A cabeça do pau do cara era enorme, roxa e a pica toda era exagerada as veias saltavam a cada vez que o pau dele latejava e Mara mal conseguia segura-la com uma mão só. Enquanto ela ficava punhetando e olhando, Paulo deu a ordem
– chupa vadia – e Mara obedeceu na hora.

Mara abriu bem a sua boca e começou a chupar o pau do cara, descia a língua pelos 24cm de rola e ia até o saco dele, totalmente depilado. Chupou uma das bolas, depois outra e retornou até a cabeça engolindo parte da rola dele. Paulo segurou Mara pela cabeça e começou a foder a sua boca com voracidade e as estocadas iam mais fundo, fazendo a minha amiga perder o ar de vez em quando. Não demorou muito e Paulo gozou na boca da minha amiga casada. De dentro da rola dele parecia que a porra não ia parar mais de sair e Mara, não conseguindo beber aquilo tudo foi banhada de porra no rosto, seios e pontas do cabelo.

Quando Mara achou que Paulo ia descansar por alguns minutos, ele a puxou e a colocou de quatro na beira da cama. Pegou aquela pica enorme e ainda meio mole e começou a pincelar na porta da bucetinha. Mara pediu que ele colocasse uma camisinha e assim ele o fez, mas ela cobriu apenas a metade do pau.

Para facilitar a surra que ela estava prestes a tomar, Paulo passou gel na caminha e começou a enfiar o poste de carne negra dentro da buceta depilada e rosada da minha amiga. De onde eu estava, via seus grandes lábios se abrindo, a tora foi abrindo passagem e Mara apenas respirava com dificuldade enquanto era preenchida pela rola do nosso amigo.

Mara parecia não ter mais força, mas nem a metade da rola havia entrado. Aulo então começou a bombar lentamente a boceta da minha putinha enquanto ela enfiava a cara no travesseiro a fim de abafar seus gemidos. Paulo com uma das mãos segurou pela anca e com a outra puxou-a pelos cabelos e o quarto foi invadindo pelos gemidos e urros que Mara emitia a cada estocada.

Paulo a comeu de quatro, colocou ela de pé apoiada na parede, comeu no sofá e na bancada. Perdi as contas de quantos orgasmos Mara teve até que Paulo saiu de dentro de sua boceta totalmente inchada e arrombada e sinalizou que queria comer seu cuzinho.

Inicialmente Mara recuou, mas ele segurou pela cintura, passou gel nos dois dedos e meteu nela sem dó. Mara gemeu mas abriu as penas para facilitar a lubrificação. Paulo retirou a camisinha e lambuzou a rola de gel dizendo que agora ele iria encher o cu dela de porra.

Mara se assustou mas se manteve quieta. Paulo encostou a cabeçorra na porá do rabinho dela e forçou a entrada. Um gritou forte de dor era o sinal que a cabeça havia entrado. Mara não se aguentava mais e a cada centímetro que entrava ela gemia ainda mais alto. Tapas foram desferido com força contra a sua bunda e quando eu comecei a me preocupar com a minha amiga, ela me chamou e pediu para chupar o mau pau. Parei em frente ao seu rosto e ela me abocanhou com força enquanto Paulo destruía seu cuzinho enfiando quase que os 24 centímetros daquela rola grossa para dentro dela.

Com uma das mãos, Mara se masturbava e rapidamente seu orgasmo veio, em seguida Paulo gozou uma quantidade absurda de porra dentro do rabo dela deixando a porra escorrer de dentro de um buraco gigantesco que tinha inclusive umas marquinhas de sague devido ao estrago que o nosso amigo havia feito.

Terminando os três deitados na cama, bebendo vinho e conversando. Descobrimos que Paulo é médico formado, solteiro, 40 anos e joga futebol americano nas horas vagas.

E foi assim que a minha amiga realizou a sua fantasia. Nesse dia a minha única participação foi gozar na boca dela enquanto Paulo destruía seu rabinho lindo.

Quando saímos do Motel, Mara e Paulo ainda foram se pegando no banco de trás do carro e ela ainda pagou um novo boquete para ele com direito a leitinho quente na boca. Deixamos nosso amigo na porta da casa dele e seguimos para casa da Mara. Ao descer do carro, ela tinha uma certa dificuldade de andar, mas pelas suas mensagens, ela havia adorado e estava pensando seriamente em ser comida por três homens ao mesmo tempo: eu, Paulo e mais um que iremos convidar.

Quem sabe eu tenho uma nova historia para vocês.

Beijos a todos.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.