"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Fodas da primeira namorada - p


autor: aldebaran1985
publicado em: 10/12/15
categoria: grupal
leituras: 3711
ver notas
Fonte: maior > menor


Sempre namorei mulheres gostosas. Tive muita sorte com mulheres. Acho que, de fato, alguns nerds estão na moda.
Minha primeira namorada era, além de gostosa, linda. Começamos a namorar com 17 anos. Nossa primeira vez foi juntos, e foi lindo. Daria uma boa história. Mas, seria uma história mais romântica que erótica.
A boa história aconteceu após um ano de namoro.
Já havíamos feito muitas coisas. Ela era louca por sexo anal (acreditem, há mulheres que gostam), fizemos em todas as posições anatomicamente possíveis, em muitos locais públicos. Tudo ia bem.
Na época, isso era em 2004, eu não manjava nada de internet e vídeos pornôs não eram fáceis de assistir como hoje. Não havia nem youtube, quem dirá youporn. Entretanto, havia um site, chamado call-kelly, que tinha fotos. Muitas fotos. De todos os tipos. Muita putaria. Eu salvava em disquete e levava pra olharmos em casa, juntos. E trepávamos na frente do PC. Era espetacular. Dois jovens, com 18 anos, aprendendo sobre sexo juntos, olhando fotos pornôs. Era maravilhoso.
Um dia, olhando uma foto delicada, com um cara metendo a mulher de quatro, enquanto ela chupava uma xotinha de uma outra loirinha deitada de pernas abertas, minha namorada soltou essa: "que bucetinha linda, eu adoraria chupar".
Imediatamente, eu perguntei se ela realmente queria. Conversamos e decidimos tentar algo desse tipo.
Entramos em um bate papo e conhecemos um casal. Eles curtiam transar no mesmo ambiente e ela curtia mulheres. Achei interessante.
Trocamos fotos por MSN, conversamos muito, nos ligamos. Um dia, resolvemos: vamos nos encontrar.
Marcamos num bar em Porto Alegre e encontramos o casal. Ela era linda também, assim como minha mulher. Conversamos um pouco, entramos no carro deles e fomos para um motel.
Lá, muito envergonhados, começamos a conversar. Eu alisava minha garota, eles se alisavam. Aí fomos perdendo o medo. Tirei meu pau pra fora, recebia um boquete, enquanto o casal fazia o mesmo. Que tesão. Trepamos por ali, foi muito bom. Mas, ainda havia receio.
Fui tomar um banho, o cara resolveu ligar a televisão, que estava fora da tomada. Eu entrei no banheiro, liguei o chuveiro, esperei esquentar, mas percebi que não havia levado a toalha. Voltei ao quarto. O cara estava próximo a porta do banheiro, mexendo nos fios da tv que pareciam uma massaroca. Olhei pras duas mulheres, não acreditei: elas se beijavam com uma ferocidade impressionante.
Aí a coisa ficou boa, fomos pra cama e só as alisamos, ajudávamos. Elas se chupavam os seios durinhos, as xotinhas pingavam. Elas estavam babando pela xotinha, pois recentemente tinham trepado e gozado gostoso. Era maravilhoso. E ficou melhor. Violentamente, a loirinha do cara pegou minha namorada pelos ombros e a jogou na cama. Abriu as pernas dela e caiu de boca. Chupou minha mulher, que se contorcia de prazer.
De bunda pra cima, o cuzinho rosado apontando pra cima. O namorado dela não se aguentou, meteu nela. E eu, pra não ficar só olhando, dei meu pau pra minha mulher chupar. Os quatro fodendo, uma delícia.
Daqui a pouco o cara tira o pau da mulher dele, me manda pegar uma camisinha. Eu, receoso, olhei pra minha mulher, ela me mandou ir. Botei a camisinha, fui nela e meti na xotinha da loirinha. O cara me puxou e disse: "cara, se fosse pra comer o buceta da minha mulher, eu mesmo comia, mete no cú dela".
Eu meti a mão na xaninha dela, puxei um monte de babinha e molhei o cuzinho rosa. Com calma, aos poucos, fui metendo no cuzinho dela, que gemia baixinho. Ela, no meu vai e vem, chupava minha namorada e se masturbava.
Pensei que o cara ia querer que minha mulher chupasse ele, mas ele se limitou a ficar na punheta. Eu, realmente, não queria ver o cara com o pau na boca da minha mulher, e ele não foi.
Comia a mulher dele, na frente dele. Na frente da minha mulher.
Minha namorada, vendo que não ia chupar o pau do cara, saiu da guria loira, se deitou ao contrário, e meteu a boca na xota da guria, deixando a xota dela pra loirinha continuar. Um lindo 69 com meu pau no cú da guria.
Quando eu não aguentava mais segurar, o cara que batia punheta gozou, muito apesar de já ter gozado anteriormente. Aquele parece ter sido o gatilho e todos gozaram.
Ficamos os quatro na cama, relaxando. Rindo e conversando.
Fomos embora e não marcamos mais nada. Aquela foi a última vez que nos reunimos com eles como casais.
Mas, não foi a última que vimos os dois.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.