"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Esperando o ônibus


autor: iloveContos
publicado em: 14/12/15
categoria: hetero
leituras: 92105
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá, me chamo kelly tenho 19 anos sou baixinha, tenho 1,59 de altura porém como toda baixinha é gostosa eu não me considero diferente
Acordei cedinho 6 horas da manhã, éra segunda-feira dia de trabalhar, segunda feira ja é um um tédio, e pra piorar acordei cansada. Levantei da cama fui direto pro banheiro tomar um banho, eu estava um pouco exitada, então eu resolvi se masturbar pra animar um pouco meu dia...
Terminei o banho, tomei um café rapidinho e sai 7:30 pra trabalhar, peguei o primeiro ônibus que passou.
Você deve ta se perguntando onde eu trabalho.
Sou uma atendente de sex shop, e como atendente tenho mostrar uma boa aparencia para as pessoas, mas como eu trabalho em um lugar erótico, eu tenho que me vestir com uma roupa mais sexy. Estava com uma blusinha tomara caia com detalhes aberto nas costas sem shutiãn, e uma sainha curta vermelha xadrez. Isso chamava a atencão dos homens que compravam produtos na loja, eles vinham quase toda semana só para serem atendidos por mim, e claro, sempre me cantavam, e eu como nao sou boba nem nada, tirava uma casquinha disso. Sempre que podia esbarrava a minha bunda no pau deles quando eu ia pegar produtos nas prateleiras de baixo, depois dava aquele olhar de safada e ao mesmo tempo um sorriso dizendo que foi sem querer, aquilo deixava eles loucos por mim ai ficava facil de fazer eles comprar e mais comissão eu ganhava. Nunca fui de querer transar com os clientes que eu atendia , mas alguns me deixavam louca de tesãoq.
Depois das 18:00 era hora de eu ir para casa descansar, sai do sex shop e fui pro ponto de ônibus, mas quando eu estava indo pro ponto, algo me chamou atenção na televisão de um bar, estava dizendo no jornal que os onibus estavam de greve e que só iam sair de greve depois das 21:00.
Horas. O unico jeito era esperar no ponto mesmo pois eu estava sem dinheiro pro taxy tinha apenas meu cartão de onibus.
Onde eu estava era meio perigoso pra uma garota, os unicos que passavam naquela rua era os que ia esperar onibus, e como tava em greve ninguem ia esperar a não ser eu.
Depois de um tempo ja estava escuro a unica luz que clariava éra a luz da perfeita lua cheia da noite. Eu vou confessar que estava com um pouquinho de medo da noite até que eu ouvi um barulho, olhei para minha esquerda ai paralisei. Em minha direção vinha um rapaz muito perfeito, nunca tinha visto homem tão bonito igual aquele, alto cabelo pretos mal pentiados mas que deixava aquele aparencia de sedutor, ele tinha os olhos castanhos claros, estava de camiseta apertada que dava pra ver aqueles belos e lindos musculos definidos aquilo me deixava pirada. Ele se aproximou de mim e perguntou:

- oq uma moça tão linda, faz sosinha nesse ponto escuro?

- É que o os ônibus ta em greve e vai voltar a funcionar só as 21:00 ai resolvi esperar.

Como ele era lindo.. ele perguntou se podia esperar comigo até o onibus vim, não demorei pra responder Sim .
Sentados no banco do ponto, começamos a conversar, o nome dele éra Daniel, nome lindo pra um cara mais lindo ainda, tinha 25 anos, solteiro disse que trabalhava em uma academia.. éra de se esperar daquela barriga perfeita que ele tinha, corpao sarado , delicia de homem.
Depois de um certo tempo conversando, ficamos sem assunto, ai ficou aquele silêncio no ar que só dava pra ouvir o barulho dos grilos cantando e dos carros bem longe. Chegou uma hora que não aguentei aquele silêncio, nunca tinha visto um cara tao gostoso que nem aquele e eu não podia deixar ele ir sem uma bela despedida.
   Eu estava um pouco afastada dele no banco do ponto, então arrastei minha bunda bem devagarinho ao lado daquele homem, aquele perfume que ele usava me deixava doida, fazia qualquer mulher se apaixonar, entao coloquei minha mão na coxa dele, ele me olhou fixamente em meus olhos colocou mão em minha nuca, e me puxou para os labios dele, começou a me beijar bem devagar, ele passava a lingua em toda o interior da minha ,dando aquela sensação maravilhosa, mordia os labios dele igual uma cachorra nervosa. Depois de alguns minutos se beijando eu resolvi ir mais além, peguei firmemente o penis dele com minha mão, aquele penis devia ter uns 18 centimetros groso e tava muito duro. Depois disso eu finalmente despertei a safadeza dele, ele colocou a mão direita dele dentro da minha blusa e agarrou meu peito acariciando o bico, e a equerda ele colocou na minha coxa enquanta deslizava devagarinho pra dentro da minha sainha.
Em pouco tempo ele ja estava acariciando minha bucetinha por fora da minha calcinha que ja estava enxarcada de tesão, ai ele puxou ela pro lado e colocou o dedo dentro de mim, quando senti ja estava fazendo uma siririca bem gostosa em mim, e eu gemia mordendo os labios dele com mais força. Resolvi abrir o ziper dele, parei de beijalo e perguntei
- Posso te chupar?
olhando pra ele com a maior cara de safada.
- Fique a vontade minha delicia!!!
ele respondeu.
Coloquei o pau dele pra fora do ziper, com a maior dificuldade porque era dificil pois estava muito duro e tbm ele estava de cinta, eu não ia pedir pra ele tirar a cinta, se não ele ia ter q levantar e ia cortar todo o clima.
  Levantei, fiquei de frente pra ele, e me agachei , enquanto ele estava sentado eu passava a lingua na cabecinha do penis dele que estava saindo aquele liquido delicioso que eu chamo de tesão. ele agarrou meu cabelo com uma mão, e começou a puxa-lo com força fazendo minha boca engolir o  pau dele  cada vez mais fundo. Quando eu vi que ele estava quase gozando eu parei de boquetear ele , pois não queria que ele enchesse minha boca de porra, entao levantei e coloquei a cabeça daquele rapaz pra dentro da minha blusa, fazendo ele chupar meus peitos.  Ele estava com muito tesão e denovo, colocou a mão pra dentro da minha saia e enfiando o dedo cada vez mais forte pra dentro da minha buceta. Ai derrepente ele tirou a cabeça pra fora da minha  blusa, e com as duas mãos puxou minha calcinha pra baixo.
Agora é a hora pensei.
Ajudei ele a  tirar minha calcinha, e coloquei na minha bolsa. Minha buceta estava muito molhada. Ele levantou minha saia pra cima, ai  fui sentando de frente no colo dele,levando minha bucetinha direto pra cabecinha do pau daquele homem maravilhoso com a ajuda da minha mão. Eu cavalgava naquele pau delicioso enquando gemia no ouvido do rapaz. Ele éra um pouco timido, pois não gemia muito, mais dava pra ver a expressão de prazer que estava no rosto dele. Comecei a cavalgar mais rapidamente naquele penis, mordendo a orelha dele de tanto tesão. Comecei a arranhar o pescoço dele, ai então ele colocou a mao no meu peito e começou a aperta-lo .
- Que deliciaaa!!!!
Sussurrou ele
Aquelo éra o sinal que ele ja estava pra gozar. Como nós não estavamos usando camisinha, e eu não queria correr o risco de engravidar de um estranho, levantei do colo dele me ajuelhei e comecei a bater pra ele rapidamente fazendo jorrar porra em toda minha cara.
- Aiiiiiii que nojoo Daniel
- aahhhh, desculpa moça não fiz por querer
Comecei a rir,  e descupei o rapaz. Limpei o rosto com a minha calcinha, o jeito era ir so de saia pra casa. Ele guardou o pau dele pra dentro da calça, e sentei no banco de novo.

- Quando irei te ver denovo Daniel?

- (risos)  Bom ja são 20:55 teu onibus ja deve ta vindo!

  Eu fiquei olhando pra ele meio que hipnotizada. Ele então levantou me deu um abraço bem forte, um beijo na testa, e saiu.
- Cafageste! Me come e vai embora!!!
Disse comigo mesma.
Então la na esquina daquela rua escura vejo os faróis do meu onibus. Subi nele e fui para casa. Cheguei em casa fui direto pra cama, nem tirei aquela roupa pra dormir, porque ainda queria desfrutar do perfume, daquele lindo e maravilhoso rapaz.

Snap : orafabr




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.