"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Pyetra, minha primeira vez


autor: Pocahninfa
publicado em: 06/01/16
categoria: hetero
leituras: 3862
ver notas
Fonte: maior > menor


Eu sempre fui tímida, não gostava de ficar aparecendo. Um dia eu estava em uma boate com alguns amigos, mais não estava tão no clima e então decidir ir embora.
O meu caminho de volta era longo, quase meia noite e não sabia se ainda haveria ônibus naquele horário, fiquei no ponto e logo chegou uma moça. Estatura média, encorpada e bem branquinha com algumas tatuagens. Ela acendeu um cigarro e ficou ali, parada. Mas já em seguida o meu ônibus chegou e para minha surpresa ela também entrou … Ela sentou na cadeira da frente e ficou olhando pela janela, eu não sabia porque olhava tanto pra ela. Afinal ela nem sequer me notou. Em uma curva do ônibus a bolsa dela caiu e ela ficou aparentemente preocupada, desceu rapidamente para pegar tudo que tinha caído, mais acho que não contava que algo tinha rolado pra perto de mim, então me abaixei e assim que peguei automaticamente comecei a rir. Era um vibrador! Fiquei espantada porque nunca tinha usado e fiquei me pergunto o quanto ela gostava pra carregar dentro da bolsa.
Então, toquei seu ombro e assim que ela virou simplesmente falei: deve ser seu, e ela riu e disse obrigado. Deu pra notar suas bochechas corarem. Começamos a bater papo, se apresentou, falei meu nome para ela, e ela me disse seu nome, se chamava Pyetra. Diante daquela situação embaraçosa saiu algo de bom. Então 5 pontos antes do meu ela me deu seu número e desceu. Começamos a conversar por mensagem e depois de um certo tempo ela queria me encontrar novamente, marcamos em um motel, pois não nos conhecíamos direito, não iria levar uma pessoa desconhecida para o meu apartamento
Então o motel era o único lugar. Quando chegamos Pyetra não perdeu tempo, começou a pegar minha mão, me acariciar e perguntou se eu queria beija-la então disse que sim, porém, nunca tinha tido uma experiência como essa. Começamos a nos beijar e o clima naturalmente esquentou. Pyetra era linda, começou a tirar minha roupa e tirava a dela na mesma intensidade, eu estava ali sendo controlada pela aquela branquinha linda. Ela sentou no meu colo e começou a rebolar e que rebolado ela tinha, meu corpo estremecia sentindo a pele dela deslizar sobre a minha, mais não aguentei por muito tempo, puxei-a e lhe dei um beijo rápido e quente. Pyetra começou a descer com aquela boquinha rosada pelo meu corpo, primeiro disse que queria sentir o gosto dos meus seios que eles eram apetitosos, ficou ali por uns 2 minutos os sugando e se aproveitando dos meus gemidos que eu já começara a soltar, e sua boca foi ficando mais quente e descendo pela minha barriga e eu já estremecia , minha buceta deu sinal de vida nesse exato momento, latejando freneticamente. E o que era imaginação em segundos começaram a ser gemidos em alta intensidade, Pyetra estava me chupando de uma forma tão excitante que eu não conseguia controlar meus movimentos e minhas palavras e aquele olhos me olhando com aquela cara de safada me faziam pedir mais e mais e ela não se negava, soltava um riso safado e me sugava com mais vontade e aquele movimentos da sua língua me fizeram ter o primeiro orgasmo, que delícia ! E é claro, como vocês estão imaginando não acabou por ai, eu queria mais e vi que ela queria o mesmo. Ela se levantou e entrou no banheiro, fiquei sem saber o por que, mais quando voltou me vi em uma situação engraçada e excitante ao mesmo tempo. Pyetra gostava de dominar, e queria me amarrar.
Confesso que fiquei com medo, mais as imagens passando pela minha mente falaram mais alto e aceitei. Ela veio com uma fita e se encaixou entre minha pernas e com jeitinho amarrou minhas mãos e pediu para que eu virasse de costas , simplesmente obedeci . E quando sentir o calor de Pyetra perto de mim sentir também um algo a mais, e percebi que ela estava com um cinta… Que loucura, nunca tinha passado por isso ! Ela então pegou em meu cabelo e me beijou com força e em seguida me fez abaixar e chupar todo aquele consolo da cinta, eu embora achasse estranho não reclamei porque abria os olhos e via aquela buceta pequena rosadinha de Pyetra ali me esperando, e continuei chupando e já estava molhado o suficiente pra entrar sem dor, então Pyetra me jogou na parede e me fez ficar de costa, então colocou o consolo entre a minhas pernas e eu abri para que ela metesse gostoso tudo aquilo, e como em meus pensamentos ela começou a enfiar devagar , enrolou sua mão no meu cabelo e foi acelerando seus movimentos, e foi enviando tudo e eu gemia alto, era mais forte que eu, ela segurou em meus seios enquanto metia e mordia minhas costas, acariciava meu anel do anus, era tanta sensação ao mesmo tempo que gozei novamente naquele consolo grande e grosso.
Agora era minha vez, queria fazer aquela branquinha gozar bem gostoso, e foi então que comecei beijar ela e ela respondendo por igual, então coloquei meus dedos dentro da sua bucetinha que por sinal era bem apertadinha, já estava quentinha e bem molhadinha, fiz movimentos suaves entrando e saindo e Pyetra ali toda gostosa rebolando na minha mão. Mais eu queria mais, queria sentir o gosto de Pyetra então não demorei pra abrir suas pernas e começar beijar toda sua coxa, Pyetra me olhava e falava “eu quero você”. Comecei chupar aquela buceta rosadinha, depiladinha e que gosto bom que ela tinha, eu só pensava em faze-la gozar na minha boca e não muito demorado sentir o mel de Pyetra escorrer pela minha boca.
Ela não estava cansada e logo me chamou e pra minha surpresa ela pediu para que eu usasse a cinta pois gostava de sentir algo dentro dela, então coloquei a cinta e me deitei, Pyetra veio por cima mais de costas pra mim e logo sentou fazendo com que o consolo sumisse dentro do seu cu, comecei a me movimentar não tinha experiência alguma, então fui com calma, Pyetra pelo contrário se movimentava de forma rápido e gemia alto e gostoso pedindo mais e na intensidade do movimento meus movimentos ficaram rápidos e fortes fazendo Pyetra gritar e cada vez mais empurrava seu cu contra o consolo em busca de mais prazer e eu não podia negar então me movia de acordo com seus gemidos pediam e ela me apertava e soltou “mais rápido, já gozei duas vezes nesse seu caralho gostoso” e o meu tesão estava tão grande vendo ela rebolando pra mim que gozei mais uma vez junto a ela. Então ela saiu e me beijou e disse “fazia tempo que não gozava assim”. Retribui o beijo, e deitei na cama, e ela por cima, fizemos um 69 incrível, enfiava minha língua no seu cu e na sua buceta, ela por sua vez, chupava meu grelo e enfiava um dedo de cada vez dentro de mim. Brincando com o meu cuzinho, apertadinho e virgem, forçando um dedo eu gemia alto, então ela levantou, parou de me chupar, foi até sua bolsa e veio com outro consolo e um lubrificante me ordenou ficar de 4, brincando com a minha buceta e já se encontrava babando no meu cuzinho todo, tacou lubrificante, puxou meu cabelo para traz e disse: M, se prepara sua puta, por que esse cu hoje vai ser todo meu, em uma estocada só enfiou o consolo inteiro no meu cu, não sabia se chorava, se gritava, se gemia , puta que pariu, literalmente fui arrombada, que dor, que prazer... Em um ritimo frenetico ela socava no cuzinho apertado e ao mesmo tempo brincava com a minha buceta, não demorou muito gozamos ao mesmo tempo. Tomamos um banho, pagamos a conta e fomos embora.
Nunca mais mantivemos contato, espero um dia poder reencontrar Pyetra. é difícil esquecer a "primeira vez".




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.