"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Panela velha é que faz comida


autor: Cleutton24
publicado em: 18/01/16
categoria: virgindade
leituras: 5413
ver notas
Fonte: maior > menor


Era de manhã quando acordei com os raios de sol atravessando a janela do meu quarto e tocando minha face.

"Tenho que comprar uma cortina ou persiana escura para colocar nesta janela, pensei comigo após abrir os olhos"

Fiquei imóvel por cerca de trinta segundos até perceber que, o que me acordara não era os raios de sol. Mas o gemidos alternados de uma mulher que vinha do quarto ao lado do meu. Levantei tranquilamente fiquei sentado na cabeceira da cama por mais um minuto, me espreguicei, bocejei, e fui direto a porta do meu quarto na qual tinha um espelho fixado. Fiquei me observando um pouco, cada detalhe do meu corpo. A pele negra clara, as coxas grosas bem torneadas e divididas, os olhos meio puxados que escondia um ar de inocência e malícia, a boca com lábios rosados e canudos, costas largas e uma barriga esguia e magra. Não totalmente sarada mas lisa e agradável de se ver.

"Nada mau para uma pessoa que na adolescência já chegou a pesar 146Kg"

Estava numa cueca box de cor preta que deixava mais nítido meu bumbum duro e impinado. Dei um leve sorriso e disse comigo mesmo.

- É isso ae Cleutton! Você conseguiu.

Os gemidos que vinham do quarto ao lado do meu se intensificaram, então eu dei uma leve risada e disse:

- Filho da puta! Já está se divertindo a essa hora da manhã e nem convida seu colega de apartento.

Vesti uma samba canção e abrindo a porta do meu quarto me direcionei a cozinha. Abri a porta da geladeira e retirei uma bandeija de presunto, uma de queijo, um pacote de suco e um pacote de pão de forma.

Enquanto preparava meu café da manhã eu fiquei imaginado no que tinha me acontecido até aquele momento. Não podia está mais feliz! Satisfeito! E com novos planos e objetivos na cabeça.

" Era 12 de janeiro de um ano que mau tinha começado e tinha tudo para ser O ANO"

Tinha acabado de receber a notícia que fui aprovado em 10° lugar no curso de Geografia na universidade estadual. E tinha alugado um apartento com um grande amigo, e me libertado das rédeas que me sufocavam na outra residência a qual morava de favor.

"Não que eu esteja sendo mau agradecido ao casal que me abrigou e me deu casa e comida. Mas de certa forma o ano anterior ao que eu estava foi muito turbulento e cheio de aprendizados. já que agora eu estava no melhor momento para botar tudo que aprendi em prática estava mais que ansioso e feliz por isso.

Os gemidos ficaram mais altos e mais intensos. A jovem que por sinal tinha uma bela voz gritava assim:

- Vai, isso assim! Estou quase lá! Vaí seu puto safado! Ahhhhhh!

Até que a moça explodiu num gozo que se ecoou por todo AP. Aqueles gemidos eram tão altos que seria impossível que os outros moradores do corredor daquele andar não ouvissem. Achei aquilo muito excitante e engraçado.

Já estava terminando meu café da manhã quando a porta do quarto do meu colega abriu. Eu estava encostado no balcão da cozinha quando vem em minha direção a dona daqueles gemidos enrolada numa toalha. Ela me viu e disse:

- Oi! Você deve ser o colega de apartamento do "Gidel"

- Você poderia me dizer onde fica o banheiro por gentileza?

- Sim! Claro! Primeira porta a esquerda no corredor.

- Ah sim! Obrigadinha!

Respondeu ela com uma voz doce.

A jovem da qual não me recordo o nome era uma mulher que aparentava ter seu 23 anos. Tinha pele morena clara, tinha em torno de 1,60m, cabelo cacheado, uma bundinha empinada e redondinha, cintura fina, coxas grosas e seios medianos e enrrigessidos. Um tesão de mulher.

Depois que a jovem saiu do banheiro veio de novo até a cozinha onde eu estava e disse:

- Muito obrigado você é muito gentil. Como você se chama?

- Ah não tem de quê. Me chamo Cleutton.

- Prazer! Posso te fazer uma pergunta Cleutton?

- Sim

- Por acaso eu estava fazendo muito barulho?

Nessa hora eu dei uma leve risada e falei:

- Olha tirando a parte que você me acordou e provavelmente todos os outros vizinhos desse bloco, acho que não estava tão alto assim seus gemidos.

"A buchecha dela ficou corada"

- Aí que vergonha meu Deus. Me desculpe por ter te acordado, é que eu sou assim meio escandalosa naquelas horas.

- Não precisa ter vergonha, não me incomodou de forma alguma. Eu estava precisando levantar cedo mesmo.

Estávamos num papo até legal que eu pensei que iria render em algo mais, quando o Gidel aparece na cozinha enrolado numa toalha e diz:

-Cleuttinho!? Acordado a essa hora!?

- Pois é baitola! Acordei com o barulho de vocês dois brincando.

Nós três rimos e a jovem morena foi pro quarto se vestir. Foi quando eu perguntei a Gidel em tom baixo de voz:

- Ei viado! Quem é essa delícia ae!? Não vai nem dividir o pão com o próximo?

Ele riu e falou:

- Mano nem te falo, tava fotografando a festa do Gleydson ontem a noite e quase no final da festa ela me chama no canto e papo vai e vem eu botei ela dentro do carro sem quem ninguém visse e vim embora. Ela é casada com o

"(Nota *Não irei falar o nome do corno, ops, digo, cidadão, mas é um homem bem influente aqui na minha cidade)"

- Caraca Gidel tu é doido mesmo. Já pensou se alguém te ver com ela?

- O marido dela tá viajando, por isso ela já está indo, pra não da B.O

A jovem sai do quarto vestida e se despede de mim com um sorriso. E Gidel à acompanha até a portaria onde ela pegaria um táxi. Nunca mais cheguei a ver a moça novamente.

"Na época que eu e Gidel dividiamos Apartamento ele tinha 34 anos. Cabelo grisalio, branco e com uma barriga de Chopp. Ele dizia que era calo sexual Kkk."

Gidel trabalhava como promouter de festas e eventos de pequeno e grande porte, além de fotografar as mesmas. Sempre ganhava cortesias para os shows de cantores famosos e me chamava pra ir junto. Já o conhecia a muito tempo, "desde a época do meu ensino fundamental" e quando estava prestes a sair da casa do qual eu morava de favor eu procurei apartamento para alugar, apenas coincidiu que ele também estava procurado e decidimos fazer essa parceria.

Quando Gidel retornou da portaria eu já havia tomando banho. Ele me perguntou se eu tinha algum lugar pra ir a noite.

"Era sábado e eu só trabalhava de segunda a sexta"

Respondi que ia igreja mas que tinha estaria livre depois das 21:00pm(nessa época eu ainda freqüentava a igreja, hoje em dia visito de vez em quando)

- Pois bem! Hoje irei fotografar uma festa sertaneja e gostaria que viesse comigo. Só sairei de casa depois das 22:00

- Tudo bem! Estarei aqui antes das dez.

- É hoje que tu perde esse teu cabaço Kkk, "disse Gidel com uma grande malícia"

Sim vocês não leram errado. Eu ainda era virgem, para padrões da sociedade masculina eu já estava mais do que na hora de comer uma xoxota molhadinha. E sinceramente, eu também pensava a mesma coisa.

"Apesar de ser virgem o meu comportamento não era de um, eu sabia converssar com qualquer tipo de mulher sobre qualquer tipo de assunto (principalmente sexo) normalmente sem travar ou demonstrar nervosismo. Não tinha dificuldades em ficar com o sexo oposto(só que era somente beijo na boca e mãozinha dada e nada mais) eu tinha feito um juramento de castidade. Nada sexo antes do casamento!"

-Ah fala sério!

"Meus antigos conceitos estavam indo pro espaço! E a minha virgindade seria umas das primeiras a pegar uma passagem só de ida"

Chegada a noite fui para a igreja normalmente e assisti ao culto. Não consegui me concentrar na palavra do pastor pois minha mente estava no que a noite me reservaria mais tarde. Terminado o culto ainda fiquei uns vinte minutos batendo papo com os amigos na porta da igreja. Eles me chamaram para ir na pizzaria, pois todo sábado íamos. Disse que nesse sábado não iria dar pra me ir, e que no próximo sábado eu iria. Me despedi da galera, montei em cima da minha moto(uma bizz) e fui direto pra casa.

Chegando em casa Gidel já estava me esperando, fui no meu guarda roupa e vestir uma camisa diferente da que eu estava usando. Uma camiseta social xadrez, pra ficar a caráter da festa. Gidel olhou e disse:

- Metrosexual baitola Kkk

- Que nada viado Kkk

"Sempre fui muito vaidoso e gosto de me cuidar, andar cheiroso e bem vestido sempre foi muito importante pra mim"

Tudo ok! Fomos no carro de Gidel, chegando no local da festa o lugar estava bem movimentado. Tivemos dificuldades em achar uma vaga para estacionar, uma vez que estacionamos nos dirigimos a portaria. Gidel me apresentou para os seguranças que já o conheciam e eles liberaram minha entrada.

Mau entramos na festa e veio quatro mulheres abraçando e beijando o rosto do Gidel (Ele era tipo o famoso da balada que todo mundo conhecia por cobrir várias festas). Depois dos abraços e comprimentos Gidel tirou fotos das quatro amigas. Uma delas notou que eu estava ali próximo o tempo todo e perguntou:

-Gidel quem é esse seu amigo? Não vai nos apresentar não?

Então Gidel respondeu:

- Meninas esse é meu amigo que eu disse que iria trazer, o nome dele é Cleutton mas podem chamar de Cleuttinho que ele não liga Kkk.

Umas das mulheres disse:

- Esse moreno é um pedaço mal caminho (disse me olhando de cima a baixo mordendo os lábios)

"Nessa hora eu me liguei! Ele já tinha ajeitado todo o esquema, tinha me colocado de frente pro gol, sem goleiro, aos 45 do segundo tempo, era só chutar a bola e comemorar"

Me apresentei devidamente para as moças. Uma delas disse:

- Nossa que voz linda você tem? Você canta?

- Só no chuveiro Kkk , respondi.

- E ainda por cima é bem humorado e educado. Um sonho!

"Na verdade eu cantava sim, fiz parte do vocal principal da igreja por 5 anos entre outras coisas que fazia por lá, mas isso não vem ao caso"

As quatro mulheres se chamavam Elitânia, Elisangela, Tamires e Soraya. Elitânia e Elisangela eram irmãs, tamires era sobrinha de tânia e Elisangela e Soraya só era amiga sem nenhum parentesco.

Tânia tinha 38 anos era um pouco mais baixa que eu, ela estava usando um vestido tubinho branco. Deixando a mostra as belas coxas. Ela tinha o bumbum impinado, seios fartos cintura média, barriguinha saliente mas bonita e seu cabelo faltava um palmo para alcançar o bumbum.

Elisangela tinha 42 anos era gordinha e tinha seu charme, cabelo na altura dos ombros e parecia ter a pele macia e bem cuidada.

Tamires tinha 25 e era mais altas que suas tias, morena, cabelo bem cacheado seios enormes que mau cabiam na blusa azul de seda que usava. Coxas grossas e cintura fofinha e traseiro bem redondo. Tamires ficava naquele limiar de nem gorda nem magra.

E por último Soraya. Que mulherão Soraya era, 1,80cm de pura gostosura, ela estava vestida pra matar naquele dia. Dona de lábios canudos, uma bunda perfeita, seios fartos, coxas grossas, cabelo na altura do bumbum. Por onde passava chamava atenção.

Logo depois se me apresentar Gidel disse tinha duas mesas reservadas para ele, então partimos em nos acomodar sentamos nós seis e pedimos logo dois baldes de cervejas e petiscos. Estavamos todos a vontade, rindo, conversando, e ouvindo a banda tocar, arrochas e moda sertaneja.

Gidel chegou no meu ouvido e disse que iria começar a tirar fotos da festa e depois voltaria. Eu disse beleza! Antes de ir ele sacaneou comigo legal. Bateu na mesa chamando a atenção das mulheres e disse:

- Meninas cuidem bem do Cleuttinho pois ele é virgem!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.