"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha esposa alargando o cuzin


autor: wk1wk2wk3wk4
publicado em: 23/01/16
categoria: grupal
leituras: 16714
ver notas
Fonte: maior > menor



Bem, para aqueles que ainda não leram os meus contos anteriores eu sou casado a 5 anos, minha esposa tem 40 anos, é baixinha, 1,55, morena, coxas grossas, buceta rosadinha, bunda gostosa (agora ainda mais) e seios fartos (que adoro chupar).

Na semana seguinte ao final de semana em que minha esposa me corneu com 6 homens, na quinta feira chegaram os brinquedinhos que comprei para ela alargar o cuzinho, pois ela quer dar o cu também, mas tem medo.

Cheguei em casa mais cedo com a encomendo, já que ela tinha chegado no meu escritório. Passei a tarde inteira imaginando aqueles brinquedinhos no rabo da minha amada. Quando ela chegou fui logo avissando:

- Mor, chegarando os seus consolos.

- Deixa eu ver, mor, deixa eu ver. – Ela abriu a caixa e se assustou: - Nossa mor, que tamanho, isso não vai entrar no meu cú não.

O primeiro que ela viu tinha 25X6,5cm, e realmente era muito grande, mas havia comprado mais, um de 18X4,5cm, outro de outro de 16X4cm e um menorzinho de 14X3,5. Ela olhou todos, mas gostou mesmo foi do de 25, olho para mim com aquela carinha meiga, com o consolo do ladinho do seu rosto e me diz:

-Mor, quero esse ainda hoje no meu rabo. Será que consigo?

Respondi: - Como você é corajosa, tenho certeza que sim. Perai que vou pegar o KY.
Fui pro quarto e ela foi colocar uma música. Quando cheguei estava tokando um funk, que segundo ela me falou é música de periguete, e ela seria uma putiguete. Logo se pôs no sofá com as pernas abertas, buceta já meladinha, com o cú arreganhado e me pede para passar Ky no seu cúzinho, o que fiz de pronto. Começou com o menorzinho, que com a vontade que estava não deu nem pro começo, enfiou quase a metade de uma vez.

-Nossa mor, parasse que não é a primeira vez que enfia algum no seu cú. – Ela rebolara e enfiava mais e gemendo me dizia.

- Imagina mor, uma negão comendo o cuzinho da sua esposa, imagina a pica dela entrando, olha como é um pinto entrando no cú, olho – e eu filmando tudo – Ai, ai - E enfiava mais, os 14 centímetros já estavam todo dentro do rabo da safada. Olha mor, não para de olhar, quero que vc imagine um macho fudendo o cú da sua esposinha linda, que você tanto ama, imagina.

- Estou imaginando mor, mas esse consolo é pequeno para o macho que estou imaginando para você – Tirei aquele consolo e dei-lhe o segundo, de 16cm, passei mais KY e ela enfio esse de uma só talatada, e deu um puta berro – Caraaaalhooooo – Apesar da música, os vizinhos devem ter ouvido.

– Ai mor – gemia ela – Você sabe escolher rola para sua esposinha, né? Que rola gostosa enfiada no meu cú, e enfiava e tirava aquele caralho de plástico do seu rabo. Nessa hora toca o telefone, e era o seu chefe. Ela olha para o telefone e me diz, vai continua socando no meu rabo que vou atender.

- Oi Sr Marcos, o que está precisando. (com aquela vozinha de quem está quase gozando) – Está tudo bem sim, o que o senhor precisa hoje. Precisava levar aqueles relatórios na reunião, poxa vida, em 40 minutinhos estou aí.

E eu continuando a socar naquele cuzinho gostoso, já todo arreganhado, a buceta toda melada. Ela desliga o telefone e berra denovo:

- Caraaaaaaaaaaalho que gostoso é uma pica no rabo!!! Mor, vou ter que ir rapidinho no escritório, tá, me espera ai que já volto.

Colocou o vestido novamente sem nem colocar a calcinha. Colou um plug anal que tinha comprado também e sai as pressas.

Segundo ela o plug foi dando um tesão enorme. Chegou no escritório, ligou o seu computador, fez as correções no relatório e em 15 minutos já estava pronto. Imprimiu e foi levar a sala do chefe e entregou o material. Já passava das 21:00h, e não havia mais ninguém na sala. Ela morrendo de tesão não resistiu:

- Sr Marcos, eu sei que o senhor é casado, um homem bonito, acho que o senhor não deve precisar disso, mas assim, o Sr sabe, sou uma mulher casada, mas o meu marido não dá conta. Se o ser quiser, estarei a disposição pro que o Sr quiser.
Ele ficou vermelho e pergunta:

- Do que a senhora está falando?

- Olha, se o senhor quiser, não tem problema, a gente faz de conta que nada disso aconteceu, mas se o senhor quiser eu posso te relaxar de vez em quanto com isso. – E falando isso levantou o vestido, mostrando a bucetinha raspadinha e toda melada. Na verdade ela me disse que já observava que ele reparava o rabo dela todos os dias quando saia da sala.

- Nossa, que buceta linda. Minha nossa, que tentador. Não imaginava que você fosse propor isso para mim.

- Como lhe disse, sou casada, bem casada, amo meu corninho, mas ele não dá conta disso tudo não. Sou um putona, trepo com qualquer macho, mas amor mesmo só com o meu corninho (fiquei orgulhoso quando ela disse isso). – Acho que isso aliviou a consciência dele e foi se aproximando.
- Então senta na mesa.

Quando ela senta na mesa e abre as pernas ele observa que ela está com o plug anal.
- Você vem trabalhar sempre assim.

- Primeria vez (com aquele sorrisinho irônico).

Se ajoelhou e cheirou a buceta da minha amada. – Nossa, o cheiro é bom? Posso experimentar?
- Claro, só pegar a camisinha que está na minha bolsa (ela sempre leva umas 20 camisinhas na bolsa, não sei para que tantas, Kkkk).

Marcos agasalho a pica, que segundo ela devia ter uns 17cm. E começa a socar na buceta melada da minha esposinha linda.

- Soca, vai soca gostoso Marcos. Soca forte que eu sei que o senhor quer. – Enquanto ele socava segurava forte nos peitos da minha lindinha.

- Toma sua puta, não quer rola, não quer, toma rola – Segundo ela foi rapidinho demais, em 3 minutos o Sr Marcos já estava querendo gozar. Ela tirou o pinto de dentro, ficou de quatro na mesa, tirou o plug anal e falou. Agora faz igual se faz em uma puta, enraba ela gostoso, faz o que a sua mulher não faz.

Ele ficou louco, e socou com tudo no seu rabo e ela deu aquele berro gostoso: - Caraaaaalho, devagar Sr Marcos. Ele nem ligou e foi bombando gostoso até gozar como um adolescente no rabo da minha putinha.

- Como seu cú é gostoso Raquel, realmente nunca tinha comido um cuzinho tão macio. Minha esposa nunca deu o dela pra mim.

- Agora o Sr não precisa á incomodar, quando quiser comer um cuzinho é só me pedir.

- Nem imaginava que pudesse ser tão putinha assim.

- Nem eu, comecei retrasada nas férias e o Sr já é o 13º, Kkkk.

- Esse número dá azar. – disse ele – Sra Raquel, preciso levar essa papeladas e já estou atrasado, vamos fazer assim, nada aconteceu aqui hoje, tá. E todas as quintas precisarei de novos relatórios, tudo bem?

- Claro chefinho, aproveito e venho sem calcinha desde cedo, para o senhor já ir sentindo o cheirinho da minha florzinho, tá. – Pegaram suas coisas e voltou para casa, com o plug anal novamente no seu rabinho. Passou antes no mercado para comprar umas frutas, e segundo ela abaixava as vezes para pegar as frutas só para mostrar o brinquedinho para os menos que pesavam as frutas. Eles ficaram loucos, mas segundo ela eram muito novinhos. Isso seria pedofilia.

Chegando em casa enfiei o consolo de 18cm no rabo dela enquanto ela narrava o que tinha acontecido.

Agora já são 13 machos para esse corninho aqui, e ainda sabendo que toda quinta vou receber minha esposa usadinha. Que delicia, amo buceta usada, o cheiro de sexo que fica é o que me atiça.
Agora uma coisa. Pelo jeito que ela usou o cuzinho, acho que ela já não era virgem não!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.