"Os mais excitantes contos eróticos"


Dando o cu pro amigo do meu irmão


autor: safadinha01
publicado em: 02/02/16
categoria: hetero
leituras: 49339
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá!!
Publiquei meu primeiro conto há alguns dias falando sobre a primeira vez que vi meu irmão comer a namoradinha dele, (vi meu irmão comer a namoradinha safada), desde então não parei de pensar em sexo, sexo e mais sexo, eu tinha apenas 12 anos, mas meu corpo ja era bem desenvolvido, tinha os peitos grandes e tudo e ja tinha ficado com uns carinhas, mas só alguns beijinhos e amassos, até porque não meu pai e meus irmãos nem sonhavam que eu ja fazia isso!
Eles tinham vários amigos que iam muito na minha casa, mas os mais chegados e que conhecíamos desde criança eram o Davi, o Alex e o Giuberto. (nomes fictícios, claro).
Gente, sempre fui muito acesa, adorava me exibir pra esses meninos, afinal, eu sabia que era bonita e sabia do poder de uma novinha! hehe
Mas aos 12 anos, quando vi um sexo real e explicito do meu irmão com a Ana, fiquei decidida que daria pra um dos 3, ou para os 3!
O primeiro alvo foi o Giuberto, afinal eu tinha uma paixonite pro ele, mais tarde nós namoramos, O Giuberto tinha 19 anos, era alto, moreno, tinha um sorriso lindo, malhava, era estudioso e inteligente, tocava violão e catava bem pra caralho, usava esses atributos pra comer muuuuuita menina.
Eu ja tinha visto o pau dele varias vezes porque ele me mostrava e ja tinha me feito tocar punheta pra ele, até gozar na minha mão. Eu era doida pra chupar, só não dizia.
Como meus irmão me diziam sempre pra esperar bastante pra liberar, fiquei super na dúvida, mas tava doida pra sentir um cacete dentro de mim.
Eu estava quase completando 13 anos, estava voltando pra casa da escola cedo, alias, cedo demais, cheguei atrasada e não me deixaram entrar, eu estava de castigo e tinha q ir de ônibus. Mas como n tinha costume acabei me atrasando e isso não iria me ajudar muito, voltei pra parada de ônibus e ja estava pensando na minha desculpa, quando o Giuberto apareceu de carro, pulei dentro e expliquei o q aconteceu. Ele sugeriu que ficasse lá na casa dele até a hora da saída, aceitei na hora, era a oportunidade q eu tinha. Já dentro do carro ele estava de pau duro, e eu bem entrosada, comecei a apalpar por cima da bermuda, quando chegamos na casa dele, que era bem perto da minha escola, ficamos na sala. Ele começou a beijar meus seios e acariciar minha boceta como de costume, me deitou no sofá, tirou minha calcinha e abriu minhas pernas, abriu bem minha boceta e passou a língua delicadamente, fazendo movimentos circulares. Depois que vi meu irmão fazendo na Ana deixei o Giuberto fazer em mim também depois de alguns dias, então, aquela não era a primeira chupada que ele me dava. Fiquei bem molinha e a vontade, minha boceta tava muito molhadinha (tinha depilado um dia antes). Ele disse pra eu relaxar pq queria lamber meu cu, deixei sem nem esitar, ele primeiro deu um Celinho e depois lambeu, ficou passando a lingua nele durante um bom tempo, parece que senti ainda mais tesão, gemi bem alto, ele começou a forçar a língua lá, minha buceta tava escorrendo ja, molhando até o cu.
Ele colocou um dedinhos e disse que ia colocar só um pouquinho, pensei "pelo menos não tem hímen no cu"!! Relaxei geral, não tava com nem um pingo de vergonha, sabia que aquilo era normal e que o Giuberto não ia contar pra ninguém (Afinal ele era o melhor amigo do meu irmão, maior de idade e gostava de mim).
Enquanto ele rodava o dedo no meu cu, chupava minha boceta e segurava o peito com a outra mão. Eu tava louquinha, gemi bem alto e gozei na boca dele, que delícia, nunca tinha gozado daquele jeito. Sensação maravilhosa, fiquei desfalecida mas queria mais. Nessa hora ele me colocou no colo e levou pro quarto dele. Colocou-me na cama e tirou o resto da minha roupa. Nunca tínhamos ficados pelados daquele jeito, na hora estremeci um pouco mas logo relaxei, fiquei me exibindo pra ele, do jeito que eu sempre quis me exibir pra um homem, olhei bem nos olhos dele e fiquei rebolando de joelhos na cama enquanto ele estava em pé do lado, apertava os peitos, passava a mão na boceta e colocava na boca, do jeito que via nos filmes pornôs, virei de costa e fiquei de quatro, rebolando, abri bem as pernas e mostrei tudo pra ele, debrucei o tórax na cama e abri bem a bunda com as mãos, acho que dei pra ver até meu hímen, porque ele ficou louco de tesão, caiu de boca na minha boceta, forçou um pouco a língua lá dentro e nessa hora doeu, mas achei muito gostoso, ele ficava chupando e olhando. Tenho uma boceta rosinha e bem pequena, nessa época então, parecia de bebê. Ele colocou de novo o dedo no meu cu e dessa vez entrou bem fzcinho. (A adolescencia é uma fase incrível, tão sem medo, tão sem vergonha... Hoje não sou tão desinibida assim).

Ele deitou na cama e disse que ia colocar o pau dele na minha bocetinha. Deixei ele deitar em cima de mim e ele ficou passando o pau na entradinha, o cacete dele era bem grande. O maior que entre os outros 3 amigo dos meus irmãos. Na hora que ele tentou meter doeu, era como se tivesse uma coisa gigante tentando entrar num buraco minúsculo! Pulei lá longe e disse: NÃO!!! Tá doido, vai arrombar outro!
De repente me deu uma crise de consciência, sem falar que tive um pensamento que ainda queria mostrar minha boceta virgem pro Alex e pro Davi (tamanha a minha safadeza!).

Ele que não queria perder a oportunidade de meter em algum lugar disse pra eu relaxar, deitar ali e conversar um pouco, me tranquilizei e deitei na cama de bunda pra cima. Ele disse que sabia q eu era muito nova, disse q também tinha medo dos amigos deles descobrirem e ficarem com raiva dele e tal... Ele perguntou se eu n queria tentar em algum outro lugar, assim, eu continuaria virgem... E ja começou a passar a mão na minha bunda, eu dei um sorrisinho malicioso e ele colocou o dedinho na entradinha do meu cu, que ainda estava molhado, ele ficou enfiando devagar, me beijou e colocou outro dedinho. Disse que daquele jeito rapidinho ele ficaria relaxado e entraria mais fácil que na buceta, disse q se eu ficasse relaxada, eu gozaria igual.

Aceitei a proposta, ele começou a meter os dois dedos, doeu um pouco, mas tentei relaxar, ele ficava rodando o dedo dentro do meu cu, como se realmente quisesse dilatar, depois começou a aumentar a velocidade, tentou meter o 3º dedo, dessa vez doeu mais, ele disse q era normal, demorou um pouco mais mas conseguiu, ficou mexendo os dedos lá dentro, fiquei molhada como nunca e gemia bastante.
Fiquei de ladinho e ele colocou a cabeça do pau bem na porta do meu cu, fez uma pressão e entrou facinho, fiquei louca, na hora ele só bombava, ficou um tempinho parado, beijando o meu bescoço e cochichando no meu ouvio: "Sente o meu pau no teu cuzinhos, ele é bem apertadinho, sente ele alargando o teu cu. Se acostuma com ele ai dentro, vou começar a meter mais...."
Senti aquele cacete entrando devagar, me rasgando toda, sensação que jamais havia sentido, dor, prazer, tudo junto, me senti a menina mais safada do mundo. Tinha um pau entrando no meu cu e eu nem tinha dado a boceta ainda. Era virgem, mas meu cu estava sendo preenchido pelo pau do melhor amigo do meu irmão, e que pau gostoso, puta merda, ao mesmo tempo que ele mexia o pau no meu cu, eu delirava de tesão, gemia bem alto, tanto de dor, como de praser, mas eu não queria que ele parasse. À medida que ele mexia ia entrando cada vez mais. Ele chupava meu pescoço e gemia no meu ouvido. Me chamava de safada o tempo todo.
Aquela pica era tudo que eu queria, queria sentir ela enterrada dentro de mim, mas jamais imaginava q ia sem primeiro no cu. Enquanto ele metia o pau todo na minha bunda, masturbava minha boceta, esfregava meu grelinho mega molhado. Nessa hora ele aumentou a velocidade e eu urrava, tava sentindo um tesão louco, os bicos dos meus peitos estavam eriçados, estava molhada de suor e meu cu estava bem relaxado, o pau dele entrava com muita facilidade.

- Você ta muito safadinha, esse cu ta todo aberto pra mim e essa boceta ta toda molhada. Gooza vai....
Ele aumentou ainda mais a velocidade, metia com força, o corpo dele fazia barulho batendo na minha bunda. Eu senti uma sensação diferente, tesão vinda das entranhas e explodi um grito. Não vou mentir, pensei que tinha sujado ele, a cama, tudo... O pau dele começou a bombar e ele gozou dentro do meu cu, jogou tudo la dentro.
Minha respiração estava muito forte, pensei q ia até desmaiar. Ficamos nessa posição até o pau dele amolecer e ele tirar devagar. Fiquei um tempinho quetinha ainda ofegante, depois fui ao banheiro, pensei q tinha me borrado, por estar tão liso. Mas ainda bem que não!
Depois disso não sabia o que fazer, vesti minha roupa e disse que queria ir embora. Ele me acalmou um pouco, pediu pra eu ficar até as 12 horas, pra gente ficar um pouco juntinho ainda.
Fiquei mais uma meia hora mas a mãe dele ligo e pediu pra ir buscar lá no trabalho. Dei Graças a Deus, pois queria era ir embora logo, chegar em casa e tomar banho!

Depois desse dia dei outras vezes o cu pro Giuberto, fiquei acostumada e só queria dar por trás. Fizemos vaias posições, de quatro, sentada de frente pra ele e de costa. Mas continuava virgem da boceta. Ele ficava louco, mas só dei pra ele depois que mostrei a minha virgindade pro Alex e pro Davi. Afinal, eles também me pediam muito pra ver minha boceta, não era justo.

Depois conto como perdi a virgindade da boceta.
=*



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.