"Os mais excitantes contos eróticos"


Aluna de SDM X


autor: adriano.master
publicado em: 03/02/16
categoria: bdsm
leituras: 3087
ver notas
Fonte: maior > menor



Bom amigos, vou agora continuar minha história. Depois que Mrs Red gozou, ela me entregou uma pequena caixa embrulhada, depois me mandou embora. Dizendo que eu apenas servia para o sexo e não queria minha companhia para noite. Estava bastante machucada. Meu corpo doía demais. Constrangida, liguei para D. Ana. Falei como estava me sentido e que não estava em condições de voltar para casa. Ela imediatamente mandou um carro me buscar. Quando cheguei em sua cala, ela estava me esperando. Me tratou com extremo carinho, enquanto me levava a um quarto. Ela me ajudou a tirar a roupa e fui tomar banho. Quando sai do banho ela me esperava com alguns comprimidos para a dor e uma pomada para marcas no meu corpo. Conversamos um pouco e ela me mandou descansar. Adormeci em seus braços.

Despertei pela manhã, mas não consegui sair da cama. Meu corpo ainda doía, mas D. Ana logo chegou. Ela estava acompanhada pela Roberta. Uma das meninas que estavam comigo na festa da Senhora Mariana. Como ela fazia medicina, D. Ana, solicitou que ela me acompanha-se, enquanto me recuperava. Ela foi bastante gentil, enquanto me examinava. Depois deu algumas orientações para mim e fez algumas solicitações para D. Ana. D. Ana disse que ela precisava se preocupar. Que eu teria todo cuidado que precisava. Ela mesma ia cuidar de mim. Fiquei super feliz com essas palavras. D. Ana se aproximou, me beijou longamente e saiu, dizendo que ia buscar o meu café. Depois que ela retornou, tomei café e ficamos conversando. Ela me perguntou como havia sido minha noite e como a Patrícia tinha me tratado. Contei tudo a minha Senhora, não escondi nenhum detalhe. Contei sobre a caixa que ela havia me entregado e que eu havia esquecido completamente. Ela pegou a caixa, me entregou e pediu para que eu a abrisse. Abri, dentro dela havia dinheiro,uns dez mil reais. Fiquei ofendida. Não esperava por aquilo. Disse a D. Ana: Ela me deixou um presente, dez mil reais em dinheiro. Não sei o que fazer com ele. Ela me tratou como uma prostituta e eu não sou prostituta!

- D. Ana: Você não compreende a Patrícia, Regina. Ela não quis lhe ofender. Ela simplesmente não sabe como tratar você. Ela pode ser super inteligente quando se trata de negócios, mas quando se trata de relacionamentos, ela fica tão perdida quanto uma menina de doze anos. Ela deve ter passado a noite acordada, imaginando o que lhe dar. Imaginando se devia dar um colar, um carro, um vestido. Deve ter imaginado o que lhe diria, como agiria, por fim ela resolveu lhe dar o dinheiro.

- Mesmo assim, não vou aceitar, não sou prostituta, me sinto mau por ainda esta com este dinheiro.

- Você esta sendo tola. Algumas pessoas levam um ano inteiro de trabalho para conseguir este valor em dinheiro. Você recebeu esta quantia por apenas um encontro de três ou quatro horas.

- É justamente isso que me incomoda.

- Não seja tola. Essas pessoas são escravas, passam de oito a dez horas por dia em trabalhos que não gostam. Sonhando um dia mudar suas vidas, só que os dias se transformam em meses e depois em anos sem fim. Esta sua mentalidade de escravo, escravo sim, pois a sociedade sempre tenta nos escravizar com noções do que é certo e errado. Do que é bom ou ruim. Temos que nós libertar e a liberdade não é só verdadeiramente alcançada quando conseguimos dominar nossos desejos, mas também, quando somos capazes de os realizarmos, apesar de todas as amarras que a sociedade tentar nos impor. A sociedade escraviza, muitas mais do que minhas amarras...Ela causa mais dor do que eu possa um dia causar, com chicote, cinto ou vara. Façamos o seguinte, eu ficarei com este dinheiro e decidirei o que fazer com ele. Vou libertar você desta angustia.

Entreguei o dinheiro em suas mãos. Ela novamente me beijou e saiu, dizendo que tinha que trabalhar, mas que, a noite estaria de volta. Fiquei sozinha pensando em suas palavras. Muito não compreendia, muito era difícil de aceitar. Não me sentia bem em ficar com aquele dinheiro. Assim os dias foram se passando, com a Roberta acompanhando minha melhora e D. Ana cuidando de mim (Super feliz). A noite conversamos até tarde da noite. Não transávamos (por mais que eu desejasse muito), ficávamos apenas nos beijos e carinhos e a noite ela voltava ao trabalho. Depois de algumas semanas eu já estava completamente curada. Super bem e feliz. Uma noite, depois que D. Ana voltou do trabalho ela foi ao meu quarto e disse que tinha uma surpresa para mim. Pediu para que eu fosse com ela na sala, minha surpresa me esperava lá.

Eram Roberta e Catarina, uma amiga de D. Ana. Que também estava hospedada na casa. Roberta usava um conjunto de calcinha e sutiã de renda branco e Catarina um conjunto preto. Os seios da Roberta eram e são lindos e Catarina não ficava atrás, os olhos castanhos, cabelo preto e 1,65 de altura. Graças a anos de balé tinha o corpo modelado, barriga malhada, bunda empinada no tamanho médio e coxas grossas. as pernas e a bunda de Catarina me deixaram sem palavras. Tremi de desejo. Notei que apenas Roberta usava a coleira de posse de D. Ana... depois vim a entender, que Catarina não era uma aluna de D. Ana, e sim amiga. Ela gostava de dominar, mas também, as vezes de ser dominada.

D. Ana mandou que as duas ficassem em pé, com as mãos para trás e cabeça baixa. Se levantaram e se posicionaram. Afastem as pernas. Novamente elas obedeceram. Regina, hoje você vai só olhar, quero que você se delicie com nossa sessão de hoje, sente-se e aproveite. Ela me falou com um sorriso no olhar.

Ela se afastou e foi em direção a uma mesa no centro da sala. Lá haviam dois chicotes, um cinto de couro, três varas finas de madeira e um fio metálico bastante fino coberto por uma camada de plástico.

- Bem meninas, o que vocês preferem? Catarina?

- Cinto e chicote, gosto destes.

- Roberta?

- O cinto minha Senhora.

- Bom. Catarina venha mais para frente. Se curve, apoie suas mãos nos joelhos. Vou usar o cinto em você. Sei que você gosta. Conte e diga "Sou uma putinha gostosa", fale alto e claro.

Catarina se posicionou. Foi maravilhoso. Aquele rabo lindo, a calcinha preta enfiada no rabo. Aquelas coxas grossas. Uma visão do paraíso. D. Ana chegou por trás de Catarina segurando o cinto por umas das pontas e inicio...

Zaaappt.... Um ... Sou uma putinha gostosa. Zappttt... Dois .... Sou uma putinha gostosaaaa...

ZZZZappptttt... ahhh.. Três... Sou uma putinha gostosa. Catarina levou a mão a bunda e massageou.

- Eu lhe dei permissão para isso? D. Ana perguntou.
- Não.

- Não, o que?

- Não Senhora.

D. Ana se aproximou e acariciou a bunda já vermelha e marcada. Colocou a mão entre as pernas e acariciou a bucetinha por cima da calcinha. Catarina reagiu ao carinho e gemeu gostoso. Minha Senhora a segurou com um braço e deu uma palmada forte... Paaafff... Pafffff... Paaafffttt... Paaafffttt... depois ela passou um dedo no reguinho por cima da calcinha... Catarina corou... D. Ana soltou o sutiã, segurou os seios e começou apertar os mamilos... mamilos pequenos e bicos alongados, que ficaram duros com o toque. Depois ela percorreu sua boca pelas costa de Catarina. Dando pequenos beijos e brincando com a ponta da língua naquela pele macia. Catarina gemia baixinho. Que gemido delicioso, me deixou com mais tesão... ... Paaafffttt... Paaaafffff... Paaafffttt... Pafffttt... a mão de D. Ana estalava na bunda de Catarina.

Depois de mais algumas palmadas D. Ana passou a aranhar as coxas grossas com as pontas das unhas... Ela segurou a calcinha e puxou pra cima, enterrado-a mais profundamente naquele rabo. Com a calcinha levantada ao máximo ela pegou novamente o cinto e reiniciou ...

Zappttt... Quatro, ...sou uma putinha gostosa... Zappppt..Cinco ...sou uma putinha gostosa... Zapt... Hummmm...Seis... ...sou uma putinha gostosa. Por favor mais...Zapt...Ahhhhh... ...sou uma putinha gostosa... putinha burra, esqueceu de contar!!! Essa eu vou repetir...Zapt... seis ...sou uma putinha gostosa... Por favor mais... A cada varada , Catarina gemia mais alto. Assim ela continuou até chegar dezesseis.

Volte para sua posição ao lado da Roberta. Ela obedeceu imediatamente.

- Roberta, se aproxime. Se curve, arrebite a bunda, afaste as pernas e coloque suas mãos acima da cabeça. Diga "Eu recebo este castigo para o prazer da minha Senhora”.

Zapttttt... Um, Eu recebo este castigo para o prazer da minha senhora... zaptpppttt, Dois ,Eu recebo este castigo para o prazer da minha senhora, zapt...AAAhhhh.... Três, Eu recebo este castigo para o prazer da minha senhora... zapt... Ahhh... Quatro... Eu recebo este castigo para o prazer da minha senhora... zaaaaaptt... hummm... Cinco , Eu recebo este castigo para o prazer da minha senhora... zapttt... Seis... ... Eu recebo este castigo para o prazer da minha senhora... zappppt... Ahhh... sete... Eu recebo este castigo para o prazer da minha senhora... zaaaaaptt... hummm... oito , Eu recebo este castigo para o prazer da minha senhora...

D. Ana parou e começou a passar levemente as mãos na bunda da Roberta . Abra as pernas ordenou. Roberta abriu as pernas e vi seus dedos invadindo a bucetinha. Ela acariciou gentilmente aquela bucetinha linda, seu dedo brincava com seu botãozinho rosado. Seu clitóris ficou durinho e ela começou a ronronar, como uma gata no cio.

- Esta gostoso? D. Ana perguntou.

- Sim, minha Senhora.

Depois disto D. Ana se afastou e trocou o cinto pelo chicote e reiniciou o açoite. Zzzzppttt... AAAhhh... ... .... Zzzzzppttt.. . Aaaaa... .... .... .... ZZZZppppttt... AAAAAAAAA.... ... ....

- ...
- ...
- ...

D. Ana parou e o silêncio tomou conta da sala.

- Você não contou!!! Diga quantos açoites eu lhe dei? Fale!!!!
- .... .... ... Nãaao sei , minha Senhora... peço desculpas. Roberta respondeu amedrontada.

- Onze. Você vai apanhar mais por este erro. Mais Dez. Pra aprender a obedecer. Catarina traga aquela cadeira e coloque em frente a Roberta.

Catarina obedeceu amedrontada. Ela uma cadeira da mesa de jantar da sala ao lado. De madeira, com encosto alto e acolchoada.

- Roberta se apoie no assento da cadeira. Abra bem as pernas e arrebite a bunda ao máximo. Não precisa contar. Já sei que você não sabe.Diga apenas "Obrigado minha Senhora". Catarina tire a calcinha e o sutiã da Roberta, fique ao lado da cadeira e conte.

Roberta ficou completamente nua e em posição. Catarina se posicionou ao lado. D. Ana trocou o chicote por uma das varas. Ela circulou pelas duas mulheres enquanto experimentava a vara no ar. Quando ela fazia isso, o som característico tomava conta da sala...

D. Ana se posicionou. Deu três pequenas batidas na bunda de Roberta com a vara e disse: isto vai ser ótimo para melhorar sua memória.

- Zipppttt. Um . Disse imediatamente Catarina . Aauuu... huumm... aauhhh.. humm... Obrigado minha Senhora... Zipttt. Dois... Aaaauuuhhh... aaaah... Obrigado minha Senhora... Zzzppttt. Três. AAAAuuuu.... huuum... hummm... Obrigado minha Senhora...

Roberta dobrou os joelhos e mudou de posição. Fique quieta! Volte a sua posição de castigo. D. Ana ordenou. Com a ajuda da vara D. Ana colocou Roberta novamente em posição. Desdobrando seus joelhos e fazendo ela arrebitar a bunda... D. Ana novamente zuniu a vara no ar. Pousou a vara na bunda e acariciou com a mesma. Ela se aproximou e passou a mão nas ancas de Roberta. Parecia satisfeita. Eu neste momento. Estava completamente meladinha... com o tesão ao máximo. Já brincava com meu grelinho.

- Zipppttt. Quatro. huumm... aauhhh.. humm... Obrigado minha Senhora... Ziiiipttt. ... Cinco. . Aauuu... Aaaauuuhhh... aaaah... Obrigado minha Senhora... Zzzppttt. Seis. AAAAuuuu.... huuum... hummm... Obrigado minha Senhora... Ziiiipt. Sete. AAAAAHHH..... AAAAuuuu.... obrigado minha Senhora. Zzzzzppptt. Oito. . AAAAAHHH... . AAAAAHHH... obrigado minha Senhora. Zzzzzptt. Nove. AAAAAHHH... . huumm... aauhhh.. aaaa... obrigado minha Senhora.

ZZzzzppppttt. Dez. . AAAAAHHH... . AAAAAHHH... Aauuu... huumm... aauhhh.. humm... ... ... ... obrigado minha senhora.

- Bom. Muito bom. Agora sim. Obediente e submissa. Fique ao lado da cadeira e espere. Catarina tire a roupa e assuma a posição na cadeira. Não conte. Diga apenas "Eu sou uma menina má". D. Ana trocou a vara pelo chicote de couro com três pontas, depois disse: Olhe o que tenho pra você. Sei que você adora um chicote.

-Te excita? Sim, Senhora. Respondeu Catarina. Catarina assumiu a posição que Roberta estava.

- Arrebita mais essa bunda vadia. Catarina fez como ordenado.

Zaaapttt... Humm... aahhhh... Eu sou uma menina má. Zzzzptt... ... Uhhhh... uhhhh... ah...ahh...Zaaaptii... hummmm.. hummmm... Eu sou uma menina má. Zapt.... Hhhuuumm... hummm... ahh.... Eu sou uma menina má. Zaaapttt.. Haaaaaaaa... aaa... aaaa. .. a... Eu sou uma menina má. Zappttt... Hummmmmm.... aaa... aa ... a... Eu sou uma menina má. A bunda de Carolina ficava mais vermelha a cada açoite. Seu rosto e corpo suavam, suas pernas tremiam.

Zaaapppttt... ... ... huumm... aauhhh.. humm... Eu sou uma menina má... Zaaapttt. ... . . . Aauuu... Aaaauuuhhh... aaaah... Eu sou uma menina má... Zzzppttt... AAAAuuuu.... huuum... hummm... Eu sou uma menina má... Ziiiipt. AAAAAHHH..... AAAAuuuu.... Eu sou uma menina má. Zzzzzaaappptt. . . AAAAAHHH... . AAAAAHHH... Eu sou uma menina má

Zaaapppttt.... Haaaaahhhhhhh... Haaaaa.... aaaa.... Eu... sou uma menina ... .... má Zaaaptttt. Haaaa... hummm... ... huummm... .... aaaa... aaa... a... ... sou uma... ... menina ... .... má Zaaaapppttt.... ... AAAAuuuu.... aaauuuu... ai... ai... ... ai... ... Eu ...sou uma.. menina... menina ... .... má Zzzzpppttt. AAAAuuuu... aaauuu... aauu.. au.. au... . Carolina não suportou e desabou sobre suas pernas...

D. Ana parou e esperou... .... ... Eu descontrolada massageava minha bucetinha com velocidade e força...

- Bem putinha, já que ficou de quatro e estava latindo feito uma cadelinha é assim que vai ser acoitada. D. Ana pegou novamente o cinto e mandou Catarina ficar de quatro.

Paaafffttt.. Haaaaahhhhhhh.... ... Haaaaa.... aaaa.... Paaafftttt. Haaaa... hummm... ... huummm... .... aaaa... aaa... a... ... Paaaffffttt.... ... AAAAuuuu.... aaauuuu... ai... ai... ... ai...... .... Paaafffttt. AAAAuuuu... aaauuu... aauu.. au.. au... Paaaffffttt.... ... AAAAuuuu.... aaauuuu... ai... Paaafffttt. Haaaaahhhhhhh.... ... Haaaaahhhhhhh... .... aaauuuu... ai... ai... Pafffttttt. Haaaaa.... aaaa.... Haaaaa.... aaaa.... Paaafffttt... Paaafffttt. Paaaffffttt.... ... .. Haaaaahhhhhhh.... ... Haaaaahhhhhhh... Haaaaa.... as últimas três foram em uma rápida sequência.

D. Ana se aproximou e examinou a bunda de Catarina. Ela estava de um vermelho vivo. As marcas se destacavam, mesmo naquele pele morena. Bom... sua bunda ficou muito mais bonita assim. Agora já chega. Pode descansar um pouco. Fique ao lado da Regina. Ela esta precisando de uma boa chupada pra gozar, faça isso. Falou D. Ana. Depois chamou Roberta com o dedo e apontou para cadeira. Roberta se posicionou novamente. Enquanto Catarina já se posicionava entre minhas pernas, mas antes que ela começasse a me chupar, segurei seus cabelos e levei sua boca em direção aos meus seios. Meus seios são pequenos e firmes. Ela caiu de boca... mamando... sugando... me arrepiei toda.

- Isso, vai chupa... Estava indo a loucura.

Segurei seu cabelo e puxei sua cabeça para trás. Paft... paft... paft... paft... Dei tapas naquela carinha de anjo.

- Passa a língua, vai... passa... devagar... bem devagar... passa bem devagarzinho no meu peitinho... passa a língua cadela... isso... paft... paft... paft... paft... Olha pra mim puta. Chupa meus peitinhos e olha pra mim. Isso... chupa gostoso... isso... assim .... assim... vai puta gostosa... ai que mamada gostosa... depois de alguns minutos dessa mamada, mandei ela chupar minha bucetinha encharcada...

Segurei sua cabeça e esfreguei com força na minha xaninha... vai... vai... isso... isso... olha pra mim... paft... paft... paft... paft... seus rosto ficava cada vez mais vermelho.
- Vai... esfrega... ela chupava meu grelinho com força. Isso... vai... humm.... passa a língua... para de ser mole menina... chupa ... isso... mete a língua... mete... ahhhh... ahhh....

- Chupa essa buceta gostoso... vai ... vai... põe a língua pra fora... enfiei aquela língua gostosa profundamente na minha xaninha... olha pra mim... olha... paft... paft.. . paft... paft... Vai... Vai... isso... isso... passa a língua... ela enchia a boca com minha buceta... e sua língua tomava conta...

- Mete a língua mete... chupa essa buceta gostoso... vai... vai... põe a língua pra fora... põe a língua... põe... pões... DELICIA!!!!!

- Esfrega o rosto... minha bucetinha pulsava acelerada... esfrega. .. esfrega... agora passa a língua bem de vagar... bem devagarzinho... isso... põe a língua para fora põe... puxei seus cabelos e chupei aquela língua gostosa... chupei... como se chupa um pirulito gostoso... ahhhh..... ahhhh...

- Esfrega o rosto.. esfrega... vai... esfrega tudinho... se lambuza nessa buceta... se lambuza... paft... paft... vai... vai... que eu to gozando...

- Chupa gostoso que eu quero gozar... ai que linguinha delicia... chupa gostoso Catarina... me faz gozar.... Catarina... vai Catarina... mete a língua que eu quero gozar... isso... vai... ahhhh... ahhh.. vai caralho... vai que eu to quase gozando... paft... paft... paft.. paft... vaiii.... ahhh... põe a cara... huuummm... hummm... hummm... gozeiiiii.... gozei... putinha... gozeiiiiiiii.... delicia... paft... agora lambe meu suquinho.... lambe... lambe meu gozo... delicia... delicia...

D. Ana observava impassível. Depois do meu gozo, ela voltou sua atenção a Roberta, que permanecia imóvel. D. pegou o fio de plástico e se colocou um pouco atrás da Roberta e iniciou o acoite.

Ziiiiiiiiipt... AAAhhhhh... Ziitppppp Ahhhhh.. uuuhhhhh... .... Ziiiiiiiiptttt AAAAhhh... AAAAAAAAhhhhh AAAaa.. aaaaaa... ufff... uffff... o fio marcava sua pele branca... as marcas vermelhas se tornavam cada vez mais nítidas... Ziiiiiiiiipt...AAAAAAAA.... aaaaaa.... aaaaaaa.... uhhhhh.... uhhhh.... Roberta... gritava de dor a cada açoite. Seu corpo tremia e ela urrava... Ziiiiiiiiiipt... Hummmmmm....Ziiiiiiipt... Haaaaaa.... au... au... au.... au... Ziiiiiiipt... Uuummmm.... aaaaa.... aaa... a... a...

Ziiiipttt. .... . Aauuu... Aaaauuuhhh... aaaah... Zzzppttt.. AAAAuuuu.... huuum... hummm...... Ziiiipt.. .AAAAAHHH..... AAAAuuuu. Zzzzzppptt... AAAAAHHH... . AAAAAHHH.... Zzzzzptt.. AAAAAHHH... . huumm... aauhhh.. aaaa... Roberta segurava com força a cadeira, seu rosto demonstrava toda dor do momento.... ela urrava e suava...

- Muito bem Roberta. Por hoje estou satisfeita. Você me deixou orgulhosa. Sente-se ao lado da Regina no sofá. Roberta, veio e se sentou ao meu lado. Vocês três fiquem onde estão, vou ao meu quarto e volto logo. Obedecemos caladas.

Depois de alguns minutos ela voltou. Estava apenas de calcinha preta de renda. Amarrado a sua cintura ela tinha um consolo de uns 18cm. Fiquei imaginando a quem caberia a honra de ser penetrada por minha senhora.

- Catarina se coloque na frente da Roberta. Você pode sugar os peitos delas se quiser. Sei que você adora um peitinho... Regina você já gozou, então quero que ajude a Roberta a gozar. Sim, minha Senhora. Respondi.

- Catarina, minha doce Catarina. Você quer me da a bundinha?

- Sim, Senhora.

- Fala pra mim, que me pertence.

- Sou sua.

- Fala que é minha putinha

- Você sabe... Sou sua putinha(D. Ana ao ouvir aquilo, sorriu)

D. Ana se colocou por trás de Catarina, ela respondeu abrindo mais as pernas e levantando a bundinha ainda mais e começou a mamar os peitos deliciosos da Roberta. Eu que também não sou santa, comecei a beija a boca, o pescoço e os seios da Roberta. D. Ana de inicio apenas acariciava o cuzinho com o consolo... Catarina começou a gemer baixinho e ficar ruborizada de desejo.

Depois de uns dois minutos deste "carinho", D. Ana enfiou a cabeça do consolo naquele rabinho rosado... Catarina gemeu.... AAAaaaahhh.... mete gostoso no meu rabinho... mete... huummm... hummm... Catarina se remexia... e tentava enfia cada vez mais o consolo no rabo... D. Ana não deixava. Controlava o ritmo e metia com delicadeza...

O rosto de Catarina estava vermelho. Ela sorria e passava a língua nos lábios carnudos... D. Ana sentiu o momento e penetrou mais profundamente. Hummmmm.... Hummmm.... Hummm... mete... mete pau gostoso... arromba meu rabinho... Ahhhhh... mete sem dó... Hummmm.... com vontade... mete... mete... assim... bem gosto... me faz gozar gostoso... e voltou novamente a sugar os bicos dos seios de Roberta. Já estava com uma mão em minha buceta e outra na bucetinha melada da Roberta... era gostoso demais... tesão puro essa situação...

- Tu gosta de levar vara no rabo cadelinha gostosa? Simmm... gosto... gosto muito.... mete... mete... não para... Catarina rebolava cada vez mais...

D. Ana parecia excitada e disse: putinha gostosa... rebola gostoso... eu sei o quanto tu gosta de levar vara no rabo... geme gostoso... geme... puta! Catarina enlouqueceu e empurrou com força o rabo em direção ao consolo e ele penetrou até o talo em seu rabinho... ela enlouqueceu...

Catarina gemeu... hummmmmm... mete... mete gostoso... me faz gozar gostoso... arregaça essa cuzinho... mete na tua putinha... mete... mete... assim... gostoso... D. Ana dizia que ia meter gostoso... vou te foder gostosa... Catarina rebolava... rebolava... gemia... dizia palavrões... vou gozar... ela começou a dizer... vou gozar nessa pica gostosa...

D. Ana aumentou o ritmo.... entrava ... saia... entrava... saia... entrava.... saia... depois segurou os cabelos de Catarina e puxou com força pra trás.... Toma vara... toma vara... gostosa... gostosa...

Catarina urrava alto e D. Ana se deliciava... as duas estavam sincronizadas... suadas... excitadas... Catarina rebolava e fudia o cacete com gosto... me fode... fode sua gostosinha... huuummmm.... hummmmmm.... hummmm.... assiiimmm... assimmmm.... mete.... mete... huummmm.... hummm.... hummm..... hummm....

- Esta gostoso? Hummm... hummmmmmm.... hummmmmmmmm.... Responde putinha!!!! Esta gostoso? Hummmmmm.... hummmmmm.... hummmm..... hummm...... .... ... hummmm..... Catarina delirava.... aquela carinha de anjo estava como inundada de prazer... nem falar mais ela conseguia.

- Hummmm... .... .... .... hummmmm... ... .... hummmmmmmmmmmm.... hummmmmmmmm.... hummmm.... vou gozar.... .... vou ... ... gozarrrr..... vou gozar.... ... vo ... .... gozarrrrr...... Aaaaaaahhhh... Catarina gozou, gozou, gozou e gozou...





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.