"Os mais excitantes contos eróticos"


ESTUPRADA PELOS TRÊS PRIMOS


autor: codinome_morena
publicado em: 14/02/16
categoria: grupal
leituras: 34661
ver notas
Fonte: maior > menor


Senti meu corpo sendo balançado e meus braços sendo erguidos, lutando para abrir os olhos senti uma das minhas pernas ser esticada, quando consegui retomar a consciência já era tarde demais. Meus braços estavam amarrados na cama e minhas pernas estavam presas pelas mãos de Nando. Instintivamente, comecei a me sacudir e pedir para me soltarem, eles ficavam rindo, se divertindo com a minha forçada submissão.

Era um fim de semana como outro qualquer, exceto pelo fato de que seria violada pelos meus três primos. Nando, o mais velho, tem 22 anos, 1,85m de altura, corpo atlético, pele parda, olhos escuros. Alex tem 20 anos, 1,80m de altura, é o mais bonito dos irmãos, tem pele morena, corpo forte e olhos castanhos. Antonio tem 17 anos, mesma altura de Alex, pele clara e cabelo loiro. Eles moravam juntos em uma casa numa pequena cidade de Minas e eu havia ido passar o fim de semana com eles. Não imaginei que meus atos de provocá-los e minhas brincadeiras maldosas fossem levá-los a isso, mas agora amarrada contra a minha vontade só me resta arcar com as consequências.

Percebi que me debater não adiantava de nada, eles até gostavam. Encarei-os, imaginando o que viria a seguir. Eu seria estuprada.

Antonio cortou as alças da minha blusa e depois a lateral. Estava seminua na frente dos meus dominadores implorando para que me soltassem. Eles acariciavam minha barriga e apertavam meus seios.

Os dois irmãos mais novos começaram a traçar duas linhas de beijos do meu pescoço até meus seios enquanto o mais velho beijava a parte interna das minhas coxas, subindo, até chegar à minha buceta. Nando deu uma mordida de leve e tirou minha calcinha. Estava totalmente nua, com medo do que os irmãos podiam fazer e excitada pela sensação gostosa dos beijos sobre minha pele.

Quando dei por mim, Alex e Antonio chupavam meus seios, mordiam, davam tapas, beijos e Nando chupava minha buceta e eu já estava gemendo, chamando o nome dos irmãos. Ser a submissa dos três machos não era nada ruim. Eles se levantaram para tirar a roupa e eu pude avaliar melhor os irmãos. A rola de Antonio era um pouco grossa, devia ter uns 16 cm, a de Alex era linda, grossa, um pouco maior que a do irmão mais novo e a de Nando era enorme, uns 22 cm de pau, bem grosso, tinha a cabeça vermelhinha.

Meus gemidos ecoavam pelo quarto cada vez mais alto à medida que me aproximava dos orgasmos. Nando chupava bem forte e mordia de leve minha buceta encharcada de tesão, passava a língua no clitóris enquanto socava dois dedos dentro de mim. Os outros irmãos continuavam chupando meus seios, dando linguadas bem no bico. Gozei muito na boca do primo.

Sem se quer me recuperar do orgasmo, masturbei os três irmãos. Antonio veio primeiro. Chupei-o enquanto os outros olhavam e se masturbavam. Depois Alex, me deliciei muito naquele pau gostoso. E por ultimo Nando, aquele mastro era realmente enorme. Comecei passando a língua na cabeça, lambi as bolas e comecei o vai e vem. Quando eles estavam perto de gozar, saiam e davam vez para o outro.

Assim que terminei com Nando, Alex posicionou seu pau na entrada da minha buceta e meteu de uma vez só. Estava tão molhada que entrou com uma facilidade incrível. Eu gemia e me contorcia implorando para não parar e os outros estavam em pé se masturbando. Senti um liquido quente dentro da minha buceta e gozei também. Limpei todo o pau de Alex, deixando-o pronto para outra.

A vez de Antonio também foi muito boa, ele metia e acariciava meu clitóris, acabei gozando de novo. E depois foi o Nando, sentia a cabeça do pau dele bater no meu útero, eu gritava e gemia, ele metia com força e estapeava a minha bunda. Por fim, gozei outra vez.

Após saciar o desejo dos irmãos, fechei os olhos. Tinha sido realmente muito bom ser domada por aqueles machos, eles chupavam tão bem, metiam tão bem. Senti as cordas sendo desamarradas da cama. Suspirei. Foi uma noite e tanto. Um dos meninos me virou de lado e se deitou atrás de mim, depois o outro me virou um pouco mais e apoiou o rosto nas minhas costas. Senti meus braços serem puxados de novo. Comecei a me debater e implorar “Por favor, não, isso não, por favor, por favor, isso não, me soltem”, mas eles estavam se divertindo.

Me sacudi o máximo que consegui até ser imobilizada pelos irmãos. Antonio se posicionou atrás de mim e enfiou com toda força no meu cuzinho. Como aquilo ardeu, implorei para pararem. Ficavam rindo e dizendo que agora eu era a putinha deles. Senti a porra de Antonio me rasgando toda até ele gozar. Depois foi a vez do Alex que me colocou de quatro e meteu tudo de uma vez só. Imaginei o quanto meu cuzinho devia tá arrombado, nunca tinha feito isso antes. Rebolei no pau dele para tentar me acostumar e ficou melhor, já estava gostando e gemendo, chamando o nome dele. Gozamos juntos e novamente senti o jato de goza quente dentro de mim.

Era a vez de Nando. Abaixei meu corpo e deixei que o irmão se posicionasse. Senti a cabeça tentando alargar ainda mais o meu cu. Pedi para parar, mas não adiantou. Puxei meu corpo para frente e tentei me levantar, arrebentar as cordas, sair dali, mas os irmãos me agarraram e me colocaram na mesma posição, deitada de costas. Nando abriu minha bunda e ficou massageando, apertando e mordendo, lubrificou meu cu e beijou minhas costas, meu pescoço, minha orelha... De repente senti uma dor enorme. As lágrimas escorriam no meu rosto, parecia que tinha perdido todas as minhas forças. Doía tanto e eu não podia fazer nada. Nando continuava com o vai e vem cada vez mais rápido e mais fundo. Puxava meu cabelo e obrigava meu corpo a ir de encontro com o dele. Por fim, gozou na entrada do meu cu.

Os meninos me desamarraram e me deixaram dormir. Peguei no sono ali mesmo, naquela posição. Estava tão cansada e qualquer movimento parecia um tremendo esforço. Fui acordada por um beijo de Alex que estava passando pomada no meu orifício arrombado. Recebi café na cama e os irmãos me ajudaram a tomar banho, cada um ficou com uma tarefa, disseram que era o mínimo depois do que fizeram comigo e até pediram desculpa. Não abusaram mais de mim naquele fim de semana e nunca mais fizeram nada que eu não permitisse. Ainda costumo ir a casa deles, só que agora sempre tem sacanagem e até inventamos um jogo.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.