"Os mais excitantes contos eróticos"


Um conto lesbico II


autor: adriano.master
publicado em: 22/02/16
categoria: lésbicas
leituras: 15066
ver notas
Fonte: maior > menor



Bom, para quem já leu meu conto anterior não preciso me descrever e nem minha paixão a Amanda. Depois que passamos o dia juntas, todos os dias ligava para a Amanda ou ela me ligava. Estava ansiosa para revê-la no curso.

Sábado a tarde, Finalmente. Visto uma calça legging preta, uma camiseta branca, sem sutiã e corro para curso de inglês. Entro na sala ansiosa, decepção, ela não esta lá. A professora começa a aula, depois de uns 20 minutos Amanda chega. Pede desculpas a professora pelo atraso e sorri para mim. Meu coração acelera, ela sorriu para mim, mas infelizmente, ela sentou distante.

Ela estava linda, cabelo solto, shortinho vermelho, sapatilhas brancas e uma camiseta branca. Lembrei de cada momento, quando estivemos juntas. Durante o intervalo corri para ficar ao lado dela. Ela me abraço discretamente e disse que depois da aula queria conversar comigo.

Depois da aula fomos para uma lanchonete próxima, lanchamos e depois começamos a conversar. Amanda disse que naquele fim de semana não poderíamos ficar juntas. Ela tinha compromissos familiares e não poderia faltar. Fiquei bastante triste e perguntei se não daria certo durante a semana. Ela disse que também não, mas que no outro fim de semana os pais dela viajariam com o irmão mais novo e que eu poderia passar o fim de semana com ela. Também disse que teria uma surpresa para mim.

Aquela foi a semana mais longa da mina vida. Sexta ela me ligou e avisou que os pais já haviam saindo. Peguei um taxi e fui para casa dela. Ela morava em um condômino fechado e tive que me identificar na portaria. O segurança me indicou o caminho e o taxi me deixou na porta.

Ela abriu a porta, não resisti e tentei beija-la, ela me segurou e me afastou com força.

- O que foi que houve? Perguntei.

- Seus pais ainda não saíram?

- Desculpe, você deve estar me confundindo com a Amanda. Eu sou a Ana Paula, irmã gêmea dela.

- Ahhh? Desculpe, não entendi.

Do outro lado da sala vejo uma pessoa entrando, mesma altura, cabelos loiros iguais, rosto idêntico, apenas com roupas diferentes.Fico pasma. Meu olhar vai de uma para outra, é como olhar um espelho. Fico sem saber o que dizer o que fazer. Acabo de tentar beijar a irmã da minha paixão.

Amanda se aproxima e sem qualquer aviso, me segura e beija com força. Seu beijo me esquenta e me acende. Respondo colocando minha língua em sua boca e nossos corpos se colam com desejo.

Depois deste primeiro beijo nos afastamos. Fiquei atônita e envergonhada, Amanda havia me beijando na frente da sua irmã gêmea sem nenhum pudor. Notando que eu estava envergonhada ela disse:

- Não se preocupa Natalia. Eu e Ana Paula somos muito unidas, não escondemos nada, uma da outra. Ela sabe que eu gosto de meninas e ela também gosta.

- É mas sua namoradinha já veio me atacando Amanda. Ana Paula falou.

- Ela fez isso porque eu disse que um beijo deve ser roubado. Então ela é obediente, do jeito que eu gosto.

As duas irmãs caíram na gargalhada e notei uma cumplicidade muito grande entre as duas. Depois deste momento inicial, Amanda me pegou pela mão e me levou ao seu quarto, onde guardei minha mochila. Depois me mostrou a casa. Era bastante grande, com jardim e piscina. Quando chegamos a cozinha, Ana Paula estava preparando o jantar. Amanda me ofereceu uma cadeira e se aproximou da irmã, enquanto ela cozinhava.

Elas eram praticamente idênticas, a única diferença visível, era que Amanda era um pouco mais magra que Ana Paula. As duas conversavam animadamente, pela conversa soube que Ana Paula havia estado um ano fora, para melhorar o seu inglês. As duas irmãs conversavam e riam. Senti ciúmes da minha amada Amanda, parecia que eu nem estava ali. Após alguns momentos Amanda veio até a mim e me abraçou por trás, mesmo eu sentada. Ela ficou cheirando meu cabelo e as vezes, beijava meu pescoço levemente. Aquilo me deixava toda arrepiada.

Jantamos e conversamos, Amanda abriu uma garrafa de vinho e as irmãs a tomaram enquanto conversávamos. Depois de algum tempo ajudei a lavar a louça, limpamos a mesa e para o quarto. Antes de sairmos da cozinha Ana Paula disse:

- Cuidado, viu Amandinha. Não faça nada com a Natalia, que eu mesmo não faria e sorriu para mim.

De novo aquele sorriso que me deixava mole, mas agora não era Amanda e sim a Ana Paula. Os deuses poderiam ser tão bons para mim?

Chegamos no quarto, Amanda entrou no banheiro só e tomou banho. Quando voltou vestia um pijaminha, calça folgada com elástico na cintura, camiseta listrada que ia até o meio da barriga e uma calcinha roxa. Tomei banho rapidamente e também vesti um pijama que havia trazido, calça e camisa com alças cinza e uma calcinha de laçinho amarelo, bem sexy.

Sai do banheiro e ela logo me chamou, me aproximei da cama e ela me deu um logo e delicioso abraço.

- Estou feliz que você esteja aqui em casa.

- Eu também estou feliz por estar aqui.

Nos beijamos calmamente, demoradamente e deliciosamente. Ela viu que minhas coisas ainda estavam na mochila e me ajudou a guarda-las numa parte do seu guarda roupa. Nos deitamos na cama e começamos a conversar.

- Gostou da minha irmã?

- Ela é bem simpática.

- Sim, ela é. Ela é a pessoa que eu mais amo na vida. Senti muita falta dela durante todo o último ano. E você hem? Foi logo tascando um beijo nela.

- Eu pensei que fosse você. Vocês são idênticas. Disse novamente ruborizada.

- Esta tudo bem. As pessoas vivem nos confundindo.

Ela procurou novamente os minha boca e me beijou com paixão. Não consegui resistir e me entreguei a aquele beijo e a aquela menina/mulher maravilhosa. Perguntou: Deixa eu tirar umas fotos suas?

- Siim. Respondi sem pensar.

Ela se levantou e pegou uma câmera e voltou para cama.

- Sorri para mim.

Obedeci. Click, ela iniciou a sessão de fotos.

- Segura os cabelos e faz carinha de inocente. Click.

- Fica com o rosto de perfil. Click.

- Agora, puxa as alças da camisa e mostra parte dos seios. Click.

- Junta os seios por cima da camisa. Click.

- Fica de joelhos na cama. Fica de lado e baixa um pouco a calça do pijama e mostra a calcinha de lado.

Obedeci, baixei um pouco a calça e o laçinho amarelo ficou a mostra. Click... click... click

- Adorei. Ela disse.

- Baixa mais e mostra a bunda. Submissa, fiz como ela pediu.

- Bunda linda. Você é linda demais.

Fiquei vermelha. Ela tinha esse dom de me deixar completamente sem forças e querendo realizar tudo o que ela quisesse.

- Agora de frente. Click... click... click... click.

- Muito bem. Fica de quatro. Se apoia na cama com uma das mãos e com a outra da palmadas de leve na bunda. Click... click... click... click...

- Assim que eu gosto. Ela veio e acariciou minha bunda com leveza e carinho.

- De joelhos agora. De frente pra mim. Tira a camisa.

Mostrei meus peitinhos para ela. Eles estavam duros e empinados. Estava com tesão e eles respondiam querendo alcançar os céus. Click... click.. click...

- Tão lindos... tão lindos...

- Se deita de costa, acaricia um peitinho e enfia a mão dentro da calcinha. Ela veio e ficou praticamente em cima de mim. Click... click... click...

- Brinca com a bucetinha. Click... click.. click

Fechei os olhos e lembrei das duas irmãs na cozinha. Não sei porque, mas aquilo me deixou molhadinha. Minha bucetinha logo ficou molhadinha e cheirosa... Durante todo o tempo ela tirava fotos... click... click... click... click... click... click...

Ahhhhh... senti suas mãos quente sobre meus seios. Ela apertava e sorria. Enchia as mãos nos meus pequenos seios e apertava com força meus mamilos durinhos... Depois abriu as minhas pernas e suas mãos percorreram toda extensão das minhas coxas. Ela não parava de olhar minha bucetinha inchada, molhada e cheirosa.

Sua mão chegou em minha buceta e pressionou contra a calcinha. Fiquei tarada... meu tesão explodia... minha vontade era de comer aquela mulher todinha. Ser o que ela quisesse que eu fosse... me entregar totalmente, sem reservas ou medos...

Ela tirou minha calcinha e depois tirou sua roupa completamente. Peladinha, deitou ao meu lado. Ver aquela bucetinha, branquinha, lisinha, com o grelinho pulsando era o maior presente que eu tinha recebido na vida.

Ela colocou seus dedos em sua xaninha e penetrou... Haaaaa.... gemi... descontrolada. Ela tirou os dedos e colocou em minha boca. Chupei... chupei... chupei... minha língua percorria cada centímetro daqueles dedos deliciosos... seu gosto invadia minha boca... meus sentidos enlouqueciam... suguei... beijei... lambi... penetrei até a minha garganta... tesão...

Coloquei minha mão sobre minha rachinha e me masturbei... três dos meus dedos faziam movimentos circulares em minha xaninha... e as vezes colocava um dedinho dentro... rapidamente... só pra aumentar o tesão... gemi gostoso...

- AAAAhhhhh... hummmm.... hummmmm... ahhhhh.... ahhh...

Nos masturbávamos juntas... nossos olhos não se desgrudavam. De tempos em tempos ela voltava a colocar os dedos em minha boca e eu chupava... lambia... sugava... mamava... ahhhhh... ahhhhh....

De repente, sem aviso, ela veio pra cima de mim e me beijou... aquele beijo maravilhoso... sem igual... nossos lábios se encontravam... nossas língua brincavam, um jogo de prazer e sedução...

Seu corpo pressionava o meu... seio com seio... suas pernas se encaixaram perfeitamente nas minhas... seu corpo pesava... sua xaninha roçava em minha perna... pressionei meu sexo contra ela e me molhei...

Mordi seus lábios... percorri seu pescoço com minha língua... meu tesão e desejo só aumentavam... Ela afastou seu rosto do meu sorriu... morri de tesão... e voltou novamente a me beijar... agora com beijos... pequenos e leves... sua língua percorria meus lábios... apertei seu corpo contra o meu.

Ela novamente voltou a me beijar com força... sua língua brincava e dialogava com a minha... nossos lábios se encontravam e se separavam, para novamente se encontrar com renovada paixão.

Amanda se levantou um pouco, colocou uma coxa entre as minhas pernas pressionando minha bucetinha, aproveitei e apertei com força e impulsionei minha bucetinha contra ela. Ela não parava de me beijar e acariciava meus seios com uma das mãos...

Seus beijos se deslocaram para meus seios. Amanda sugava com a boca e dava pequenas mordidas nos meus mamilos. Dobrava o corpo com dor e prazer. Sua língua não parava, ia de um para o outro. Mamando e mamando, meus seios durinhos...

Sua língua desceu um pouco e encontrou minha barriga lisinha. Ela vazia movimentos de cima abaixo... dos meus seios até a próximo a minha xaninha. Mordia e puxava minha pele com a ponta dos dentes. Aquilo me arrepiou todinha. Fiquei mais molhada, se é que isso fosse possível.

Finalmente ela chegou a minha xaninha. Ela parou. Me olhou nos olhos e voltou sua atenção para o meu monte de prazer. Minha bucetinha aguardava ansiosa, mas ela apenas olhava... como se eu fosse especial... como aquilo fosse tudo que ela desejava.

Abri as pernas e levantei um pouco meu grelinho... oferecendo... desejando... suplicando...

Sua língua encontrou minha xaninha e explodi de prazer... ahhhhhhh... aaaaaaahhhh....
Ela tomou conta da minha xaninha com a boca... sua língua tomou posse de mim e dominou. Ela era quente, molhada... dura e ao mesmo tempo capaz de se adaptar a cada cantinho de mim. Ela beijava com carinho... lentamente... trazendo prazer para cada pedacinho de mim. Prazerosamente ela encontrou meu grelinho

- Aaaiiiiiii.... aaaaaaaiiiii.... asssimmmm amorrr.....

Ela encaixou a boca sobre ele e iniciou movimentos com a língua, hora circulares... hora pressionando com força. As vezes mordia delicadamente e eu ia a loucura...

- Aaaaiiiiii.... aaaaaiiiiiii..... ammorrrr.... Amandinhaa.... meu aamorrr....

Segurei seus cabelos e pressionei contra meu grelinho. Ela chupava cada cantinho... com delicadeza e ao mesmo tempo paixão. Ela me penetrou com a língua, deliciosamente... divinamente... me senti invadida... penetrada... maravilhosamente violada... não era mais dona de mim e nem queria ser...

Amanda segurou minhas pernas e me penetrou... sua língua ia para cima e para baixo... meus lábios se abriam para ela. Aquela língua dura e gostosa me invadia, me ocupava... meu grelinho pulsava e tremia... só faltava gemer... meu suco se espalhava entre minhas coxas...

Arquiei as pernas e empurrei meu grelinho contra sua boca... fazia movimentos ritmados... queria gozar e gozar... sua língua não me dava descanso... percorrendo cada pedacinho de mim... Comecei a esfregar com força minha buceta contra sua língua... sua que ia gozar... queria gozar....

- Assimm amor.... assimmm.... não para.... não... to gozando.... to gozando.... aahhhhhhh... aahhhhh... ahhhh... to gozando....

Meu corpo não resistiu e gozei, enchendo a boca da Amanda com meu suco... ela não resistiu e gozou junto comigo.

Esta foi uma das noites mais maravilhosas da minha vida, mas não a única. No outro dia Amanda decidiu me dividir com a irmã.





-











ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.