"Os mais excitantes contos eróticos"


Depois da Palestra (Parte 3)


autor: Publicitario45
publicado em: 22/02/16
categoria: hetero
leituras: 1898
ver notas
Fonte: maior > menor


Naquele ano, eu e Leila ficamos bem próximos apesar a diferença de idade. Passamos quase todos os fins de semanas juntos transando no meu apartamento, motel, na casa dela ou até mesmo dentro do carro.

Como disse nos contos anteriores, Leila é um foguete de menina. Apesar de novinha, sabia bem o que queria na cama e melhor, ficava mais safada a cada dia que passava.

Chegou mais um fim de semana e minha loirinha com cabelos cacheados e cara de anjo me chamou para assistir mais um show naquela boate famosa em Guarapari. Show da Ivete Sangalo o clima é de azaração e eu sabia que algo de bom iria render. Leila passou a semana me provocando através de mensagens e fotos.

No sábado, passei na sua casa e fomos para Meaípe e como eu teria que voltar na mesma noite, resolvi na beber, assim, evitaria problemas com a polícia de transito. Chegamos na casa noturna e ela estava lotada e para a nossa sorte o camarote onde iriamos ficar tinha uma entrada exclusiva.

Lá dentro, Leila já pegou uma taça de campanhe e começou a beber, rapidamente as bolhas fizeram efeitos e ela foi se soltando, dançava de forma sensual, se esfregava em mim e me olhava com cara de puta.

Leila estava linda. Apesar de loirinha com cabelos cacheados, sua pele exibia um tom bem bonito por causa do sol quente do verão. Ela usava uma mini blusa azul e uma saia longa com uma fenda do lado onde mostrava suas pernas torneadas. Sua buda grande ficava mais gostosa ainda quando seu corpo serpenteava no camarote ao som da música eletrônica.

Os amigos foram chegando e o clima foi ficando cada vez mais animado. Dentre eles, uma morena jambo capaz de parar o transito, Camila era o nome da fera. Morena, cabelos lisos, franja, corpo malhado e mais ou menos 1,70 de altura. Camila usava um vestido curto, tecido fino e solto mas extremamente curto. Qual quer movimento mais abusado era possível ver algo mais.

Não demorou muito e Camila se juntou a Leila. As duas não paravam de dançar, tinha uma química, elas se entre olhavam, faziam caras e bocas numa disputa para ver quem seduzia quem primeiro.

O show começou, as luzes apagaram e as duas continuaram o joguinho de sedução.

- Esta morena quer te seduzir.

- Voce acha?

- Tenho certeza Leila.

- Esta com ciúmes?

- Pelo contrario, to adorando. Resta saber se você tem coragem de seguir em frente.

- Pega outra taça de champanhe pra mim que eu te mostro, alias, pega duas.

Fui buscar as taças e quando voltei elas estavam dançando cada vez mais próximas e mais sedutoras. Alguns homens babavam naquela cena linda.

Entreguei as taças, elas deram um gole e se beijaram com volúpia. A noite parecia ser magica, só não sei o que renderia pra mim.

Passado o show, Leila veio até a mim e me beijou. Perguntei se eu havia gostado do que assistira e eu respondi que sim.

- Quero ver mais? Se quer, paga a conta e vamos sair os três daqui, agora.

Não pensei duas vezes. Saímos da boate e fomos pro meu carro que estava meio distante.

Fomos caminhado eu no meio das duas beldades e chegando no estacionamento Leila pediu para ir no banco de tras do carro. Disse que por mim tudo bem, mas que iriamos voltar pra Vila Velha e Camila concordou.

Entramos no carro e as duas voltaram a se beijar, mas desta vez com mais volúpia. Pelo retrovisor eu via as mãos atrevidas das duas buscando todos os espaços possíveis. Leila foi desabotoando o vestido de Camila que em poucos minutos estava apenas de calcinha dentro do meu carro. A boca sedenta da minha loirinha já sugava com vontade os mamilos da morena que apenas se limitava a gemer e abrir as pernas.

Enquanto eu segui aa pela Rodovia do Sol, Leila continuava chupando a boceta da sua amiga morena que já tinha gozado umas das vezes na boca da minha loirinha. Chegamos na minha casa, entramos e eu estacionei na minha vaga de garagem. Camila se vestiu, Leila também e subimos os três de elevador enquanto as bocas das duas não se desgrudavam.

Camila foi a primeira entrar seguida por Leila e depois eu. Tranquei a porta e Leila veio em minha direção, com a boca melada ainda de boceta me beijou deliciosamente.

- Amor, você não vai participar até eu mandar. A festinha por enquanto é só nossa.

As duas voltaram a se pegar desta vez na minha cama. Agora foi Camila quem tomou a inciativa e despiu rapidamente Leila, deixando completamente nua.

Leila abriu as pernas e Camila sem cerimonia caiu de boca na sua xana. Chupou, mordiscou, lambeu seu clitóris, sugou o grelinho e Leila sentiu gozando na boca da sua amiga que lhe chupava com uma maestria impressionante.

Depois inverteram. Leila mamou novamente os mamilos da Camila, desceu pela barriga, passou pela virilha, desceu pelas coxas e sugou novamente sua xana.
Depois elas deram um tempo, estavam exaustas de tanto gozar e eu me mantive na cadeira, sem roupa, com o pau quase explodindo de tesão.

Foi ai que a brincadeira ficou boa pra mim. Leila me chamou para deitar entre elas e eu imediatamente obedeci. Mal deitei e Camila já me beijou a boca enquanto Leila me chupava com vontade. Lambeu a cabeça, meu saco, mordeu meu pau e ofereceu para a sua amiga. Enquanto as duas me chupavam as bocas se tocavam.

Camila inverteu a posição e me ofereceu sua xana ensopada. Ela praticamente sentou na minha cara e começou a se esfregar em mim. Sua buceta, carnuda, com poucos pelos, exalava um cheiro bom de tesão. Enquanto isso, a sensação de duas bocas me chupando me levava ao delírio e confesso que tive que me concentrar para não gozar.

Camila seguia esfregando a boceta na minha cara e Leila sentou na minha rola, engolindo meu pau de uma única vez. As duas se colocaram a beijar, uma chupou os mamilos da outra enquanto Leila cavalgava no meu pau e Caminha cavalgava na minha boca.

A primeira a gozar foi Camila, seu mel escorreu inundando minha boca com um gosto doce. Depois dos espasmos seguidos, ela saiu de cima de mim e se colocou a me beijar, lambia minha boca como se quisesse sentir o gosto do seu gozo. Leila gozou em seguida e trocou de posição com Camila que se colocou de quatro e ordenou – me come safado – missão dada, missão cumprida.

Levantei da cama, me coloquei atrás daquele rabo generoso, pincelei meu pau na entrada da gruta ensopada e comecei a entrar. A boceta da Camila era quente, apertada, melada e suculenta.

Comecei as estocadas enquanto Camila chupava Leila de todas as formas. A loirinha delirava na boca gulosa da morena que lhe fez gozar mais uma vez. Eu, seguia atrás socando aquela xana suculenta. Minhas mãos espalmavam na bunda de Camila que não cansava de chupar Leila.

Quando anunciei meu gozo, as duas se colocaram na minha frente prontas para tomarem um banho de porra. Gozei gostoso e deixei meu corpo cair na minha cama. Leila e Camila ainda continuaram se lambendo como duas gatas no cio depois foram pro banho onde começaram nova brincadeira e eu, não resisti e fui brincar também.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.