"Os mais excitantes contos eróticos"


Menage surpresa


autor: ruivinha_cgr
publicado em: 09/03/16
categoria: grupal
leituras: 6225
ver notas
Fonte: maior > menor


Para quem ainda não sabe, sou Ana, 35 anos e tenho um “romance secreto” faz uns meses com Guilherme que tem 21. Nossos encontros são em segredo (ou pelo menos quase) por causa da diferença de idade, e principalmente por ele ser amigo de infância do meu primo que, além de tudo, é meu vizinho.
Essa história aconteceu no início do ano (2016). Eu e o Gui estávamos sem nos falar já fazia 04 semanas e isso me incomodava. Mandei uma mensagem daquelas que despretensiosas, mas cheia de segundas intenções e deu certo. Logo recebi uma resposta: “- Se você quiser vir aqui em casa... Mas o Léo tá aqui”
Na hora nem me liguei quanto a isso porque conheço o Léo desde pequeno também e como não me importo se alguém saiba de nós dois, me animei e fui me arrumar. E nem imaginava o que estava por vir.
Cheguei na casa do Gui e ficamos os três na sala, assistindo uns vídeos engraçados e conversando bobeiras. Mas logo o Gui sentou do meu lado e começamos a nos beijar. Não demorou muito e nos empolgamos um pouco mais nos amassos e Léo saiu da sala dizendo que tomaria um banho. Até então tudo bem, mas do nada, Gui tirou a roupa e eu, mesmo ficando excitada com o perigo do Léo voltar pra sala a qualquer momento, reclamei um pouco e ele só me respondeu:
“-Por causa do Léo? Eu não tenho vergonha do meu melhor amigo.” E saiu da sala pelado, me deixando lá, sem falar nada.
Fiquei mais confusa ainda, um misto de raiva e excitação que me deixava tonta. Não sabia se ia embora dali ou esperava pra entender o que acontecia.
De repente, quem chega na sala é o Léo só de cueca, todo cheiroso do banho que tinha acabado de tomar. Fiquei paralisada, sem reação. E ele, sem perder tempo veio me beijando e segurando firme na minha nuca. Não resisti e o beijei com vontade, mesmo sem ainda ter certeza se aquilo estava acontecendo mesmo.
É claro que já tinha pensado em transar com dois caras, em como seria bom quatro mãos pelo meu corpo, me satisfazendo. Mas sinceramente, não sabia se estava preparada pra isso.
Vendo a cena, o Gui veio por trás de mim e começou a beijar minha nuca e apertar meios seios por baixo da blusa. E não demorou muito para tirá-la, deixando meus seios amostra para o Léo chupar, o que fez tão gostoso, que me deixava toda arrepiada.
Depois Leo ficou de joelhos na minha frente e tirou minha calça jeans. Olhava pra mim com tanto desejo que me deixava mais louca. Ficamos alguns minutos nesse “revezamento”: Enquanto um me beijava e chupava meus seios, o outro me chupava e me masturbava com os dedos. E eu estava entregue aos dois.
Eles tiraram a pouca roupa que tinham e eu pude ver aqueles dois meninos lindos, prontos pra me satisfazer. O Gui eu já conhecia e sabia como satisfazê-lo também, mas o Léo era novidade. E com um pau mais grosso que o do Gui, que me deixou mais excitada ainda.
Fomos para o quarto e continuaram com o “meu presente” como disseram: Me colocaram na cama e enquanto o Gui me beijava e falava coisas no ouvido, Léo me chupava deliciosamente e eu gozei como nunca. Parecia que ele sabia exatamente onde tinha que passar a língua. Eu tremia toda.
E o Gui percebendo o Léo pronto para meter na minha buceta, logo quis trocar de posição e ganhei mais uma chupada perfeita. Eles estavam me deixando louca.
Mas eu queria mais: falei pro Gui colocar uma camisinha logo que eu não estava agüentando de vontade de sentir ele todo dentro de mim.
Depois disso, não sei se percebendo nossa intimidade e ficando sem graça ou porque tinham combinado isso, Leo saiu do quarto nos deixando mais à vontade.
Deitei o Gui na cama e sentei naquele pau que eu adoro e cavalguei muito, ora devagar, ora com força, deixando ele louco. E ele me segurava pelo quadril e batia na minha bunda, me chamando de safada e eu arranhava o peito dele e me deliciava com ele todo dentro de mim. Gozamos juntos e que delícia.
Depois voltamos para a sala e continuamos com os vídeos, como se nada tivesse acontecido. Até o Gui sentar novamente do meu lado e me pedir pra chupá-lo dessa vez. Ele sabe o quanto gosto de uma boa chupada e que eu não ia resistir ele me pedindo com jeitinho.
E claro que passados uns minutos, chamou o Léo pra participar da brincadeira também e eu tinha dois brinquedinhos por uma noite. Chupava um e punhetava o outro. Continuei na brincadeira de inverter punhetas e chupadas até não agüentarem mais.
Logo o Gui me levou pro quarto de novo, deixando o Léo sozinho na sala (tadinho). E tivemos mais uma transa incrível.
Depois disso, a mãe do Gui ligou pedindo para buscá-la e aproveitei a saída para ir pra casa também e processar o que tinha acontecido.
Eu ainda acho que rolou um pouco de ciúme por parte do Gui, porque ele só permitiu que eu e o Léo chupássemos um ao outro, mas não deixou que me penetrasse. E eu acabei ficando só na vontade de provar o Léo todinho. Mas quem sabe numa próxima.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.