"Os mais excitantes contos eróticos"


A primeira tentativa


autor: Sabrina Costa
publicado em: 17/04/15
categoria: virgindade
leituras: 46214
ver notas
Fonte: maior > menor


Era uma tarde ensolarada, e eu estava no recreio com minhas amigas, quando meu namorado me liga no celular perguntando se iria sair cedo naquele dia, disse que seus pais viajaram pra uma cidade da região, que só chagariam bem tarde da noite, e que ele estava sozinho em casa, portanto tínhamos alguns momentos pra gente se pegar tranquilo em seu quarto.

Mesmo com o namoro em crise fiquei toda eriçada e disse a ele que teria as cinco aulas, mas que tentaria fugir infiltrada no meio da 903, que estava liberada depois do recreio, minha sorte era tamanha que minha turma 902, ficava ao lado da turma que sairia cedo por falta de professor, porém teria que ficar atenta porque seu Zé da portaria me conhecia, sabia exatamente a turma que eu estudava, então tinha que tomar o maior cuidado pra não ser pega fugindo mais uma vez.

Luiz me esperava lá fora no seu golzinho prata com o som ligado na maior altura, quando ele me viu saindo pela portaria abriu aquele sorriso gostoso com seu jeito de moleque safado, parecendo me dizer: “hoje eu te pego de jeito”.

Entrei no carro e saímos o mais rápido possível, quando chegamos à casa, Luiz guardou o carro na garagem, pulei do carro e saí correndo com ele atrás de mim, na brincadeira de pega pega, entrei em sua casa pela porta da cozinha e fui direto pro seu quarto me jogando de bruços em sua cama.

Me joguei de bruços na cama dele ficando de bunda arrebitada pra cima só esperando ele se deitar sobre mim, e me dar umas roçadas com seu pau duro, aquilo era delicioso demais.

Com seu pau bem encaixado no rego da minha bunda embaixo da calça jeans de uniforme ele esfregou suavemente, puxou meus cabelos para o lado, pra beijar minha nuca, e falou baixinho nos meus ouvidos, me deixando muito excitada.

Com um pouco de dificuldade enfiei minhas mãos por baixo de meu corpo e abri a calça, ele se levantou um pouco e me ajudou a tirar minha calça com a calcinha junto e empinei bem a bunda pra ele com as pernas um pouco abertas.

O porquinho abriu minha bunda gorda, enfiou o nariz no meio do meu rabo suado, cheirou e lambeu meu anelzinho com gosto, enfiou a língua lá dentro da bocetinha lambendo toda aquela baba de moça virgem, ele gemia extasiado, eu delirava de prazer.

Ele adorava me pegar sem banho com a xoxota e cu suados, adorava o cheiro da bocetinha sem lavar, era a tara dele, ficava louco, com o cheiro da danada suada, então esfregava a cara com vontade na minha bunda por trás, e quanto mais ele chupava meu cuzinho, xoxota por trás mais empinava a bunda pra ele me chupar, era tão gostoso que eu quase gozava, ficava por pouco, meu coração até disparava.

Nesse dia ele caprichou na linguadinha, quando eu estava quase gozando, interrompeu a chupada deliciosa por trás, me virou e me ajudou a tirar o resto do meu uniforme, eu já estava no ponto para o orgasmo perfeito.

Depois ele tirou a sua própria roupa, uma bermuda sem cueca por baixo, coisa que ele não usava, e uma camiseta de malha azul.

E voltou a chupar com tesão a xoxota virgem, não aguentei mesmo, gozei alucinadamente na boca dele, que intensificava sua linguada ao perceber que eu estava gozando gostoso demais.

Mal acabei de gozar, ele ficou de joelhos entre minhas pernas, botou um travesseiro debaixo da minha bunda, puxou minhas pernas pro alto colocando em seus ombros, e eu ainda extasiada do orgasmo que tivera, comecei a levar no botãozinho.

Luiz olhando me meus olhos, sorrindo com carinha de sacana de cachorro tarado, adorava comer meu cu, daí ele foi enfiando e tirando o pau bem devagar até entrar tudo, senti o cu abrindo e o pau dele escorregando apertado pra dentro do meu reto, quando entrou tudo ele socou com vontade.

Ao mesmo tempo, que metia com pressão, esfregava meu clitóris, foi tão perfeito aquilo que tive outra gozada deliciosa com ele me fodendo o cu, minha gozada foi tão forte que estremeci todinha urrei como uma loba, ele no embalo do meu gozo alucinante, não se conteve e gozou gostoso dentro do meu botãozinho.

Foi uma coisa meio selvagem, o tesão era tanto que o pau dele não caiu, o meu tesão permanecia e ele continuou tão excitado que tirou minhas pernas dos ombro dele e a fez posição papai mamãe para esfregar seu pau na xereca que ainda estava sob efeito da gozada, a danada estava tão babada que o pau dele escorregava nela todinha.

Aquela pica dura deslizando na minha buceta, foi delicioso demais, o tesão não acabava, não nos demos tempo e continuamos na brincadeira gostosa de esfregar o pau na xoxotinha virgem que latejava sem parar.

Nessa brincadeira nos beijamos muito, nos acariciamos, e o pau escorregando gostoso dentro dos grandes lábios, até encaixar na portinha lacrada e nos deixar enlouquecidos.

Fiquei tão tesuda nessa hora que agarrei sua bunda com unhas e garras, prendendo seu corpo na posição, fazendo com que seu pau pressionasse com firmeza o cabacinho.

Estava num momento tão extasiante do prazer que a única coisa que eu desejava naquele momento era ter aquele pau perfeito entrando na minha boceta pela primeira vez.

Ele correspondeu ao meu chamado e forçou a cabeça do seu pau pra entrar na boceta encharcada, repetiu o mesmo ritual de me invadir o cuzinho, empurrando e tirando lentamente seu pau, até que forçou com toda sua força, senti rasgar um pouco, doeu muito, ardeu, entrou só a cabecinha, e Luiz gozou antes mesmo de me penetrar por completo.

Seu tesão foi tão intenso que não resistiu e gozou na portinha, confesso que fiquei um tanto decepcionada, porque ele gozou antes de me preencher todinha com seu pau gostoso.

Meu namorado gozou tão forte que dessa vez seu pinto murchou na hora, e ele despencou sobre mim, fiquei boladona, não tinha mais tempo para terminar naquele dia o que começamos com tanto tesão.

Tinha que ir embora, já estava na minha hora de chegar em casa, não podia chegar atrasada, minha mãe era uma leoa e vigiava meus horários, então levantei da cama, pra me vestir e ir embora.

Quando olho na cama uma manchinha de sangue, fiquei mais bolada ainda, Luiz me arrebentou o cabaço, mas não me penetrou completamente e ainda gozou na velocidade da luz dentro dela, então só me restou vestir minhas roupas e correr pra casa antes dos pits da minha mãe.

Já na minha casa muito indignada por não ter sido inteiramente penetrada e muito menos ter gozado na pica gostosa do meu namorado, vou ao banheiro pra fazer xixi, quando tiro a calcinha, vejo seu fundo molhado com mais um pouco de sangue e encharcada com a porra de Luiz, que poderia ter me engravidado ali, sorte a minha que não.

O chato foi que fiquei na dúvida, eu continuava virgem ou não?!! Sangrou um pouco, mas o pau não entrou totalmente, infelizmente não pude terminar com meu namorado o que começamos a fazer, pois nosso namoro acabou poucos dias depois de nossa aventura em seu quarto. Então, virgem ou não!?!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.