"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Ayala e eu (2ª parte)


autor: Stalker
publicado em: 18/04/15
categoria: hetero
leituras: 1962
ver notas
Fonte: maior > menor


Cheguei na casa de Ayala ansiosa, já excitadíssima,
pensava no que ele faria comigo...
Meu coração batia descompassado, vesti sandálias de salto alto, vestido,
lingerie preta... eu sentia tesão desde que ele me largou em casa
na madrugada, antes de dormir fiquei lembrando o que aconteceu,
em todos momentos... eu arrepiava a todo instante, e estava molhada...
Sentia ainda a pele do rosto, pescoço, seios...
meio machucada, pela barba dele por fazer...
Pelo interfone ele falou comigo, a voz dele tão máscula e eu me derretendo!
Sempre cheio de humor, adoro senso de humor dele,
entrei; ele veio me encontrar, me abraçou forte,
primeira coisa que disse, que tinha vontade
de arrancar minhas roupas, mas não faria isso...
E eu pensando: "E porque não?!"
Deixei ele conduzir a situação, me ofereceu uma bebida,
me pegou pela mão e me levou pra conhecer toda casa...
o quarto dele ficou por último, Ayala colocou música para ouvirmos.
Estava olhando distraída os livros dele quando viro de frente,
ele sentado em uma poltrona me olhando, me chamou até ele,
eu pensei: "A distância é a mesma...", sorri e chamei ele
até mim, ele ficou me olhando algum tempo, e me chamou de novo...
E eu louca pra transar, pensei: "Chega de brincadeira..."
resolvi ser mais ousada... comecei a tirar meu vestido devagar...
acompanhando o olhar dele, deixei o vestido cair ao chão, pensei:
"E agora, quem resiste?", eu via desejo no rosto dele,
território dele, fui até ele...
Que me tirou do chão e praticamente me jogou na cama, adoro!
Ele mantinha uma perna entre as minhas, e aquela pressão estava me pondo louca...
Eu percorria o corpo dele com as mãos, adorei sentir cada parte da pele dele,
tão quente, o corpo dele, e toda sensação que ele causava em mim...
Ele deslizou a mão pela minha coxa até minha bunda,
por dentro da calcinha, eu estava tão molhada, e ele cheio de tesão..
Enfiei minha mão dentro da cueca dele, segurando cacete dele pela
primeira vez pele com pele, na noite anterior eu só tinha sentido
pelo tecido da calça dele, senti que era grande, grosso;
e ele continuava me beijando,
devorando minha boca, eu já nem pensava mais nada, só sentia.
Ayala me levantou, tirou minha calcinha, me pegou nos braços,
me virou de cabeça pra baixo, me colocou com a buceta na cara dele, que ele
abocanhou tudo, me chupando com intensidade, tirei o cacete dele pra
fora da cueca e chupei ele com a mesma intensidade...
Quando ele se largou na cama, resolvi provocar ele ainda mais,
peguei na bolsa o óleo para massagem que levei...
esfreguei minha buceta em todo corpo dele,
me movendo sensualmente sobre ele, de frente pra que contemplasse meus
seios, de costas pra que visse minha bunda...
Me movendo devagar, me esfreguei nele: na perna dele, braço, peito,
com os pés dele acariciei meus seios,
e lambi, chupei... indo e voltando, as vezes
ouvi ele suspirar, murmurar algo, meus gemidos de prazer
deixam ele maluco, sei disso!
Senti ele tocar meu corpo algumas vezes,
em que cheguei ao alcance das mãos dele...
Lambi, chupei tanto ele, me esfreguei...
adorei ele ter ficado lá só sentindo o que eu fazia.
Quando resolvi por um fim naquela tortura...
ele estava alucinado, só me olhando, totalmente entregue...
Fiquei sobre o peito dele, de pernas abertas,
peguei as mãos dele e acariciei meu corpo com elas...
E quando eu já estava satisfeita de acariciar meu corpo com as mãos dele,
virei de bunda pra ele, coloquei a buceta no rosto dele, queria um 69 assim:
eu sobre ele, e chupei... chupei demais o pau dele, até sentir gosto de porra,
que já estava quase jorrando... eu já tinha gozado um monte de vezes,
já tinha gozado com ele me masturbando, com ele me chupando,
esfregando minha buceta no corpo dele, mas ainda estava maluca por
sentir o cacete dele dentro de mim.. Coloquei o preservativo
nele, e sentei sobre o pau dele, meti tudo de uma vez,
e comecei a mexer gostoso...
Minha buceta estava apertada, o cacete dele é bem grosso, e isso
me excitou mais ainda... sentir que estava apertando tanto...
Ayala mudou as posições, deitou sobre mim,
passou o braço embaixo do meu corpo,
levantou minha bunda, enterrou o pau na minha buceta,
uma delícia tudo que ele fez comigo..
passei o Domingo todo com ele.. me largou em casa
de madrugada de novo... caí na cama, morta de satisfação.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.