"Os mais excitantes contos eróticos"


Beth - Festa na maçonaria


autor: Publicitario45
publicado em: 14/03/16
categoria: hetero
leituras: 3327
ver notas
Fonte: maior > menor


O marido de Beth, Sérgio, era maçon. Um cara gente boa que sempre que me tratava bem, me deixava mal. Apesar de ter uma sede por mulher casada o ideal era que eu não me envolvesse com ninguém da sua família. Como se não bastasse conhecer a sua filha, a Camila, Sergio fazia questão de manter os amigos da filha por perto, inclusive eu. Se isso era inocência ou estratégia para dar uma flagra na esposa a gente nunca vai saber.

Com a chegada do final de ano, Beth me encheu de presentes. Ganhei tênis, roupas, perfumes e relógio. A minha família estranhava, mas eu dizia que era coisa dos clientes da agencia. Até que chegou a conta, Beth me convidou para ir na festa da Maçonaria onde seu marido participava, era uma festa grande, num lugar enorme e com muita gente. O motivo da minha ida? Beth queria transar no estacionamento do lugar, dentro do carro do marido dela. No inicio relutei, por dentro achava que a gente estava abusando da sorte, mas diante de tantos pedidos de uma mulher com cara de puta, cedi e fui.

Para não dar muito na pinta, tratei de levar meu amigo Fernando. Luciana, a sobrinha de Beth e Abigail já sabiam do nosso esquema mas mantinham segredo para evitar problemas ainda maiores.

Chegando lá cumprimentamos todos, inclusive Sérgio que apesar de ter estranhado nossa presença nos tratou muito bem, como sempre. Beth, deu um jeito de me informar onde estava o carro e na hora marcada fomos pra lá. Eu fui na frente e deixei Fernando à postos para alguma emergia, Beth seguiu, entrou no carro, piscou os faróis e eu entrei.

Na verdade eu tremia mais do que ela. Era incrível coo ela não se preocupava com a possibilidade de sermos flagrados ali. Nem bem entrei no carro e Beth abriu meu zíper e caiu de boca no meu pau. Meu deu um senhor boquete e pediu que fossemos rápidos.

Depois, desceu um pouco mais a minha calça tirou a calcinha por debaixo do vestido e veio. Sentou em cima de mim e meu pau entrou fácil demais. Sua boceta estava completamente encharcada e e penetração foi rápida.

Beth apenas rebolava no meu pau. Gemia baixinho, beijava a minha boca e rapidamente gozou. Quanto mais perigoso era a transa, mas fácil ela gozava.

Depois do segundo orgamos ela tirou meu pau com a mão, levou em direção ao seu cuzinho e sentou. O pau foi sendo sugado pelo anel apertado e com poucas reboladas eu gozei enchendo seu rabo de porra.

Ficamos ali mais uns cinco minutos nos beijando. Um casal de amigos passou do lado do carro mas graças aos vidros escuros ninguém viu nada.

Beth tirou um papel toalha de dentro da bolsa, se limpou e limpou meu pau com a boca. Antes de nos despedirmos ela me beijou novamente e pediu que eu fosse embora com os meus amigos.

Fui pro meu carro e Fernando chegou rapidamente. Contei tudo a ela e saímos rindo em direção ao bar mais próximo.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.