"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Corno humilhado, esposa arromb


autor: anaconda 30cm
publicado em: 03/04/16
categoria: traição
leituras: 20593
ver notas
Fonte: maior > menor


Esse meu relato, ocorreu em junho de 2011, quando ainda residia em Vitória. Participava de uma conhecida rede social de encontros sexuais; logo no meu primeiro dia no site, recebi um insólito convite:
"Olá amigo, boa noite! Você é tudo que procuro para minha fêmea; quero vê-la encarando uma rola gigante, há muito tempo nós alimentamos essa fantasia, não vemos a hora de realizá-la. Queremos conhece-lo na próxima sexta, é possível? Confira no nosso perfil as fotos da minha esposa, e veja se lhe agrada, abraços!"
Parecia mentira as fotos daquela deusa, uma loiraça com 1,75m, seios abundantes, um enorme rabo, corpo desenhado na mão. Não hesitei em aceitar aquele convite, apesar de achar estranha, sobretudo a vontade, desejo de ser corno.
Marcamos o nosso encontro, num dos principais motéis de Vitória, o corno trouxe um pouco de cerveja, para todos quebrarem o gelo; era nítida a ansiedade do casal, sobretudo de Carla, que não parava de olhar para o volume da minha calça. A gostosa era mais linda pessoalmente, do que em suas excitantes fotos.
Após jogarmos papo fora, chegara a hora da verdade. O corno sentara em frente da cama, e deu o sinal:
-Fiquem a vontade.
Carla me atacou! Começou a me beijar com força, volúpia, e rapidamente dirigiu suas mãos pra sentir todo o volume que havia em minha calça.
-Ai, caralho!!! Jesus Cristo, estou fodida, tu vai me destruir!!!
Não aguentei, e cai de boca intensamente nos seus seios, sorvia aquela delícia vigorosamente.
A boca de Carla, já estava aguando, babando, louca pra mamar minha anaconda. Arranquei o porrete para a fora da calça, e comecei a bater com ele no seu rosto.
-Dói cavalo, dói!!!
Furiosamente, a gulosa segurou com as duas mãos no tronco, e punhetava enquanto mamava no cabeção do monstro.
-Tá vendo corno, isso é que homem, macho, olha a diferença brutal, em comparação com o cotoco que carrega entre as pernas!
O corninho assistia a cena, punhetando o seu cacete, que era pequeno; e em comparação com o meu, a diferença ficara muito mais bizarra, parecia de um bebê.
-Quero sentar cavalo! (havia um pouco de medo na sua expressão, que se mesclava deliciosamente, com o tesão)
-Deixe-me chupar antes tesuda, assim, não vai caber.
Ela esfregara a sua boceta em minha cara! Que boceta doce, suculenta! Carla estava tão excitada, que mal mal comecei a explorar com a língua, o seu grelo, e babar em sua boceta, para facilitar a penetração, ela já gozara.
-Ahhh..... Filho da Puta! Agora me arromba!!
Carla forçava a entrada do mastro, e pra variar, o meu cacete parecia que não ia entrar.
O corno resolveu ajudar; com as mãos em seu rabo, fe um movimento, para inventar mais espaço em sua boceta, e o cabeção entrou...
-Ah!!!! Ai!
Insanamente a loira intensificava os movimentos, rebolava, gemia, gritava, e forçava cada vez mais a entrada do tronco.
-Ai gostoso, como me faz gozar, que pau é esse...Ahhhh...
Atônito o corno assistia tudo, parecia não acreditar na cena.
Forcei para entrar mais, e meu pau encostou no colo do útero...
-Caralho, ai, ai, ai, ai, vai...
A boceta de Carla pulsava violentamente, e começou a jorrar o seu delicioso líquido, que respingava na minha cara. A loiraça experimentava pela primeira vez o squirting, ejaculação feminina.
-Calma loira, tem mais cacete pra entrar...
Forcei mais, e mais, a loira berrava de dor, chorava, e gozava, tudo ao mesmo tempo, de forma descontrolada...
O corno não aguentando, se aproximou de nós, e esporrou na boca de sua amada...
A loira parecia possuída, ensandecida, cavalgava com ainda mais fúria.
-Como é bom um caralho gigante, como é bom, MEU DEUS!!!!
Continua arrombando, sou sua cadela!
O corno segurava firme o ciúme, via a esposa sentindo um prazer que ele jamais poderia proporcionar.
Retirei o tronco para fora, botei a loira de quatro.
-Agora vou arrebentar o teu cu.
A loira já quase desmaiava, mas entorpecida, resolveu encarar um desafio ainda mais difícil.
-Corno, chupa o cu e a boceta da sua mulher, deixa o rabo dela bem encharcado!!
Obediente, e excitado, atendeu o meu pedido, a esposa estava com o seu rabão todo empinado. Aquela cena, fez que meu cacete ficasse ainda maior e mais grosso, tamanha era a excitação.
-Agora, sente-se, e assista.
Com um vigor impensável, comecei a rasgar o cu da loira, mal mal entrou a cabeça, e ela já voltara a gozar. Meti freneticamente, diferentemente da boceta, que tem um limite, no cu, consegui entrar ainda mais fundo.
A dor e o tesão atingia o limite, a loira gritava, gemia, e chorava de uma forma cada vez mais forte e escandalosa, possuída por um impensável prazer.
A loira suportara 30cm de tronco, atochados em seu rabo (e a grossura do meu pau na base, é equivalente a uma garrafa de cerveja).
Já não aguentava mais, e era a minha vez de perder o controle, e gozar.
Tirei o pau pra fora, bati com ele novamente em sua cara, e gozei violentamente em seu lindo rosto. Nunca tinha esporrado tanto, sua cara ficou toda esbranquiçada, e a porra escorria pelos seios.
O corno, excitado, resolveu beijar a sua esposa, e beber da minha porra...
Antes da esposa desmaiar, pedi para o corno:
-Olha o estrago.
A boceta da loira, estava 5 vezes maior, toda inchada, vermelha. ( a cama além de encharcada, tinha sangue)O seu cu, ficou esfolado, em couve-flor.
Ao ver a cena, o corno gozou novamente.
Depois de uma semana, andando esquisito, sem sentar direito, a loira me procurou novamente, mas escondida do seu marido.
Quer provar de todo esse prazer! Me conheça!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.