"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha prima doente mental


autor: vitinhoCH
publicado em: 06/04/16
categoria: virgindade
leituras: 14381
ver notas
Fonte: maior > menor


Eu moro com meus pais em uma fazenda, meus pais quase sempre viajam e eu fico sozinho. Nunca achei isso um problema, é la que eu faço minhas diversões. Me chamo Victor, tenho 19 anos, sou magro mas nada de corpo definido, sou branco, tenho olhos e cabelos castanhos escuros, e 17cm.

No inicio do ano meus pais viajaram para a Bahia, passar uma semana la. No dia seguinte da viajem deles, eu estava em casa entediado quando tocam a campainha, minha tia que mora no interior vira me visitar junto com minha prima chamada Mel, nunca soube exatamente oque Mel tinha, mas só de ouvi-la falar sabíamos que algo estava errado, ela tinha um comportamento infantil, nunca sentava no sofá só ficava pelo chão e só gostava de desenho animado, ela tem 17 anos mas ainda esta na 6 serie. Apesar de tudo ela é linda, é loira, tem peitos que parecem melões e uma bunda de parar o transito.

Minha tia me avisou que vai passar 3 dias na fazenda porque tinha problemas para resolver la na cidade, nem me interessei pelo que era, apenas pensava que ficaria "tomando conta" da minha prima enquanto minha tia saia. Ela saiu ainda pela manhã, me deu umas recomendações de como cuidar de Mel e avisou o horário que eu devia dar uns remédios para ela, e saiu.

Assim que eu tranquei a porta, olhei para sala e vi Mel andando de quatro pelo chão e fazendo sons de gato, ela tava de saia, dava pra ver aquele bundão inteiro. Eu me aproximei e falei:
-Você é um gato?- dai ela respondeu
-Miaaaau!- e eu disse
-Deixa eu fazer um carinho em você gatinho
Ela se aproximou de mim e esfregou as costas dela nas minhas pernas, eu me abaixei e apertei sua bunda, ela ficou imóvel e eu continuei massageando aquela delicia, minhas mãos afundavam naquela carne toda, então eu falei:
-Quero leite
Ela fez uma cara de confusa e eu deitei ela de barriga para cima e falei:
-Sou seu filhote e preciso de leite

Tirei a blusa e ela não reagia, só continuava a fazer sons de gato, quando tirei o sutiã seus peitos saltaram e eu vi que eram maiores do que imaginava, como aquilo tudo cabia dentro daquele sutiãzinho?!?comecei a chupar um de seus peitos enquanto apertava o outro, era tão macio e gostoso, dava vontade de passar o dia todo fazendo aquilo. Ela parou de fazer os sons de gato e sua respiração ficou acelerada, podia sentir enquanto chupava seus peitos o seu coração batendo mais forte. a essa altura eu já tava completamente pelado.

Eu tava muito duro, puxei sua saia e sua calcinha de uma vez deixando aquele corpo totalmente a amostra. ela se levantou e foi correndo pro quarto, eu corri atrás dela e agarrei pela cintura encostando meu pau na bunda dela. Ela falou
-quero mais brincar não- e eu respondi
-Ah mas eu quero brincar - enquanto esfregava meu pau naquele bundão- você quer me deixar triste?
e ela falou -ta boooom! brincar de que agora?
Peguei ela pela mão e levei pro meu quarto. chegando la falei que queria continuar brincando de gatinho, ela ficou de quatro de novo e começou a fazer os sons de gato. eu sentei na cama e mandei ela vir e subir na cama também. Foi muito excitante ver ela pelada andando de quatro e pulando na cama como um gato. Então eu falei:
-Gatinho quer leite?- ela fez um gesto de sim com a cabeça, eu peguei no meu pau e falei- aqui tem!

Ela aproximou o rosto no meu pau e eu segurei sua cabeça e mandei ela abrir a boca. ela fez e eu empurrei meu pau na sua boca e comecei a me mover. Mel reclamou do gosto e eu disse que ia sair leite e continuei. A boca dela era uma delicia, eu ouvi os barulhos dela engasgando e acelerei. gozei tudo dentro da boca dela e mandei ela engolir o leitinho dela. Mel engoliu tudo e falou que era ruim e eu disse "claro você esqueceu do açúcar" e ela acreditou. aquela inocência só me deixava mais excitado. Falei que queria brincar de outra coisa e falei que era surpresa. deitei ela com a barriga para cima e botei um travesseiro em seu rosto, falei para não olhar para não estragar a surpresa. Comecei a chupar a buceta dela como um louco, era cheirosa e quase não tinha pelos, eu lambia e ela falou:
-Oque é isso? Faz cocegas!- e eu falei- Você não pode olhar se não perde o jogo
Continuei a chupar aquela buceta deliciosa até deixa-la toda molhada. Não aguentei mais de tesão, queria muito fude-la, pincelei meu pau na buceta dela e meti, a cabeça entrou fácil e eu comecei a empurrar, nessa hora ela deu uns gritos muito esquisitos, parecia um bicho. Eu falei 'calma que você já ta quase vencendo". Continuei a empurrar e vi sangue saindo. comecei a me mover e chupar seus peitos, tava muito gostoso aquela bucetinha apertada, brinquei um pouco com o clítoris dela e ela gemeu. Comecei a fuder bem rápido e ela só gemia. fiquei de corpo colado com o dela, tirei o travesseiro de seu rosto e falei "você venceu! aqui teu premio" e comecei a beija-la, ela ficou meio dura mas então abriu a boca e eu meti a língua la dentro, em pouco tempo ela também mexia a língua e eu não aguentava mais, tirei meu pau e falei "toma mais leite" e ela perguntou do açúcar e eu falei que não precisava. meti meu pau em sua boca e gozei muito! ela bebia tudo.

Mandei ela escovar os dente e disse para ela não contar a ninguém pois era um jogo só nosso, se não a gente não podia brincar mais. Nós "brincamos" muito no resto dos dias que ela passou la em casa.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.