"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Casal Maduro Bi - O reencontro


autor: negrokerksal
publicado em: 07/04/16
categoria: coroas
leituras: 4965
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá pessoal, como disse no meu 1º relato (digo relato por não se tratar de uma estória fictícia, mas sim real) depois de um encontro delicioso com um casal maduro teve repeteco.

Mas deixa eu me apresentar novamente. Me chamo Jorge (nome fictício),sou um negão safado porém discreto e educado, tenho 45 anos, 1,83 de altura, 95 kgs e um pau de 20,5 cm. Casado (ela nada sabe, por isso garanto e peço sigilo) com filhos, moro em São João de Meriti na Baixada Fluminense. Curto casais maduros, mas todos são bem vindos: casais jovens, mulheres sós (jovens ou maduras).

Mas vamos ao que interessa. Depois de um encontro maravilhoso com Jorge e Tânia (nomes também fictícios) continuei mantendo contato com eles através do Skype, sabe como é: são um casal maduro e bem conhecidos na sociedade, por isso prezam muito pela discrição. depois de um mês Jorge me liga no trabalho perguntando se poderia encontra-los naquela tarde (era uma sexta bem quente) e como trabalho próximo ao prédio onde moram e não tinha nada marcado, liguei pra casa avisando que faria umas horas extras, mas não chegaria tarde em casa. Sai até uma hora antes do fim do expediente alegando ao meu encarregado que tinha um assunto importante para resolver.

Chegando ao prédio deles, ligo para o Jorge e ele abre o portão. Chegando no andar ao abrir a porta do elevador vejo Jorge na porta do apartamento me esperando já com um copo de refrigerante bem gelado dizendo que naquela tarde ele seria o mordomo da casa. Quando entro e chego na sala do apartamento tenho a visão que até hoje quando lembro meu pau endure-se na hora. Vejo Tânia deitada no sofá nua em pêlo (como a cena do filme Titanic qd a Rose vai ser pintada pelo Leonardo D'Caprio). Imaginem uma mulher loira, no auge da sua beleza balzaquiana, branca quase sem marca de sol, seios deliciosos para uma mulher da sua idade (54 anos), bucetinha lisinha, algumas sardas nos seios. Porra já tô de pau duro agora.

Bebi aquela coca numa golada só e fui ao seu encontro. Ao me ver ela abre um sorriso lindo dizendo que estava morta de saudade do seu nego safado. Me ajoelho em frente dela e nos beijamos ardentemente. Me coloco de pé e a levanto do sofá e continuo ao com o beijo só que agora com as mão livres para apertar seu corpo todo contra o meu e segurar aquela bunda branca com vontade. Então ela pede para esperar um pouco e me conduz pela fivela do cinto até o quarto do casal. Ao entrar ela começa a me despir calmamente e mandando o marido ir dobrando cada peça de roupa e por sobre o criado mudo. Peça por peça ela me despe sempre parando um pouco para sentir meu sabor. Quando tirou minha camisa veio lambendo minha orelha, logo depois meu pescoço e em seguida meus mamilos. Tirou minha calça e sunga. Quando ela viu o estado que eu estava, me olhou nos olhos e disse que estava com uma saudade enorme da minha pica preta. Chamou o Jorge e mostrou meu pau e disse que isso que é um pau e não esse negocinho que ele tinha entre as pernas.

Sentou-se na cama e começou a me chupar sem pressa do jeito que eu gosto, saboreando cada cm do meu cacete. Enfiava todo na boca e subia até a cabeça, depois descia até o saco e sugava minhas bolas uma por uma e voltava subindo lambendo até a cabeça. Ela então parou, me deitou na cama e subiu em cima de mim colocando sua xota na minha boca e me mandou chupa-la. Que buceta gostosa, confesso que até hoje sinto saudades do seu cheiro e sabor. Sua buceta estava ensopada ficava mais ainda quando enfiava a lingua dentro da vagina pra tirar todo o melzinho que escorria de lá. Então ela se vira para o marido e manda ele parar de fotografar e deixar meu pau preparado pra ela sentar assim que ela gozasse. Sem cerimônia Jorge se ajoelha no pé da cama e começa a mamar meu pau babando ele todo, rapidamente Tânia o lembra que não pode me fazer gozar na boca dele pois meu leite é dela. Ainda bem que ele diminuiu o ritmo pois já estava quase gozando. Logo em seguida Tânia goza e rapidamente sai de cima do meu rosto e vai em direção do meu pau. O marido segura meu pau e fala que ela pode sentar gostoso no seu brinquedo. Quando ela sentou, ela gozou de novo, nem precisava ela ter anunciado aos gritos, pois sua xota parecia uma mão com creme. Senti aquela buceta apertar meu pau de uma forma tão intensa que gozei junto com ela. Me lembro que fiquei com meu saco ensopado com minha porra e com seu gozo (parecia que ela estava mijando).

Assim que ela se recuperou me pediu desculpa por ter me molhado, mas alegou que tinha tampo que não tinha um orgasmo como aquele de perder os sentidos (e olha que já vi aquela mulher gozando inumeras vezes na foda anterior e realmente ela se superou naquela). Disse pra ela não ligar pois adorei poder oferecer esse prazer pra ela. Enquanto ficamos na cama nos acariciando e sentindo os ultimos espamos acabando. Jorge vai na cozinha e volta com mais um copo de refri pra mim (esqueci de mencionar que não bebo bebida alcoolica e nem fumo) e uma lata de cerveja pra ela. Nisso ela olha e ve meu pau ainda melado de porra e mando o marido limpar e matar a vontade de provar meu leite. Rapidamente ele cai de boca lambendo tudo deixando meu pau limpinho e consequentemente meu pau fica duro de novo.

Tânia vendo o resultado se põe de quatro na cama e me manda continuar a brincadeira de onde paramos. Peguei o pau e comecei a socar com vontade naquela buceta. Como sei que ela gosta também dava palmadas de mão cheia naquela bunda que de tão branca ficou vermelha demais. Fiquei até preocupado mas ela mandou bater mais e com mais força. Segurei ela pelos cabelos com uma das mãos e a outra estapeava sua bunda e socava com força meu pau dentro daquela buceta gulosa. Ela gozou horrores de novo, mas dessa vez consegui me controlar pois queria comer aquele cu mais uma vez.

Quando falei que queria por no seu cu ela de imediato falou que naquele dia não, pois tinha reservado uma surpresa pra mim. Saiu de cima da cama e foi até o criado mudo e pegou uma camisinha e um tubo de gel e disse que naquela tarde seri o cu do corno que eu ia comer, pois ele ficou louco de vontade de sentir depois que ela lhe disse como é gostoso sentir meu pau no rabo. Ele já estava acostumado pois vi e ele tb me disse que ela comia ele de vez em quando com uns brinquedinhos que eles tem.

Rapidamente ele se pôs de quatro em cima da cama e Tânia começou a lamber e preparar aquele cu para mim. Depois de bem lubrificado e de Tânia ter lasceado com os dedos, parti pra cima dele e ele ancioso pediu para ser carinhoso pois meu pau era grande demais. Fui empurrando devagar e ele rebolava chegando a bunda pra trás e aos poucos seu cu foi engolindo cada pedaço do meu pau. Depois fiquei parado esperando ele se acostumar com meu pau todo dentro. Assim que ele começou a rebolar e pedir rola, fui acelerando meus movimentos e socando com vontade naquele cu, por sinal muito gostoso também, quase tão gostoso como o da esposa. Me lembro dele dizer a esposa como era gostoso mesmo meu pau dentro do seu rabo, que ela não havia exagerado, que aoesar de grande e grosso eu sabia fazer com jeito tornado-se prazeroso.

Quando anunciei que iria gozar ela tirou ele do meu pau e tirando a camisinha ficaram os dois esperando meu leite. Adoro essa visão duas bocas famintas e sedentas no meu caralho. Gozei na cara dos dois e batia com meu pau neles. Enquanto me recuperava na cama eles ficaram se lambendo e dividindo minha porra.

Pena que me disseram que aquela seria a ultima vez, pois como disse eles são conhecidos e nunca repetem o parceiro. Mas no meu caso abriram aquela exceção, pois Jorge queria provar meu pau no cu e a condição foi dele ser nosso mordomo e aceitar o que ela impusesse.

Bem continuo mantendo contato com eles por zap, aguardando uma nova quebra de regra deles.

Bem deixa eu ser claro para não ser mal julgado. Fizemos sexo sem camisinha no relato anterior e neste também, mas nada antes de cada um de nós apresentar exames para ambas as partes ok? Sexo é bom mas tem que ser feito com segurança sempre. E como disse acima sou casado e não posso dar esses moles com a familia.

Bem galera fico por aqui, mas prometo voltar com outros relatos. Outras conquistas feitas através desse site.

Lembrando que quem quiser entrar em contato meu email é negrocariocakerksal@hotmail.com





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.