"Os mais excitantes contos eróticos"


Minha primeira vez com lésbica(2ª part


autor: nandinhataxista
publicado em: 11/04/16
categoria: hetero
leituras: 4122
ver notas
Fonte: maior > menor


Minha primeira vez com lésbica (2ª parte)

Eram vinte horas quando saímos pra cidade e chegando lá, as duas se encontraram com outras meninas e me esqueceram, minha sorte foi que o Gui me abraçou e foi me levando direto pra uma barraca para comprar cervejas, eu nunca tive o hábito de beber, mas naquele dia eu quis experimentar.

Depois de já ter bebido várias latinhas, o Gui tentou me beijar, fiquei puta, se ao menos ele tivesse me perguntado se podia, mas não, foi na mão grande mesmo, caramba perdi a linha e meti a mão na cara dele.

Quando a Fátima percebeu a porrada que dei nele, veio na minha direção me abraçou e perguntou.

_ O que aconteceu gatinha?

_ Sei lá o que deu nesse garoto, ele tentou me beijar na marra, foi isso.

_ Porra Gui, como você faz uma coisa dessas, conhecemos a garota hoje, você nem sabe se ela gosta disso?

Nisso o Gui disse.

_ Merda me desculpe Nandinha, foi mal.

Elas me abraçaram e me levaram com elas, na primeira barraca que paramos a Beth falou.

_ Vamos beber para esquecer a babaquice que esse muleke fez.

Caramba me deram caipirinha, nunca tinha bebido aquilo, mas gostei e bebi outras.

Daí por diante não me lembro de mais nada.

Domingo dez horas da manhã me levanto com uma puta dor de cabeça, olho para o lado e vejo as duas deitadas na cama de casal.

Tento forçar minha memória para me lembrar o que tinha acontecido, quando ouço a Beth falar.

_ Caralho prima, você bebeu muito.

_ Sério Beth, o que foi que fiz, minha tia viu?

_ Calma só eu e a Fátima que sabemos do seu porre.

Com essa conversa toda a Fátima acordou e começou a dar gargalhadas e foi logo dizendo.

_ Menina não sabia que você bebia tanto, e o melhor foi que você me beijou na boca com vontade
.
Eu fiquei vermelha, pasma sem saber o que dizer, minha vontade era de enfiar a cabeça no primeiro buraco que encontrasse aberto.

A Beth começou a ri e me disse.

_ Esta tudo bem prima, a Fátima tá te sacaneando, não houve nada de beijos.

Lembro-me ter dito assim.

_ Porra que susto, eu nunca me vi beijando outra garota, nem sei se teria coragem pra isso.
Na mesma hora a Fátima resmungou.

_ No dia que você beijar gostoso outra menina, com certeza você não vai esquecer.

A Beth sugeriu que fossemos tomar banho e relaxarmos para comermos alguma coisa.

Eu ainda estava me sentindo meio tonta, cambaleando para os lados.

_ Prima eu acho que ainda estou bêbada.

Beth se ofereceu pra me ajudar.

_ Deixa eu te ajudar, vou te dar um banho frio e logo você melhora.

Ela chamou a Fátima pra ajudar e me levaram pra dentro banheiro. Quando chegamos lá ela foi tirando minha roupa, peça por peça, a amiga dela só fazia rir e comentava que eu estava uma delicia, coisa que minha prima chamou atenção ao dizer.

_ Poxa Fátima, ela não esta acostumada com isso e muito menos das coisas que fazemos.

Mesmo bêbada aquilo ficou martelando na minha cabeça, que coisas seriam aquelas que minha prima se referiu.

Tomei meu café e voltei a dormir, precisava esconder minha cara de lesada.

Lá pelas duas horas da tarde fui acordada pela Beth pra almoçar, quando cheguei à mesa percebi que a Fátima estava sentada justo de frente pra cadeira que eu iria me sentar.

Fiquei meio que envergonhada sem conseguir olhar direito pra ela, e toda vez que eu olhava a pegava olhando pra mim.

Terminamos o almoço e fui ajudar minha tia com a louça, lavando e enxaguando enquanto ela secava, depois de tudo limpinho e guardado nos seus devidos lugares procurei pela Beth, e o Gui me disse que ela tinha ido pro quarto, fui até lá, abri a porta e fiquei abestada quando vi a Fátima beijando minha prima na boca, mas elas me viram e começaram a dar gargalhadas, me mandaram fechar a porta e me aproximar da cama.

A Beth tentou me explicar e pedir segredos.

Eu sem saber o que dizer, fiquei ali parada que nem uma boba.

Fátima fez uma pergunta pra minha prima.

_ Ela é tímida mesmo ou esta assim porque nos viu?

Respondi.

_ Me desculpe eu não queria atrapalhar vocês, vou sair.

De repente minha prima me pegou pelo braço, e me fez sentar na cama que ela precisava conversar comigo.

_ Nandinha, eu vou confiar em você, eu e a Fátima sempre nos beijamos assim, quando você experimentar também vai gostar, mas isso é um segredo nosso, posso confiar?

_ Por mim tudo bem prima, eu nem estive aqui.

Voltei pra junto dos outros na varanda, mas fiquei confusa e curiosa pelo que ouvi da Beth, por que ela disse de eu também gostar.

Já estava anoitecendo quando nos preparávamos para voltar pra casa, quando a Beth falou que a Fátima iria pegar uma carona com a gente.

Entrei no carro e fiquei atrás do motorista que era minha tia, a Fátima no meio e minha prima na outra ponta atrás da minha avó.

Como era noite, estrada escura o sono batendo, fui deitando e acabei por adormecer no ombro da Fátima, que aproveitava da situação me fazendo carinho pelo braço e às vezes deixava seus dedos entrelaçarem pelos meus cabelos.

Aquilo era uma sensação agradável que me relaxava, a Beth também dormia do outro lado, na verdade só minha tia estava acordada por que minha vó volta e meia cochilava.

Eu estava sonolenta, quando senti uma mão deslizando pela minha coxa, me lembrei da cena das duas no quarto e fiquei quietinha deixando acontecer.

Fátima deslizava sua mão desde meu antebraço e seguia em direção do meu joelho, porém, com muito cuidado para que eu não acordasse. Às vezes ela subia com os dedos e deixava repousar no meu seio, acariciando meu mamilo.

Mesmo sem saber no que daria aquilo, fui relaxando e gostando da situação, me posicionei melhor, deixando minha boca perto do rosto dela, eu queria sentir seu hálito, sua língua, eu estava muito curiosa como deveria ser.

Do nada começou a chover forte, minha avó acordou e começou a rezar e conversar com minha tia que a tranquilizava.

CONTINUA....

Deixem seus comentários, sugestões ou se preferirem me envie por e-mail, prometo responder a todos.

nandinhataxista@gmail.com>












ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.