"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A ex-gerente - Parte 1


autor: Publicitario45
publicado em: 18/04/16
categoria: traição
leituras: 3180
ver notas
Fonte: maior > menor


Sou cliente do mesmo banco há mais de 10 anos, tanto eu como minha empresa temos conta na mesma agência. No ano retrasado, uma nova gerente assumiu as duas contas e passamos a falar quase que diariamente pelo telefone. Rafaela, a nova gerente, se se mostrou muito interessada em nos atender bem, mas pessoalmente nunca nos encontramos. Foi neste mesmo ano que resolvemos fazer um empréstimo para comprar dez computadores de alta performance, más, apesar de termos este dinheiro em caixa, resolvemos pegar o dinheiro no banco para não descapitalizar a empresa.

Foi neste momento que Rafaela entrou na minha vida. Ela mesma se ofereceu para vir na empresa nos apresentar as melhores linhas de crédito e uma reunião foi marcada aqui na agencia. No dia e hora marcada, Rafaela chegou exatamente na hora marcada. A secretaria anunciou e ela veio até a minha sala.

Quando a porta abriu, a secretaria deu espaço para que ela entrasse e quando Rafaela cruzou a porta eu me desconcentrei. Ela era simplesmente linda. Pelo sobrenome dava para perceber uma descendência italiana. Pele branca, cabelos castanhos, lisos com mexas douradas, uma boca que parecia ter sido desenhada a mão, 1,60 de altura mais o salto alto, olhos castanhos claros e um corpo que apesar de normal chamava muita atenção. Rafaela usava uma blusa preta colada no corpo e uma calça de couro, também preta bem justa. Nos pés, um par de botas com um pequeno salto. Sua boca estava coberta por um batom de tonalidade escura, algo entre o marrom e o bordô.

Assim que ela se aproximou nos cumprimentamos com um aperto de mão e dois beijos no rosto. O cheiro do seu perfume, um Dolce & Gabanna Light Blue tomou conta da sala. Sua simpatia era contagiante, ela sorria não somente com os lábios mas também com os olhos. Parecia que ela queria me seduzir o tempo todo e estava conseguindo.

A reunião durou mais ou menos uma hora e em determinado momento eu me peguei viajando nos lábios dela, mas fui interrompido quando ela me chamou de volta à terra.

- Você está ouvindo o que eu estou falando?

- Me desculpe, sim.

- Você parece estar distraído.

- Na verdade estou encantando com o seu sorriso. Mas vamos voltar aos números.

Rafaela apenas sorriu sem graça e voltou ao que realmente interessava pelo menos pra ela. Durante a semana negociamos taxas e planos de pagamento. A convite do banco, almoçamos num restaurante aqui mesmo em Vila Velha e eu pude saber mais sobre ela. Rafaela é casada com um engenheiro recém formado, ela tem 29 anos, não pensa em ter filhos e seu hobby é viajar pelo mundo nas férias. Também falei um pouco sobre as coisas que eu gosto e ela acabou me passando o seu Facebook para que eu visse as fotos de todas as suas viagens. Ao adiciona-la, vi que ela curtia algumas páginas de contos eróticos e foi ai que eu vi a possibilidade de apimentar as nossas conversas.

No dia de assinar o contrato, Rafaela foi vestida para matar. Usava um vestido cinza escuro e novamente botas. O cabelo estava amarrado com um rabo de cavalo, sua boca sempre de batom em cores escuras, o mesmo perfume e a simpatia de sempre.

Quando ela entrou nos cumprimentamos e ela sentou cruzando as pernas. Rafaela não tem cara de quem frequenta academias mas tinha um belo par de pernas. fiz uma piadinha sobre a combinação perfeita de pernas e botas e ela apenas sorriu. Continuamos a conversa e ela perguntou se eu havia visto as fotos, respondi que sim, que ela ficava bem em fotos em qualquer lugar do mundo. Mais uma vez ela sorriu e eu resolvi arriscar.

- Você apenas lê ou também escreve contos eróticos?

- O que?

- Contos. Eu vi que você curti umas três páginas que falam sobre isso.

- Apenas leio.

- Eu adoro escrever.

- Serio, você escreve?

- Sim, entre neste site e procure por Publicitario45.

Rafaela pegou o papel com o endereço, nossas mãos se tocaram de leve e eu percebi que ela estava meio tremula. Assinamos o contrato e quando fomos nos despedi troquei o aperto de mão por dois beijos no rosto seguido de um abraço um pouco mais apertado. Rafaela não recuou e eu pude sentir seu corpo tocando o meu.

Depois deste dia passamos a falar mais por mensagem e ela passou a curtir mais algumas foto no Facebook. Até que um dia Rafaela me mandou uma mensagem que fazia a seguinte pergunta:

- São reais?

- O que?

- Os conts?

- Sim, todos.

- Nossa.

- Nossa o que?

- Nada..rs.

- Quer almoçar comigo?

- Quero.

- Mas não quero falar de dinheiro.

- Quer falar de que?

- De você. Posso passar ai hoje e te buscar?

- Não, eu te busco.

No horário marcado eu estava na porá do prédio. Um HB20 preto, com os vidros escuros estacionou e buzinou. Era ela. Abri a porta e entrei.

Trocamos dois beijinhos e ela saiu rapidamente. Seguimos para o Shopping Boulevar e fomos almoçar lá. Durante o almoço Rafaela contou da sua vida, das suas viagens, reclamou da falta de atenção do marido e confessou que os mês contos deixavam ela bem excitada e que algumas vezes ela recorreu aos brinquedos para apagar seu fogo.

Depois de mais de uma hora juntos, nossas mãos já haviam se tocado umas três vezes, eu já tinha feito carinho no rosto inúmeras vezes e quando íamos nos beijar ela lembrou que estava na hora de ir embora. Paguei a conta e fomos ao estacionamento.

Entramos no carro e quando ela ia colocar a chave na ignição, a mesma caiu no chão. Rapidamente me abaixei para pegar e foquei com os lábios bem próximos da sua perna direita. Rafaela estava mais uma vez de vestido e eu não resisti e lhe beijei na coxa. Rafaela encostou a cabeça no banco do carro, deu uma leve gemida e abriu levemente as penas. Novamente beijei suas coxas mas desta vez usei as mãos para acaricia-la. Suas pernas abriam-se mais e minha mão foi em direção seu sexo. A calcinha estava úmida, com os dedos eu a coloquei de lado e toquei levemtne sua boceta. Rafaela destravou o banco do carro, afastou pra trás e abriu ainda mais as pernas, me convidando a cair de boca.

Para facilitar a minha vida puxei a sua calcinha até retira-la, Rafaela pensou em recuar mas ao sentir minha boca no seu sexo desistiu.

Minha língua percorria todo o seu sexo, mordi seu grelo, chupei com vontade todo seu mel que escorria entre as pernas. Rafaela segurava minha cabeça forçando em direção ao seu corpo e não demorou muito veio seu primeiro orgasmo.

Com a boca toda melada de gozo, fui em direção a sua boca e nos beijamos. Sua mão massageava meu pau por cima do tecido da calça, ela mesmo abriu o zíper e liberou a minha rola para em seguida cair de boca. Sua boca quente me fez soltar um gemido de prazer. Rafaela parecia faminta, me chupava com vontade, engolia todo meu pau e fazia uma pressão absurda na cabeça. Não demorou muito e eu gozei dentro da sua boca. Rafaela fez quentão de engolir até a ultima gota do meu gozo.

Quando ela terminou, encostou novamente a cabeça no banco do carro com cara de arrependimento.

- O que foi, você está bem?

- Eu não podia ter feito isso com o meu marido. Mas ele não me
procura, a gente não transa mais...

- Calma, você quer que eu pegue uma agua?

- Não, quero ir embora. Me desculpe. Vou te deixar na agencia e vou pra casa.

Seguimos em silencio até chegar na porta da minha empresa. Rafaela mal abriu a boca para se despedir de mim. Só me restou descer do carro e ir pro escritório.

O resto do dia transcorreu normalmente, mas a reação dela me incomodava. Mandei uma mensagem e ela não respondeu, liguei e ela não atendeu. Então resolvi deixar quieto, não iria insistir para não causar problemas ainda maiores.

A noite, cheguei em casa e fui tomar banho. O telefone tocou umas três vezes e quando sai vi que as ligações eram dela. Fiquei receoso de ligar de volta, pois já passava das 22h, então chegou uma mensagem:

- Desculpe-me por hoje, fui infantil demais.

- Tudo bem, fique calma.

- Estou calma, mas eu nunca havia traído o meu marido.

- E agora, o que quer fazer?

- Quero te ver de novo. Quero na sua sala, na sua mesa. Pode ser?

- Sim, quando?

- Amanhã. Ele vai viajar e eu passo ai depois do expediente. Quer?

- Quero.

Assim terminou meu dia. Quem sabe a minha sala não presencie mais uma casadinha se transformando em putinha?

Conto tudo depois. Boa semana para vocês.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.