"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Bia e Lud


autor: Delute
publicado em: 09/05/16
categoria: jovens
leituras: 1568
ver notas
Fonte: maior > menor


Sentamos há mesa e logo as conversas foram ficando animadas, regadas pela cerveja e alguns goles de vodka, Bia e Lud eram minhas amigas fazia tempo, sabia que elas mantinham um relacionamento homo, mas nunca mantive nenhum sentimento de preconceito sobre isso, às vezes quando sozinho imagina as duas transando e achava que era um esperdício, pois Bia é uma loirinha linda olhos verdes boquinha pequena tipo moranguinho dois furinhos no rosto quando sorria, seus seios durinhos e pequenos tipo cone, as cochas bem torneadas e uma bundinha arrebitada, ela agora havia pintado o cabelo de vermelho o que deixou seu rosto muito mais lindo, Lud já um pouco mais morena cabelos encaracolados que ia até os ombros, o rosto arredondado e os olhos emendados tipo indígena a boca linda e carnuda os olhos negros os seios grandes e duros o bico sempre saliente sobre a blusa, por que nunca usava sutiã, as pernas grossas e a bunda grande e empinada, um rabão de dar água na boca, eu já havia me acabado em punhetas imaginando as duas transando, aquilo me excitava muito, e hoje embalados pela bebida o clima da conversa começou a ficar, mas apimentado e logo estávamos falando sobre nossas experiências sexuais, eu não perguntei nada muito intimo sobre a relação delas, mas a conversa evoluiu para algo mais serio e acabamos falando sobre os nossos relacionamentos pessoais e nossos desejos, foi quando Bia disse que imaginava alguém observando a transa das duas, ficou vermelha, tentou disfarçar, mas já havia dito, Lud disse então que poderia providenciar isso, e eu ali escutando aquilo, estava quase pulando e gritando EU, EU, EU, EU;...
Nem precisou Lud apontou para mim e perguntou se eu toparia, nossa quase cai de costas, meu sonho estava preste a se realizar, na hora topei, mas não me fiz de muito empolgando, com medo de estragar tudo, continuamos a beber e jogar conversa fora, até que chegou a hora de irmos embora, entramos no carro da Lud e fomos a sua casa, ninguém falou mas nada sobre a transa, já dentro da casa, mas algumas cervejas e drinques, e eu eufórico, não sabendo se já haviam desistido do planejado, foi quando Bia saiu da sala e após alguns minutos voltou vestindo um baby-doll transparente, que fazia seu corpo ficar mais lindo, aparecendo após a transparência da peça.
Lud olhou para mim e me fez prometer que só iria observar sem participar, eu assenti afirmadamente toparia qualquer coisa para assistir aquilo, e já esperando para ver a sena mais linda de meus sonhos se materializar em minha frente, Lud puxou Bia para junto dela e deu-lhe um beijo molhado e excitante levou a mão pelos seios da Bia a qual ergueu a blusa de Lud deixando seus seios grandes e magníficos a mostra, eu estava numa excitação que jamais havia sentido, meu pau estava explodindo, e meio que disfarçando retirei ele para fora e comecei a alisar meus 19 cm de pica, que até doía de tanta tesão.
Neste momento Lud jogou Bia no sofá, a qual caiu de pernas abertas deixando sua bucetinha pequenina a mostra eu via aquilo e não acreditava, era mais bonita que nos meus sonhos, Lud aproveitou e retirou o resto de sua roupas, ficando nua, sua bunda maravilhosa ficou virada em minha direção e eu via a racha de sua buceta piscando, se não houvesse prometido não intervir já havia caído de boca naquela buceta, mas me mantinha forte e me segurando, Bia agora estava me olhando e lambeu os lábios abrindo um pouco a boca, quando viu o tamanho do meu pinto, acho que gostou do que viu porque abraçou a cabeça de Lud que estava chupando sua bucetinha, enviando a cara dela ao encontro de sua gruta, como que querendo enfiar ela ali dentro, eu me mantive ali sem me mover, só alisando a pica e agora a exibindo ela para bia que não tira os olhos.
Bia gemia e se contorcia enquanto Lud enfiava a língua o quanto podia dentro de sua grutinha e chupada seu clitóris, Bia tremia toda e estava gozando, as duas se engancharam e começaram uma briga de aranha uma esfregando a buceta na outra, nessa hora Bia ficou mais próxima de mim e com aquelas mãozinhas macia, abraçou meu pinto dando um apertão nele, olhou para ver se Lud não estava vendo e logo retirou a mão, eu senti que ela estava doida para experimentar a minha pica, e naquele momento desconfiei que ela nunca houvesse sentido uma pica de verdade dentro dela, mas me contive e pensei na promessa feita a Lud, e me mantive ali só observando, Lud olhou para mim e me viu com o pau na mão, deu o sorrisinho, mas nada fez, eu estava doido para participar mas não achava como chegar, passou uma eternidade e acho que Lud já sabia dos desejos de Bia, então estendeu sua mão e me puxou para junto delas, eu já fui tirando a camisa e logo estava nu com a pica dura como ferro apontada para o rosto de Bia, que de imediato a abocanhou, e com uma certa dificuldade conseguiu colocar a cabeça dentro daquela boquinha, Lud me enlaçou e me surpreendeu me dando um beijo, eu tentei fazer de tudo para que meu beijo fosse o melhor que poderia dar, e acho que o fiz, por que Lud não parou de me beijar, fui descendo a mão e comecei a friccionar seu clitóris, ela estremecia toda e quase engolia minha língua, acho que estava tão desejosa de transar com um homem quanto Bia, que agora quase engolia meu pinto, quando Lud me deu um fôlego eu desci para seus lindos seios e comecei a mamar neles como um bebe faminto, sem deixar de massagear sua buceta, fomos mudando de posição enquanto nos esfregávamos, e logo eu estava chupando a bucetinha de Bia, e acho que para mostrar a Bia como se faz, Lud se ajeitou ficando de cócoras sobre meu pinto e foi descendo o corpo sempre sendo observada pela Bia, que com as mãos massageava meus grãos, senti o calorzinho da buceta de Lud preenchendo a cabeça do meu pinto e logo foi descendo, como estava apertada, parecia que a muito não transava. Mas não parou, e com movimentos de vai e vem foi descendo o corpo e logo estava encostando a bunda nos meus grãos, que ainda estavam na mão da Bia, Lud começou a cavalgar cada vez mais rápido, eu estava nas nuvens com aquilo tudo, a bucetinha de Bia em minha boca e meu pinto todo dentro de Lud, quando eu poderia imaginar que isso iria acontecer, tendo as duas para mim, eu pensava que elas não gostavam de homens, mas ao que pareciam estavam se deliciando com tudo isso, eu já nem sabia o que fazer com aquelas duas gatas maravilhosas transando comigo, passava a mão nos peitinhos de Bia, e Lud cavalgando cada vês mais rápido, eu não aguentaria muito e iria gozar , Lud começou a gritar que estava gozando que era maravilhoso, e eu não aguentei e a inundei de porra, ela deitou ao lado e ficou olhando para Bia com cara de satisfeita, mas Bia ainda não estava, por que não havia sentido minha pica dentro dela, então começou a chupar meu pinto sem se importar que estava lambuzado de porra, e olhava para mim com seus olhinhos verdes, e não demorou já estava com o pinto feito uma rocha, então fui subindo sobre a Bia enquanto ela deitava no sofá, a beijei com tanto desejo e amor que aquilo arrepiou nossos corpos como se levássemos um Choque, acho que tanto eu quanto ela esperávamos por aquilo a tempos, meu coração disparou quando meu pinto forçou a entrada de sua grutinha e senti seu cabacinho broquear a passagem, nunca imaginei dela ainda seria virgem, mas sem muita dificuldade meu pinto foi deslizado naquela bucetinha apertadinha e molhada, e logo desapareceu dentro dela, Bia ofegava e seus seios subiam e desciam o com a respiração, eu admirava aquele corpinho branquinho coberto por uma penugem de minúsculos pelinhos, agora meu pinto entrava e saia dentro daquela buceta linda, eu não parava de admirar, Lud chegou perto e começou a beijar Bia e eu vendo aquelas duas maravilhas de mulheres a minha frente comecei a movimentar cada vez mais rápido para dentro de Bia, então ela começou a afogar mais rápido e a gemer e tremer, senti que estava gozando e gozei também, após isso fiquei ainda com o pinto dentro dela e abraçado com as duas.
Ficamos assim por um bom tempo, e após nos recompormos voltamos a tomar cerveja e os drinques, quando estava ficando muito tarde achei que estaria na hora de ir embora, disse que iria embora, mas Bia me pegou pela mão e me deu um beijo bem demorado dizendo que eu não iria, que posaria ali com elas, Lud sem que Bia retirasse sua boca da minha colocou a dela e demos um beijo a três, acabei por ficar ali e transamos quase a noite toda, na manha transei com Bia dentro do banheiro, antes de Lud acordar. Ficamos ainda muito mais unidos e transamos sempre que podemos e em vários lugares, até o cuzinho das duas eu comi, mas isso daria uma outra história, agora temos uma relação maravilhosa entre os três, e estou morando na casa delas, acho que Bia quer ter um bebê e vou dar isso a ela logo, logo do jeito que as coisas estão indo.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.