"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Dei o Cu Pra Ser Modelo Parte1


autor: NovinhaCarioca
publicado em: 14/05/16
categoria: hetero
leituras: 8288
ver notas
Fonte: maior > menor


Ola meninos, ola meninas, sou a contosdanovinha@gmail.com e esse é o meu primeiro conto aqui no site e espero que gostem. Depois de ler muitos contos sacanas, resolvi escrever o meu contanto um pouco da minha experiencia de putaria no mundo da modelagem.

Podem me chamar de Novinha, sou carioca, morena, 1,65, 55kg, peitinhos turbinados, bundinha empinada e todo vigor de uma novinha de 19 anos.

Ahh mas todas se descrever super lindas e gostosas nesses contos. Verdade, então cada um simplesmente me imagine como quiser, porque eu já sei que me garanto na putaria real.

Hoje tenho 19 anos, e já estou trabalhando há 1 ano como modelo. Modelo fotográfica, eventos, pequenos trabalhos. Não faço passarela, trabalho emprestando a minha imagem (meu rostinho de anjinha e bundinha de diaba) para marcas e stands de venda.

Em um ano de modelagem já vivi todo tipo de putaria que vocês possam imaginar. Sabem essas histórias que vocês já ouviram falar de testes do sofá? Pois elas são todas verdades!

Vou contar algo que aconteceu comigo há 1 ano atras. Na época eu tinha acabado de completar 18 anos, sério, acabado mesmo, coisa de 1 mês depois que completei 18, botei na minha cabeça que conseguiria ser modelo, porque se dependesse de estudar, eu morreria de fome rs.

Me apresentei em algumas agencias mas era sempre a mesma coisa. Fazia um book, preenchia fichas e nunca me chamavam. Algumas cantadinhas de alguém da agencia, mas tipo, estagiários que me atendia. Nunca tinha o contato com quem mandava naquela porra.

Até que nessas idas a agencias, conheci uma menina que trabalhava lá. Já era modelo. Ela me falou que se eu quisesse algo, deveria tentar numa determinada boate que um dos donos da agencia frequentava, e por lá ele "selecionava" as meninas.

Num fim de semana, me arrumei mega produzida, sainha listradinha no meio das coxas, sainha apertadinha, marcando uma calcinha enfiada na minha bunda. Topzinho com decote e umbiguinho de fora.

Eu tinha ganhado silicone de presente de 18 anos, e tava louca pra estrear meus peitinhos novos. Top decotado com os peitões pulando pra fora, loucos pra cair na boca de algum agente de modelos por la.

Lá fui eu batendo meu saltão pelo caminho, na tentativa de me jogar no colo do cara certo. Nunca fui santa e sei bem o que eu teria que fazer. Se me botassem uma fileira de rolas pra chupar, eu chuparia por uma vaga na agencia. E eu não tava brincando quanto a isso.

Encontrei essa modelo da agencia na porta, e isso me facilitou muito. Ela me apresentou um dos caras que trabalhava na agencia e eu sabia que tinha que colar nele e não largar mais o resto da noite.

E assim foi, dancei, bebei, me esparramava risonha no colinho do cara. Eu fazia de tudo pra não deixar ele olhar pra outra menina naquela boate.

Num momento, sentada no colo do cara, aos beijos e sentindo sua pica endurecida cutucando a minha bundinha, ele me falou ao pé do ouvido que a minha amiga contou a ele que eu queria ser modelo.

Eu sorri e rebolei no pau dele. Serio eu rebolei mesmo. Com uma das mãos por trás do meu corpo, abraçando ele atras de mim, eu contorcia meu pescoço e meu rosto, me esfregando nele e rebolando descaradamente na pica daquele filho da puta.

Acho que ele entendeu isso como um sim.

Ele me elogiou que eu era muito bonita e me pediu pra eu levantar, pra darmos uma volta. Porra, eu daria uma volta com ele ate sentada com a pica na minha bunda se ele me boatasse na agencia.

Fui caminhando na frente dele, ele me abraçando por trás e me dando um tapa na bunda pelo caminho, ate chegarmos na frente do banheiro masculino. Sim, banheiro masculino.

Ele me mandou entrar, fazendo uma cara de "e ai, vai topar ou não?"

Eu fui pronta pra muita coisa, mas confesso que isso me pegou de surpresa.

Entrei com ele no banheiro, e ja demos de cara com dois carinhas mijando no mictório. O agente me segurou pela mão, me fazendo ignorar os 2 e apontando pra uma cabine no banheiro.

Entramos na cabine e ele fechou a porta. Sem se importar com os dois caras que nos viram, sem se importar por estarmos no banheiro da boate, o safado abriu o zíper da calça, botou o pau pra fora e sentou no vaso.

Segurando a pica e apontando pra mim, em pé parada na frente dele, ele falou a frase que mudou a minha vida:

- Quer ser modelo? Então chupa!

Assim, no banheiro masculino de uma boate, ajoelhadinha no chão frio e sujo, com uma rola na boca, começou a minha carreira de modelo.

Quanto glamour.

Ele queria me testar, ele queria ver o quanto eu estava disposta a me rebaixar por aquela vaga. Mas claro, ele queria um boquete mesmo.

Ajoelhadinha dentro da cabine, com os pezinhos pra fora por baixo da porta, eu me abaixei, segurei aquela rola e cai de boca naquela pica.

Meu pezinhos saiam pra fora da cabine, pelo espaço entre o chao e a porta. E assim, todos que passavam ali pelo banheiro naquela hora, viam meu salto alto de princesa numa posição que nao tinha muito como disfarçar.

Eu aceitei, chupei, lambi, mamei, borrei todo meu batonzinho de patricinha naquela rola que me levaria pra onde eu queria.

A sensação de estar me prostituindo, me rebaixando, me sentindo uma piranha, me dava TESÃO PRA CARALHO.

Não vou mentir, sempre gostei de chupar um pau, mas aquela adrenalina de mamar uma rola no banheiro e ainda por cima como troca de favores fazia tudo um clima muito mais sacana e filho da puta.

Eu chupei com gosto, chupei igual uma vadia gulosa engolindo uma rola com a maior vontade do mundo.E acho que isso fez o filho da puta ficar tarado de vez.

Ele passava a mão na minha cabeça, tirando meu cabelo da frente, pra poder ver meu rostinho de anjinha com uma rola na boca.

Me mandava olhar pra cima, com um caralho grosso na minha boquinha de princesa, olhinhos de virgem e chupava de veterana.

Agradeci a todos os anos e picas que eu ja tinha mamado ate ali. Toda essa preparação chupando rolas me ajudou ais do que qualquer estudo na escola.

Ajoelhada igual uma vadia, escutando piadinhas e xingamentos de quem entrasse no banheiro e visse meus pezinhos, eu chupei igual uma puta agarrando a chance que me deram na vida.

Quando a sua maior chance na vida é chupar um pau, já mostra bem o quão piranha você é. E eu sou uma piranha boqueteira!

Subi e desci a minha cabeça, mamava com carinha de patricinha santinha, borrava meu batonzinho e lambia a rola de cima a baixo. Porra, eu gosto muito de chupar um pau e tenho certeza que ele gostou também.

Mamei, mamei e mamei, ate ele não aguentar mais e gozar na minha cara. Assim, sem aviso, arrancou o pau da minha boca, deu duas batidas de punheta e pronto.

Jatos e jatos de porra no meu rostinho de princesa.

Só deu tempo deu fechar os olhos e aceitar essa desmoralização final. Todo o glamour de querer ser modelo se resumindo a levar uma gozada na cara.

Ali, ajoelhadinha no chão do banheiro, com a cara toda gozada, vi ele vestir a calça e sair da cabine pra se lavar na pia. Fiquei parada se saber o que fazer.

Eu tava na porra de um banheiro masculino da boate! Eu teria que sair da cabine e encarar a vergonha de todo mundo me ver com a cara cheia de porra.

Mas depois de todas as piadinhas e palavrões enquanto eu chupava, acho que ninguém tinha mais duvida do que eu tava fazendo naquela cabine.

Joguei o cabelo na cara, abaixei a cabeça e sai acelerada da cabine ate a pia. Abri a água e me lavei.

Foi um silencio de 20 segundos, enquanto eu lavava meu rosto e uns 4 caras me olhavam sem falar nada. Eles não falavam nada, mas nem precisavam. So os seus olhares ja diziam o que eles pensavam.

Mas gostaria muito de saber o que se passava na cabeça deles rs

Me lavei, reencontrei o agente do lado de fora do banheiro, e ele pegou meu wpp. Me mandou passar na agencia num, dia tal q ele faria umas fotos pra ver se e servia pra agencia. Já era o primeiro passo, ou no caso a primeira chupada de muitas que viriam pela frente.

Se gostarem do conto, eu escrevo mais contando como foi toda essa minha entrada no mundo da modelagem. De 1 ano pra ca, meu cuzinho nunca mais foi o mesmo. Porque sim, esses tarados sempre querem na bunda!

bjs e espero que gostem
vou deixar um email pra quem quiser me escrever
contosdanovinha@gmail.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.