"Os mais excitantes contos eróticos"


Festa Rave do Sexo


autor: Crisalli
publicado em: 16/05/16
categoria: grupal
leituras: 6766
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá meus amados leitores. Antes de mais nada, quero agradecer ao muitos e-mails que tenho recebido por conta dos ‘Contos Eróticos’ aqui publicados. Tenham a certeza que leio todos e na medida do possível procuro respondê-los.

Mas vamos ao que interessa… a minha história começa com uma chamada via skype do meu ‘amigo’ Léo (o mesmo das fotos eróticas e participante do maravilhoso final de semana na praia).
Enfim, depois de longas conversas picantes e depois de estarmos nus diante das cams (sempre dos despimos um para o outro, via skype), Leo me convida para uma festa rave que aconteceria no final de semana em uma fazenda alguns quilômetros da minha cidade.
Eu nunca havia ido a uma rave, aliás, não tinha uma ideia muito boa sobre estas festas, já que nos noticiários sempre havia notícias de coisas erradas ocorrendo (drogas, bebidas em excesso, morte e afins.)
Leo, experiente neste tipo de festas, me dizia que está festa era bem bacana, pois havia outras atividades além da música eletrônica. Me falava sobre as feiras de artesanato, tattos, massagens, aulas de meditação e tudo mais…
Procurei saber mais sobre esta festa e descobri que havia uma grande área de camping onde as pessoas podiam armar suas barracas e pernoitar, além de chalés do própria fazenda que podiam ser alugados para o final de semana.
Entrei um contato com a tal fazenda e como não iria a festa e voltar dirigindo depois, resolvi alugar um chalé para descansar após a festa.
Liguei para Léo avisando que estaria na festa no sábado, e ele empolgado avisou para que eu ligasse para ele assim que chegasse.
Sábado, logo de manhã, peguei estrada e fui dirigindo até a tal fazenda. Como havia locado um chalé, pude estacionar num local coberto, fiz meu check in, e um funcionário me mostrou o chalé. Na verdade, parecia mais um quarto de motel com uma cama king, um banheiro com ducha.
Coloquei um short jeans desfiado e uma regata bem confortável preta e liguei para Leo. Ele já estava no local e perguntou onde eu estava para me encontrar. A festa acontecia numa área bem distante da fazenda (na verdade um caminhada de uma meia hora).
Amigos, aquilo era um formigueiro humano… era tanta gente que cheguei a pensar que não encontraria Leo no meio daquele caos. Liguei e disse que estava ao lado de uns dos palcos patrocinados por uma marca de energético.
Enquanto aguardava, ficava observando as pessoas, algumas dançavam, outras conversavam, ao longe algumas estavam deitadas no gramado.
Distraída, senti dois braços me abraçando a cintura e me apertando. Tomei um susto, mas era Leo. Ele me deu um selinho e segurando minha mão me leva para o outro lado do palco.
Quando chego do outro lado, me deparo com Charles (outro participante do conto ‘Possuída na Praia’). Ele vem até nós e me cumprimenta e me fala baixinho ao ouvido que estava morrendo de saudades.
Eles me levam para conhecer as outras áreas do camping, tinha de tudo… feiras, artistas fazendo malabares, cuspindo fogo, andando sobre cordas, artesanato... tudo era muito legal, bem diferente daquilo que eu imaginava.
Passamos a tarde toda nos divertindo, quando Leo resolve passear de tirolesa. O cabo começava em um morro bem alto e atravessava um grande lago e no final aterrisavamos na água. Charles foi primeiro, Leo foi depois… admito que estava com medo, mas o instrutor falou para ir sossegada, pois no final havia uma outra pessoa no final para ajudar a frear a descida.
Que delicia, você desce numa velocidade impressionante e sente um frio da barriga delicioso. No final, você pousa bem na margem do lago. Fiquei toda molhada quando desci, pois acabei derrapando dentro da água.
Leo e Charles me esperavam já na margem, sem camisas, também molhados pela descida. Me juntei a eles, e Leo me abraça e fala.
Você fica um tesão, toda molhadinha assim...
Ele lheu dou um beijo na boca e sinto as mãos de Charles, passando pela minha cintura, acariciando minha barriga.
Como havia muitas pessoas ao redor, rapidamente nós adentramos por uma trilha dentro de uma mata e vou dizer para vocês… muitos tiveram a mesma ideia. Vi de relance uma garota fazendo ‘ sexo oral’ em um rapaz encostado em uma árvore e mais a frente, três rapazes e 2 garotas sendo que umas delas estava nua fumando um ‘baseado’ e bebendo.
Caminhamos bem mais adiante, e Charles me encoxa por trás e me beija a nuca…. Leo vem pela frente e volta a me beijar. Charles envia a mão por dentro do meu short e começa a roçar os dedos pela minha vagina. Léo coloca suas mãos por dentro da minha regata e aperta meus seios.
Acaricio o membro duro de Leo por cima da bermuda, enquanto sinto o cacete de Charles, já fora da bermuda, roçando nas minhas coxas. Me ajoelho e coloco o cacete de Leo para fora.
Revezo entre os dois cacetes diante de mim, engulo um e depois outro… Leo esfrega suas bolas no meu rosto e pede que eu as engula…. engulo uma a uma e depois é a vez de Charles.
Aquele sexo oral esta me deixando louca de tesão... queria me despir para meus machos e sentir seus membros dentro de mim, mas ouvimos algumas vozes de rapazes caminhando por perto e resolvemos nos vestir e sair dali rapidamente.
Voltamos para festa e resolvemos aproveitar a música eletrônica que naquele momento estava agitando o público. Dançamos a noite inteira, tomamos alguns drinks e mais tarde, fomos descansar numa área cheia de puffs (almofadas gigantes).
Sentei entre Leo e Charles e ficamos conversando, quando sinto Charles beijar meu pescoço...me viro para ele e retribuo com um beijo na boca, e Leo, me encoxa por trás e me beija nuca.
Ficamos na ‘pegação’ durante alguns minutos, mas como estava cheio de gente no local, Leo me diz para irmos até a barraca que eles tinham montado na área de camping.
Acho que tenho um lugar melhor para nós - respondo a ele.
Saímos em disparada para meu chalé e Léo propõe tomarmos um outro caminho conhecido por ele. Esse caminho, passava por dentro de uma mata ao lado da estrada… e quando entramos, eles me encostam numa árvore, e voltamos a ‘pegação’. Léo tenta arrancar minha blusa, mas o impeço e digo para ele esperar chegarmos até o chalé.
Não tem ninguém na trilha, linda… você vai caminhando nua até lá, disse rindo.
Leo puxa minha blusa e Charles desabotoa e desce meu short. Tiram minha calcinha e sutiã e me deixam nua. Abraçada ao dois, caminhei a trilha inteira nua até perto dos chalés, onde eles me devolvem as roupas. Me visto e caminhamos até a porta.
Mal abri a porta, Charles me pega no colo e me leva até a cama. Léo trata de trancar a porta. Charles arranca minhas roupas novamente, tira sua bermuda e me exibe seu ‘membro’.
Ele se senta sobre meu pescoço e coloca seu pênis na minha boca. Ele até dá umas estocadas para enfiar mais fundo na minha garganta, enquanto Leo, ajoelha-se entre minhas pernas e com a língua, começa um delicioso sexo oral. Cheguei a gozar com a língua de Leo passando pela minha vagina. Charles sai de cima de mim, Leo me pega pelos braços e me leva até o chuveiro.
Leo abre o chuveiro e adentramos no box para um banho a três.
Charles me segura pela cintura, e empurra meu tronco para frente para ficar de quatro. Leo, imediatamente, introduz seu pau na minha boca. Sentia a água quente descendo pelas minhas costas, enquanto lambuzava com minha saliva o pau de Leo.
Sinto o cacete de Charles me penetrando e solto um gemido de tesão. Charles começa a ‘bombar’ com força minha buceta, enquanto Leo, me segura pelos cabelos e ‘bomba’ seu pau dentro da minha boca.
Estava com as pernas ‘bambas’ de ficar naquela posição, então me levanto. Leo me encosta na parede, e introduz seu pau dentro de mim. Ele me aperta contra a parede e enfia seu pau com vontade dentro de mim. Com uma das mãos, seguro o pau ereto de Charles.
Saímos do chuveiro, nos enxugamos e voltamos para a cama. Me deitei na cama e os dois deitaram sobre mim e começaram a sugar meus seios. Cada macho num seio e os dedos de Leo invadindo minha xaninha. Me colocam de quatro e começo a sugar o pau de Charles. Enquanto era penetrada por Leo, sinto seu dedo indicador, tentando invadir meu ânus. Sinto seu dedo adentrando meu buraquinho e solto um grito de dor e tesão.
Charles se excita e me puxa para cima dele para que eu ‘cavalgasse’ sobre seu cacete. Sento sobre seu membro e começo a montaria. Charles geme de prazer, quando sinto Leo forçar minhas costas contra o corpo de Charles.
Ele sobe sobre mim e sinto a glande do seu pênis forçando a entrada do meu cuzinho. A cabeça vai invadindo com dificuldade, alargando minhas entranhas, quando passa, Leo, vai enfiando todo seu membro até as bolas. Solto um grito de dor e mais ainda quando Leo começa a bombar.
Geme vadia, um na bucetinha e outro no cuzinho… do jeito que você gosta…. vai geme… dizia Charles, excitado.
Sinto dos cacetes me invadindo ao mesmo tempo, sendo ‘ensanduichada’ por dois corpos másculos e toda molhada de suor e tesão, gozo intensamente.
Leo solta um grito de prazer e goza dentro do meu cuzinho. Ele sai de cima de mim e Charles me vira, me colocando debaixo dele. Me segura pelas coxas e me penetra com vontade.
Eu só podia gemer e prazer quando Leo abre a porta do chalé, fica alguns minutos do lado de fora e diz algo intrigante.
Não tem ninguém Charles, vem logo.
Sem entender nada, Charles sai de mim e segurando minha mão me leva para fora do chalé.
Assustada, tentei recusar, mas Leo avisa que não tinha ninguém do lado de fora e que poderia sair.
Sai nua com Charles até o gramado, onde ele me deita sobre uma mesinha de madeira no gramado, abre minhas pernas e me penetra com força. Seu cacete me invade com violência e com as duas mãos, ele aperta meus seios.
Ele mete durante vários muitos, sempre com Leo na vigília, observando seu alguém estava a vista. Charles então geme e sai rapidamente dentro de mim, e goza sobre meu rosto. Ele esfrega sua glande vermelha toda melada sobre meus lábios.
Entramos correndo para dentro do chalé, me limpo e depois descubro que Charles, tinha essa fantasia de transar ao ‘ar livre’ (não esqueçam de que ele participou do sexo na praia).
Tomei um banho (sozinha desta vez) e passamos a madrugada toda fazendo jogos eróticos e transando, ouvindo ao longe o ‘batidão’ da música eletrônica.
Amados leitores, comentem e se possível, mandem um e-mail.

Beijos



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.