"Os mais excitantes contos eróticos"

 

mata minha sede.


autor: adão negro
publicado em: 22/05/16
categoria: hetero
leituras: 2428
ver notas
Fonte: maior > menor


A vida de entregador de água sempre foi corrida mas tinhas suas vantagens. Dona Fabiana sempre pedia água na parte da tarde, separada, 36 anos uma bunda de 109 Cms. mais ou menos, seios fartos um espetáculo de mulher. Quando ia lá ela estava sempre bem a vontade, eu só faltava babar. Sempre que ela ia pagar perguntava pelo troco olhando no meu olho e mordendo os lábios. Meu pau pulsava tanto de tão duro que parecia querer explodir, ela notava e sorria. Em uma tarde chata daquelas recebi um chamado de entrega, era ela então fui correndo. O portão já estava sempre aberto então entrei. D. Fabiana estava de calcinha e camiseta e logo disse: "hoje você vai matar sua sede". Meu pau latejando na cueca parti pra cima dela e a virei roçando o pau naquele rabo delicioso e beijando seu pescoço e dizendo: "vou te foder com força ". Continuei no movimento e ela se arrepiava e gemia tão gostoso que não hesitei e enfiei dois dedos na sua buceta lisinha e carnuda que mal cabia na mão. Ela gemia tão alto que precisou morder a mão pra não gritar, então disse quase sem voz "me come aqui mesmo". Afastei a minúscula calcinha e cravei meu pau na sua buceta tão molhada que a penetração foi rápida. Fode com força a dizia eu socava com força e enchia a mão nos seus seios. D. Fabiana gemia tão gostoso que me fazia foder mais ainda quando ela disse:"vou gozar" senti o cheiro do seu gozo que encharcou meu pau. logo ficou de quatro no sofá. Olhando aquela buceta e aquele cuzinho gostoso fiquei doido, mas ela disse:"me faz gozar de novo que deixo gozar no meu cu! ". Fui logo lubrificando aquele cuzinho lindo com a língua enfiando a cara naquela buceta. A segurei pelo quadril e comecei o movimento, ela rebola feito uma cachorra pedindo com mais força. Fodia com tanta força que dava pra ouvir o barulho da carne batendo uma na outra. Puxei o cabelo dela enquanto enfiava o dedo no cuzinho. Ela dizia:"não para, por favor, não para! "E gozou mais uma vez e eu não aguentei de tanto tesão gozei junto gemendo junto com ela. Fiquei quase cansado quando ela disse lava o pau e volta. Quando voltei ela não esitou e começou a chupar o resto do gozo que tinha. E disse :"trato é trato ". Meu pau ficou ereto mais uma vez. Ela sentou no braço do sofá e disse come teu cuzinho! Botei a língua naquele cu de novo e penetrei. Ela gritou tão alto e disse come que hoje ele é teu. Comi aquele rabo enquanto beijava seu rosto e orelha e dessa vez eu disse:"vou gozar!! " E ela enche meu cuzinho de leitinho vai ". Gozei gostoso e farto e deitei por cima dela enquanto o pau amolecia naquela bunda maravilhosa. Que experiência maravilhosa. Depois desse dia as entregas de água eram sempre assim. Pena ela ter ido embora, foi matar sua sede em outra cidade.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.