"Os mais excitantes contos eróticos"


Atração fatal pelo prof Prt 1


autor: Juniper_98
publicado em: 22/07/16
categoria: hetero
leituras: 1927
ver notas
Fonte: maior > menor


Era mais uma manhã chuvosa aqui na capital de São Paulo, onde eu vivi praticamente a minha vida toda,tinha acordado as 6hras da manhã como sempre e vestido meu uniforme chato,pra ir a minha escola chata,como eu faço todos os dias da minha vida cinza e sem graça. Nesse dia cheguei atrasada na primeira aula, por ter pegado um pouco de trânsito no caminho mas não Tava muito preocupada afinal era só mais um dia tedioso na escola. Quando cheguei na sala a porta estava fechada, já estava uns vinte minutos atrasada,então bati na porta uma,duas,três vezes,e niguem abria então bati mais forte até q a porta se abriu e eu me deparei com o cara dos meus sonhos, um homem alto de uns 1,85,de mais ou menos 25 a 30 anos,corpo perfeitamente malhado na medida certa nada de exageros,uma barba rala por fazer q achei perfeita,uma boca carnuda avermelhada, e aqueles olhos castanhos claros penetrantes qué só de me lembrar me dar arrepios.
Ele me olhou de cima a baixo com uma cara de raiva e falou, - menina além de chegar atrasada,está atrapalhando a aula de quem chegou na hora. Eu não sabia o que dizer comecei a gaguejar e só conseguir soltar um - me desculpe, bem baixinho. E ele falou q tudo bem e me mandou sentar avisando que se chamava paulo e que era o novo professor de filosofia.
Prontamente me sentei no canto da sala bem no fundo como de costume,e o professor continuou sua aula, falando sobre os filósofos e suas ideologias ,não conseguir tirar o olho daquela boca deliciosa,carnuda ficava hipnotizada imaginada ele me beijando toda,nem prestei atenção direito na aula só fiquei olhando aquela boca gostosa, acho qué ele percebeu que eu não parava de olhar tanto pra ele e me fez uma pergunta sobre o tema qué ele estava falando,mas eu não soube responder e ele disse - nossa vc tá prestando tanta atenção na aula e não sabe me responder essa simples pergunta,teve ser uma cabecinha de vento mesmo,nessa hora fiquei super vermelha morrendo de vergonha.todos da sala me olharam e riram odiava ser o centro das atenções.
Na hora da chamada quando ele chegou ao meu nome eu levantei a mão e disse presente, e ele com uma cara sacastica disse - ah então a cabecinha de vento se chama Ariel, huum belo nome, e me deu um lindo sorriso,nessa hora sentir minha calcinha enxarcada e minha bucetinha ainda virgem muito quente.
Infelizmente acabou sua aula,e a rotina da escola estava como sempre chata e sem graça,mas esse homem não saia da minha cabeça pensei nele praticamente o dia todo,estava totalmente atraída por ele.
Já na hora de ir embora estava chovendo muito forte,o ponto que passava meu ônibus ficava um pouco longe e eu estava sem guarda chuva,não queria esperar aquele temporal passar e então resolvir enfrentar a chuva,na metade do caminho me arrependir da merda que tinha feito pq a chuva só aumentou,estada toda molhada o uniforme da escola enxarcado,que era uma blusa de algodão branca com a logo da escola no peito e uma saia um pouco acima do joelho azul escura ,eu estava de meias brancas até a batata da perna e ternis branco.
Seguia meu caminho até o ponto,quando um gol preto parou do meu lado,nessa hora fiquei com medo de ser um tarado,assassino, mas quando ele abaixou os vidro pude ver que era Paulo o novo professor ele com um olhar preocupado disse - menina você tá ficando louca sair sozinha nesse temporal vai ficar doente, então eu respondi timidamente - é acho q não foi uma boa idéia professor , Ele - foi uma péssima idéia cabecinha de vento, venha entra aqui que te levo pra casa, Eu - não precisa se preocupar professor já to chegando no ponto aonde pego meu ônibus e outra estou toda molhada vou molhar seu carro todo, Ele - menina entra logo nesse carro,não me importo que vai molhar ou não, só não vou deixar você pegar o ônibus assim toda molhada.
Aceitei e entrei no carro timidamente,ele me olhou de cima a baixo e parou nos meus seios e ficou olhando abismado com a visão, quando olhei pra baixo pra ver o que deixou ele tão constrangido vih que minha blusa estava toda molhada grudada no meus peitos e eu nao usava sutiã,por ter o peito de médio pra pequenos e bem firmes e durinhos , dava pra ver perfeitamente o biquinhos duros e mais escurinhos quase furando a blusa por q estava morrendo de frio, ele olhava e mordia os lábios, eu percebendo sua excitação perguntei - gostou prof, com uma voz de safadinha queria provocar ele deixa lo sem graça igual ele tinha feito comigo.
Ele tentou desfaçar e voltou o olho pra estrada,mas eu estava afim de provocar ele então coloquei minha mão dentro da saia e fiquei tocando minha calcinha bem na entradinhá da buceta ,ele olhou assustado e falou - Ariel vc tá ficando doida,o que está fazendo menina, então olhei com um sorrisinho sacana e respondi - aí prof só estava olhando se minha calcinha tabem estava molhada. Ele não respondeu nada e voltou a dirigir olhando pra estrada,voltei a provoca-lo e disse -nossa ela está muito molhadinha mesmo,então ele finalmente respondeu - ah ariel deve ser por causa da chuva que vc pegou,então eu criei coragem e disse bem baixinho - não é isso prof não foi a chuva q me deixou assim estou assim dês da primeira aula,quem me deixou assim molhadinha foi você,ele ficou vermelho na hora mas pude perceber o volume na sua calça jeans ele estava super excitado,ele respondeu tentando desfaçar - me respeita menina sou seu professor e sou bem mais velho que você tenho idade pra ser seu pai ,então eu abrir minhas pernas coloquei a calcinha pro lado,e peguei a mão dele e coloquei na minha bucetinha q estava babando de tesão,quando sentir os dedos daquele homem em mim soltei um gemido alto nunca tinha sentido tanto prazer com um simples toque ,ele na hora se assustou tentou tirar a mão mas eu segurei forte estava louca de tesao e nao pensava mais nada so queria gosar na mao daquele prof gostoso,e ele foi obrigado a estacionar o carro pra não causar um acidente.
Então ele finalmente conseguiu tirar sua mão rápido da minha bucetinha é disse - sai do meu carro sua putinha, você acha que eu sou o que em esse machos que te come,sou seu professor então você tem que me respeitar, que uma moça desente não fazia aquilo, que era a coisa de vagabundos, nessa hora fiquei extremamente envergonhada não esperava essa reação, então meu olhos começaram a se encher de lágrimas e eu sair correndo do carro dele e peguei um ônibus que estava próximo, e vendo ele sair do carro falando alguma coisa mas não escutei pois o ônibus já estava partindo...

CONTINUA...



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.