"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Como tudo começou


autor: amantesrn
publicado em: 05/08/16
categoria: traição
leituras: 2509
ver notas
Fonte: maior > menor


Bom, Eu sou o José[fictício], e com este canal vou relatar as coisas que vão acontecendo e só aqui pra poder falar mesmo. Antes de mais nada vou dizer como sou e tals...
Sou de Natal-RN, negro, tenho 1,70 m e acima do peso ( informação importante, pra vc não imaginar um espartano todo músculoso, kkkk ).Como todo gordinho, sou muito simpático e bem fácil de lidar, e quanto ao meu brinquedinho... Sim, eu já medi e tem 19 cm de comprimento por 13 cm de circunferência, algo normal. Vamos ao que interessa agora.
Gosto muito de andar de ônibus, pois assim sempre temos a oportunidade de viver novas aventuras e encontrar pessoas legais, como foi nesse dia que encontrei com Carol[fictício] em um ônibus. Sai do trabalho e peguei o ônibus dando a volta, pelo horário pra poder ir pra casa sentado, pois como esta rota lota muito, preferi assim. Em determinado momento subiu uma moça que já conhecia e a muito tempo não via, ela passou olhando pra mim e sentou na cadeira por traz, e então a chamei pra sentar comigo, conversamos muitas amenidades pra saber como anda a vida de cada um e trocamos número de telefone e em seguida adicionamos um ao outro no Facebook. Meses se passaram e conversamos sobre tudo, então vou adiantar a história pois sei que vocês não querem ler sobre isso!
Depois de muito tempo provocando um ao outro, tendo diversos encontros que nos deixavam mortos de vontade de nos devorarmos, inclusive ao ponto de a ver com olhos sedentos por sexo enquanto ficava me masturbando no ônibus vazio, Carol me deu o ultimato;
Carol – Quero fazer sexo com você, já não aguento mais!
Eu – Ok, vamos marcar.
Nesse período eu estava de férias do trabalho e ela tinha certa regalia em seu horário. Acabou que marcamos então em sua casa, pois ela estaria sozinha. Chegado o dia marcado fui em sua casa e por se tratar de algo que ambos queriam a algum tempo, nem conversamos já partimos para a cama. Fui arrancando sua roupa e já mordendo e beijando em seu pescoço, enquanto ela tirava a minha e ia batendo uma punheta de leve, estávamos muito excitados naquele momento e poucas palavras foram ditas.
Carol então me jogou em sua cama e foi chupando meu pau, como se não houvesse outro e como se fosse a coisa que ela mais deseja possuir em toda a face da terra. Então ela parou de chupar, foi até uma cômoda e pegou um spray de menta e voltou aquela chupada maravilhosa com sua língua passando ao redor da cabeça. Não aguentando e quase gozando em sua boca, a puxei para a cama e abri suas pernas, para que eu pudesse chupar sua buceta, linda e toda babada, chupei por alguns minutos enquanto passava meu dedo em seu cuzinho e dava algumas passadas de língua nele. Já não aguentando, entreguei uma camisinha em suas mãos que maestria foi colocada em meu pau e ela já estava de quatro esperando pra engolir meu pau com aquela buceta gostosa e quente.
Empurrava forte e dava algumas paradas enquanto sentia sua buceta sugando meu pau cada vez mais pra dentro e observava ela arrancar os lençóis da cama e morder pra não gritar pelo prazer que sentia, observando aquele cuzinho lindo piscando enquanto eu o acariciava e continuava empurrando forte em sua buceta. Então ela pulou pra frente e me puxando para a cama novamente, entendi seu recado e deitei pra que ela pudesse cavalgar em meu pau, ela subiu e colocou dentro enquanto me olhava nos olhos e eu me segurando não gritar de prazer e denunciar ao vizinhos que estávamos ali fazendo um sexo enquanto o marido dela estava trabalhando.
SIM, ELA ERA CASADA!
O que tornava ainda mais excitante aquele sexo, fora o fato de saber que os vizinhos do corno estavam ali conversando e caso nos ouvissem, poderiam nos denunciar e por ser uma situação nova pra mim, me deixou um pouco nervoso.
Ela estava lá subindo e descendo gostoso, cavalgando em meu pau e de repente parou me olhou nos olhos e disse;
Carol – Tem problema?
E já foi tirando a camisinha e voltando a depositar o pau em sua buceta, me fazendo sentir mais prazer quando sem tirar de dentro ela girou, dobrou os joelhos ficando de cócoras no colchão e passou a pular ainda mais. Já quase gozando a tirei de cima, pois sabia que não aguentaria muito e ela deitou na cama, a girei e a coloquei de quatro novamente voltei a bombar em sua buceta, porém ela queria olhar pra mim, então tirou e deitou e me puxou pra dentro dela, ficamos nos olhando por alguns minutos quando já não estava mais aguentando e tirei gozando em sua barriga.
Descansamos um pouco e depois partimos para um banho gostoso a dois onde ficamos nos beijando e quando voltamos para o quarto me encostei na parede e fiquei ali com ela fazendo sexo em pé nos beijando. Quando ela se virou e tentou colocar meu pau em seu cuzinho, mas devido ao nervosismo acabou que não entrando e quando demos conta do horário já estava anoitecendo, passamos a tarde fazendo sexo sem quase dizer nada um para o outro. Tomamos outro banho e saímos, já marcando um próximo encontro pra conversarmos!

Espero que tenham gostado do conto!

Escrito por José do Casal Amantes RN

Somos amantes até hoje, e caso queiram conversar, segue email:
Amantes.rn@gmail.com




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.