"Os mais excitantes contos eróticos"


Papai me deu pirulito na cozinha


autor: Patysafadinha
publicado em: 07/08/16
categoria: incesto
leituras: 32775
ver notas
Fonte: maior > menor


Não sei como aconteceu, mas até hoje nunca contei para ninguém esta história. Faz uns três anos, mas me lembro como hoje.Deixa eu me apresentar… me chamo Patricia, hoje tenho 21 anos. Na época eu tinha 18. Sou morena, seios pequenos, mas durinhos que nem uso soutien de tão durinhos que são, olhos castanhos e cabelo curto na altura dos ombros, tenho curvas na cintura e me considero magrinha(54 kg).Moro no interior e sou de família bem conservadora, daquelas que só namora depois dos 18, talvez isso tenha me dado a falta de experiência…

Meus namoros nunca passaram de beijinhos e abraços, como bem disse, sou bem inexperiente, nunca tinha visto um homem nu.

Certo dia, minha mãe saiu eu fiquei em casa sozinha.Fiquei em casa aprontando o almoço, bateu aquele calor e eu resolvi tirar a roupa e ficar nua. Uma liberdade de ficar nua me deu e assim eu fiz. Coloquei apenas o avental de cozinha branquinho, enquanto cozinhava as vezes tinha que abrir a geladeira e era nessa hora que eu suspendia o avental e o ventinho gelado passava pela minha xoxota e eu me sentia aliviada.

Meu pai chegou e eu não percebi.Quando olhei para trás meu pai estava com a mão dentro das calças e me olhando. Eu ia gritar de vergonha por estar nua e quando ele percebeu ele veio rápido na minha direção e colocou a mão na minha boca, pedidindo pra eu me acalmar. Percebi algo atrás de mim, enroçando. Fiquei mole, nem sabia o que era…Mas tava gostoso.Meu pai percebeu que eu tava gostando e ele disse:

“Ta gostando filhinha? Ta gostando do que papai ta fazendo?”

Eu sem entender nada disse que sim. Ele então passou o dedinho na minha bucetinnha e disse que eu estava molhadinha que ele secar .Eu achei, sinceramente que ele ia pegar um pano e enxugar, mas ele passava mais e mais o dedinho e eu ficava mais molhada.Ele me pediu para eu sentar em uma cadeira para ele então enxugar. Assim eu fiz, sentei e fiquei com vergonha.Meu pai disse para parar de ter vergonha que eu era sua filha e que ele ia cuidar de mim. Pediu para eu então abrir as pernas e ele suspendeu o avental que eu estava. Quando ele viu, minha xoxotinha, com pelos aparados, e o grelinho durinho ele deu uma lambida. Eu então gemi. “Ui. Ta mais molhado, to sentindo sua boca quente”.

Ele disse que era para eu fechar os olhos e deixar ele m enxugar que era assim que os adultos se enxugavam.no começo achei estranho, mas foi ficando bom, ele foi metendo a língua, lambia e dizia:”lamber a lateral, lamber esse biquinho da minha filhinha, agora o meio. Nossa filha esse meio ta muito melado, tenho que passar mais língua”.
Percebi que papai vira e mexe pegava dentro das suas calças ai vi um negócio crescendo dentro das calças dele e disse: “o que é isso dentro ai?”.ele tirou e disse q era pirulito, q eu podia chupar.Cair de boca, comecei a passar a linguinha, e ele gemia, puxava minha cabeça pra eu chupar e dizia:”isso, assim, chupa que vai sair coisa gostosa desse pirulito, isso.Chupa pirulito de papai”.

Tava muito bom, e eu chupei uns 15 minutos e papai disse que precisava colocar o pirulito no meu buraquinho da frente. Eu achei estranho, mas confiava nele.Fiquei de 4 como ele pediu e então ele foi colocando eu gritava e papai dizia, calma, a dor vai passar, guenta firme. Eu sentia aquele pirulitão entrando e meu buraquinho ficava molhadinho, papai então passava o dedinho por baixo e bulia na minha pepeka, e dizia que parecia um sininho e dizia pra mim:
“calma, to tocando o sininho pra você se acalmar.Ta gostando disso filhinha?ta gostando? Vou fazer uma coisa mais gostosa pra vc”.

Papai pegou a colher de pau e colocou no buraquinho de trás ele dizia que ela para abrir um pouquinho. Eu fiquei doida. Ele metia o pirulito em mim e o cabo da colher de pau e gemia.Eu de quatro e papai bem em cima. Tentei sair e ele disse que a gente tava brincando de cadela e cachorrinho., como nossos cachorros faz aqui a garagem e eu percebi que papai tava engatado igualzinho aos nossos cachorros, comecei a imitar um cachorrinho e papai ficou louco e dizia que eu tava bem, que era uma filha boa, ele só dizia isso:

” ai que filha boa, que filha maravilhosa, que buraquinho que minha filhinha tem. Papai vai cuidar dos seus buraquinhos vou chupar eles que estão molhadinhos de novo”.
Começou me chupar e a colher continuava na minha bundinha enfiadinha.Ele chupava e ficava fazendo vai e vem no pirulito com a mão.De repente eu senti vontade de fazer xixi e papy me disse que eu podia mijar na boca dele. Eu comecei a esguichar. Ai que delicia, não sabia que se podia mijar na boca de alguém e papai me disse que aquilo não era bem um mijo, mas uma aguinha limpinha que sai da mulher quando ela ta muito, muito excitada. Eu “mijava” e papai mexia no meu sininho e era ai que eu tinha mais vontade de mijar.

Papai sentou na cadeira e disse que era para eu sentar no colo dele, foi ai que ele tirou a colher de pau da minha bunda. Ele abriu minha bunda e me ajudou para eu sentar. Sentei de costa, e aquele pirulito foi entrando e eu dizia que tava doendo e papai me acalmava dizendo que eu ia gostar que já já ficava gostoso.O pirulito foi entrando, entrando, entrando e sentir todo dentro da bundinha e perguntei:
“ ___e agora o que faço papai. Seu pirulito ta todo dentro do meu buraquinho.”

Papai disse:” sobe um pouco e desce, sobe e desce bem devagar. Mas sem tirar”

Comecei a fazer isso e tava gostoso, papai gemia e dizia que isso era cavalgar. Me senti igual uma égua.Papai pegava nos meus peitinhos ainda pequenos, e dizia que eu tava cavalgando bem e que aquilo eu não podia contar para ninguém.Ele ficou com o pirulito dentro de mim muito tempo dentro do meu buraquinho.Até que ele disse que ia chegar o doce e eu sentir a porra descendo, quente dentro do buraquinho e papai já mole, tremendo e dizia:

“ai, aaaaaaaaaah, ah, ah, cuzinho gostoso da minha filha, gozei, gozei, gozei. Toma no buraquinho filhinha, toma. Isso é pra vc aprender não ficar mais nua dentro de casa, toma”.

De repente mamãe chegou e eu percebi e sair correndo para o banheiro e papai ficou se vestindo e enxugando a cozinha, pois eu tinha mijado muito.

Eu não sabia que o pirulito de papai era uma pica e que sai leitinho gostoso. Depois desse dia, durante esses três anos papai sempre dava um jeintinho da gente fazer de novo. Tinha dias que mamãe tava em casa e papai as vezes com ela longe ele vinha e passava o dedinho na minha bucetinha e ficava chupando os dedos.Depois desse dia eu só usava vestidinho dentro de casa, pois era bem mais fácil de papai dar um jeitinho de rapidinho pegar e me lamber. Papai também vivia de short e sem cueca, quando mamãe saia era so abaixar o short ar uma chupada e começar a enfiar o pirulito.

Teve um dia que ele passou uma mensagem a noite para o meu celular pra eu ir no quarto dele, eu fui, quando cheguei lá a porta tava aberta, mamãe dormindo e papai com o pau duro na cama. Ele apenas fez o sinal e eu chupei e sair correndo com medo de mamãe acordar. Ele foi atrás de mim e na sala ele tirou o pau e me fez chupar a noite e ficou meio que olhando pra ver se mamãe acordava. A noite eu sempre o chupava ou então ele vinha no meu quarto e dava umas lambidas na minha xoxota. Isso durou uns três anos assim e depois que completei 18 anos ele me disse que não podia mais acontecer que eu tinha arranjar um namorado.Hoje tenho 18 anos e nunca mais chupei o pirulito de papai só o do meu namorado, mas sempre me lembro do pirulito gostoso dele, principalmente no meu rabinho.

Espero que tenham gostado do conto. Este não foi um conto verídico como os outros que conto aqui, mas foi gostoso escrever.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.