"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A vingança da traída (Ponta Grossa-pr)


autor: Ocafajeste
publicado em: 19/08/16
categoria: hetero
leituras: 2857
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá eu tenho 32 anos sou mulato claro, 1,74 e 79 kgs, cavanhaque,
Este fato que vou relatar aconteceu há algum tempo, mas merece memoria, eu voltava pra casa a pé depois de visitar a a minha mãe era umas 23 horas mais ou menos avistei uma moça chorando num canto de um mercado estava extremamente nervosa, eu cheguei e gentilmente a abracei e ela me contou que havia sido traída, que fazia tudo por ele, que naum merecia, falei que era era meiga, falei que ela era linda, o que realmente era verdade, uma morena clara, olhos amendoados, de 1,60 aproximadamente meio cheinha mas com tudo no lugar cabelos compridos bem tratados, unhas pintadas,com seios médios e um bundão que é minha fraqueza, tentei acalma-la enquanto falava palavras doces ia tirando uma casquinha alisando seu corpo e acariciando seus cabelos até que ela falou que amava ele, o que na hora foi brochante, mas continuei firme no propósito de desfrutar aquela delícia, perguntei se ela ia tolerar essa situação passivamente e propus que se vingasse, o que a princípio ela negou mas depois acabou cedendo diante de argumentos e alisamentos, me falou que ia pra casa, já sabia que ele iria a procurar e antes de perdoa-lo ia se vingar, incentivei e marcamos .Ela seguiu o plano a risca voltou pra casa e mandou ele embora de casa, alegando que precisava pensar sobre eles, já que tinham um filho juntos e tal, no dia seguinte me ligou falando que tava tudo pronto ia deixar o filho com sua mãe e iria "perdoa-lo" a noite mas antes queria sentir o prazer de outro homem a possuindo; e em 24 horas ela arquitetou um plano que duvidei que fosse chegar a termo.
Cheguei por volta das 16 horas com toda a adrenalina que envolve pegar uma mulher casada em sua própria casa, eu tinha até proposto um motel mas ela fazia questão que fosse na cama deles, e que já que ele ia procurar puta fora de casa ela ia ser puta de outro homem na própria casa, na própria cama, cheguei ela deixou o portão aberto com a chave pra eu trancar qdo entrasse o mesmo acontecendo com a porta, qdo entrei porta adentro eu era só tensão e tesão, mas ao chama-la ela respondeu aki, via que a voz vinha do quarto, qdo eu cheguei a porta quase cai de costa lá estava ela lingerie branca cinta liga de unha e batom vermelho, vi no rosto dela a excitação, o medo e a obstinação, ela mesmo falou vem cá vem ser meu macho, que eu quero ser sua putinha, essas palavras me destravaram e fui pra cima dela como um animal, a puxei a beijei e fui alterando voracidade com ternura algumas vzs beijando de língua até perder o fôlego outras serpenteando a língua na sua orelha, mordendo seu pescoço e acariciando seus cabelos,desse modo fui tirando a roupa dela e ela a minha, e eu ja chupava seus seios e ela acariciava meu pau elogiando o tamanho e grossura dizendo que era maior que o do corno, mas qdo fui baixando beijando sua barriga o que eu encontre fui uma bucetinha encharcada mergulhei minha boca nela chupando lambendo também alterando a velocidade e a profundidade, foi pouco tempo e senti seu corpo tremer e ela me empurrar, estava gozando de olhos fechados e mordendo os lábios, me afastei e fiquei me deliciando com a cena, depois de alguns instantes ela tava recuperada e quis retribuir subiu mordendo minhas orelhas desceu beijando meu pescoço, chupando meus mamilos até chegar nele, hum!!! parecia sentir prazer em torturar, mamava lambia as bolas, parava , punhetiava, lambia a cabeça e tentava engolir inteiro até o limite da garganta, ficou assim um bom tempo, mas eu naum ia gozar rápido, então puxei ela para um bjo de língua e já a deitei indo por cima pra um papai mamãe deliciosa que bucetinha quente, socava com força chamava ela de puta, cachorra, ela pedia me fode macho gostoso, quero gozar na pika de outro macho, nesse ritmo ela já brincava com o clítoris e estava prestes a gozar, então tirei o pau e mandei ficar de 4, com o rabo bem empinado e desse jeito enquanto fodia enfiava um dedo no rabinho oq ela naum mostrou objeção, e desse jeito gozei juntamente com ela que senaum tivesse de camisinha com certeza a lambuzaria inteira, ficamos parados inertes suados cansados mais realizados, porém ainda faltava algo e qdo fomos tomar banho uns minutos depois meu pau já dava sinais de recuperação qdo ela se ajoelhou e mamou, fazendo ele ficar rijo novamente, e eu só curtindo, depois de mais essa mamada ela se levantou e me beijou enquanto eu alisava aquela bunda, virei ela de costa e mordi a nuca nisso ela já tava entregue novamente, saímos do banheiro meio se secando meio se pegando e paramos no sofá onde meus dedos ágeis acharam uma bucetinha preparada novamente, coloquei outra camisinha, e comecei de novo a bombar com ela no sofá de pernas abertas, mas ai foi a vez dela mostrar seu talento de amazona, mudamos de posição e ela começou a cavalgada subindo e descendo, parecia naum cansar, e eu sentindo o fundo daquela xana, foi qdo novamente comecei a alisar aquele rabão, a safada então inverteu e começou a cavalgar de costas pra mim umedeci bem o dedo e comecei de novo a introduzir no cú da moreninha que parece ter ficado ainda mais louca rebolava, e qdo vi ela já tava gozando mais uma vez, aproveitei o momento e fiz meu pedido, perguntei se ela deixava eu comer atrás, ela exitou novamente dizia que meu pau era muito grande, então apelei para o lado vingativo, perguntei vc naum quer ser minha puta?, vc naum quer que aquele corno te encontre arrombada? então? qdo falei isso ela se modificou disse isso mesmo vou dar meu cú pra vc quero ficar toda arrobada, aquele desgraçado merece que eu seja puta de outro, pedi a ela um hidratante e fui pouco a pouco preparando aquele rabo primeiro com um dedo depois com dois ela já gemia, mas naum reclamava, qdo coloquei ela de 4 no sofá e lambusei a cabeça da pika vi ela olhar e pedir vem me fode devagar, mas fode meu cú, bem gostoso cachorro; eu me posicionei atrás e fui forçando sempre pedindo que ela relaxa-se qdo passou a cabeça ela deu um grito,eu parei e fiquei esperando ela acostumar ela mordeu uma almofada apertou o estofado do sofá perguntei se ela queria que parasse ela disse que naum com a cabeça, passados uns 3 minutos ela parecia ter recobrado o tesão olhou pra trás e disse continua, me fode; eu obedeci e lentamente fui aumentando o ritmo, qdo dei por mim já estava socando a pika inteira e dando tapas na quela bunda. e ela só gemendo, minha surpresa foi qdo ela olhando pra trás pediu soca com força, que eu vou gozar dando o cú pra vc seu gostoso, aquilo me animou de vez e eu soquei sem dó fazendo ela urrar, e gozamos juntosdepois ela me confessou que jamais tinha gozado fazendo anal, e que a transa comigo seria inesquecível, mas como tudo que bom dura pouco, ela voltou com o marido, depois de contar tdo que tinha feito; espero que ele tenha aprendido a lição, porque senaum eu vou estar sempre aki disponível pra uma vingança.
Se gostou da minha história, ou quer se vingar entre em contato face Alvaro Antunes Ryan ou me mande um e-mail , estarei no aguardo. quem sabe vc naum virá a próxima inspiração desse contista principalmente se for da região de Ponta Grossa... naum esqueça de ler meu outros contos é só clicar no autor "Ocafajeste" em cima do texto. Bjão!!!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.