"Os mais excitantes contos eróticos"


ESPOSAS ARDENTES, CORNOS DOMINADOS - 05


autor: Shamir
publicado em: 12/09/16
categoria: traição
leituras: 4763
ver notas
Fonte: maior > menor





Para vocês que me acompanham meus agradecimentos. Estou contando aqui um dos meus casos, descrevo como dominei o casal Saul e Ariel, como a partir da sedução da esposa eu transformei o Saul em um corno manso e dominado. Durante os contos aproveito para mostrar minhas filosofias no que diz respeito ao relacionamento homem mulher, defendo minhas ideias sobre o domínio natural do homem sobre a mulher, coisa que está fora de moda, por isso vem contribuindo para uma geração de homens moles, fracos e que não conseguem satisfazer suas mulheres. No conto de hoje a Ariel vai me relatar como seguindo minhas instruções colocou o Saul no lugar conquistado por ele mesmo. Espero que apreciem.
Shamir.



Ariel chegou no horário combinado, abri a porta para um bem disposto e lindo sorriso, não me canso de admirar essa mulher...tudo de bom, corpo perfeito e rostinho angelical. Um mulherão com jeitinho de menina e agora que ela já aceitou um sexo com pegada forte ela me dá mais tesão ainda. Comer mulher casada é gostoso, a sensação do proibido, de estar pegando algo do outro é fantástica, quando trata-se de uma mulher muito gostosa como é o caso, tudo fica próximo ao que se costuma descrever como o paraíso. Então eu aproveito, já que o paraíso verdadeiro se existir eu jamais vou conhecer, visto que sou um pecador convicto.
Ariel me abraçou apertado e me beijou com paixão, um bom sinal. Se ela está de bom humor é porque tudo deve ter dado certo com o marido, o Saul; E por tudo dar certo significa que o corno aceitou a nova condição para a vida dele, mas quero ouvir os detalhes pela Ariel, quero ver se ela seguiu minhas instruções corretamente e como tudo aconteceu. Mandei ela se sentar no sofá, ficar confortável e fui buscar uísque e gelo para nós, eu quero saborear o que a Ariel tem para contar...
-Bom minha querida...me conte tudo e não esconda nada, foi difícil?
Ela começou a falar, a contar tudo como eu pedi e não parava mais de falar, estava alegre, contente agora que tinha a segurança de ter um corno em casa podendo praticar um sexo mais livre comigo:
-Shamir...eu estava muito preocupada quando fui falar com o Saul, afinal eu estava arriscando meu casamento. Mas naquele dia quando eu voltei para casa tarde já de madrugada e toda arrombada por você...seu safado...eu pensei que meu casamento estava destruído, eu estava com medo, não sabia qual seria a reação do meu marido.
Mas já que eu estava perdida e me sentindo muito insegura resolvi seguir a risca tuas recomendações, eu não tinha mais nada a perder.
Quando entrei em casa o Saul estava acordado e vendo TV, me olhou com a cara mais estranha que já vi nele. Eu não me assustei, não sei como mas olhando bem nos olhos dele falei que tinha estado com outro homem, assim mesmo, de na cara e sem meias palavras...
Ele me disse que não era idiota e que já sabia disso, só queria ouvir da minha boca o porque, disse que me ama demais, que eu sou a única para ele e que não quer me perder de jeito nenhum, então nesse momento comecei a acreditar que você estava certo...meu marido tem vocação para corno... Ganhei mais confiança e disse para o Saul porque eu me entreguei para você...
Falei para o meu marido do amor que tenho por ele, lembrei dos tempos do noivado quando ele me iniciou no sexo, recordei os tempos de recém casada e de como eu sempre gostei de transar com ele. Depois falei do desinteresse da parte dele pelo sexo passado alguns anos após nosso casamento, confessei que muitas vezes ele dormia e eu me masturbava para me acalmar não podendo contar com ele para me satisfazer plenamente.
Ele foi ouvindo tudo e se apagando cada vez mais, acho que percebeu e concordou que relaxou comigo, não deu desculpas apenas chorou...meu marido chorando e dizendo que não queria me perder não me deu pena e sim raiva porque naquele momento eu percebi que estou amarrada a um homem fraco, sem atitude e ficou claro que você já sabia disso, pela reação dele, o Saul estava nas entrelinhas concordando em ser corno.
Então eu disse exatamente o que você mandou eu dizer...Falei para ele que eu poderia ficar com ele, que eu continuaria sendo sua esposa perante a sociedade, nossos parentes e conhecidos...mas as coisas seriam diferentes entre nós agora. Exigi casamento aberto, prometi ser discreta e cuidadosa mas quero carta branca, e fui bem direta...você mandou eu ser bem assim, lembra? Eu disse para ele que vou sempre ter um amante, que ele vai ter que aceitar e que tudo isso é apenas sexo, nada mais. Convenci o Saul que eu amo muito ele e isso é verdade, mas no sexo ele não me serve.
Ele soluçando concordou, e mais uma vez não senti pena alguma mas mesmo assim o abracei e o beijei com carinho, Saul me apertou forte e chorando como uma criança foi para o quarto...eu fui tomar banho depois fui deitar junto com meu corninho. Ele tentou sexo comigo mas eu aproveitei e lhe dei o tratamento que você recomendou...você é muito mau cara...
Expliquei para ele que eu estava muito cansada, falei mesmo que você comeu meu cu e eu estava arrombada, toda ardida e enquanto falava fui buscando o pau dele metendo minha mão na cueca dele Ele estava duro é claro, então fui acariciando o pinto dele devagar... mas continuei contando como você me fodeu e comecei devagar enquanto massageava o pau dele a descrever o teu pauzão, falei é claro do tamanho, como é longo e grosso, apertei com força a cabeça do pinto do Saul e falei como a cabeça do teu pau é vigorosa, roxa e inchada suficiente para encher minha boca totalmente...apalpei as bolas do Saul dizendo que as tuas são enormes e pesadas foi quando meu marido gozou gemendo, deu dois esguichos fracos e expeliu um pouquinho de porra na minha mão, depois todo envergonhadinho correu para o banheiro. Eu não sei quando ele voltou para a cama mas quando acordei cedo ele estava me olhando com curiosidade, não sei se chegou a dormir mas de qualquer maneira continuei seguindo suas instruções e mandei ele ficar pelado, eu estava só de calcinha e ele se animou, pensou o que não devia e veio se chegando, mas eu segui suas instruções Shamir, mandei ele ficar de quatro na cama, peguei o pinto dele por trás e apertando suas bolas ordenhei rapidamente o Saul, ele gozou em menos de um minuto e mais uma vez apenas um jato fraco, enquanto ele gozava e usando a própria porra dele enfiei meu indicador no cu do corninho, foi fácil, meu dedo lubrificado com a porrinha dele deslizou para dentro sem defesa para ele porque eu ainda segurava firme nas bolas dele. Ele se assustou um pouco e murmurou algo em protesto, eu ignorei o que ele dizia e o larguei sozinho no quarto. Fui tomar meu banho matinal e depois preparar meu café. Quando o Saul apareceu na cozinha estava quieto e pensativo, quis me questionar sem muita confiança perguntando o que era tudo aquilo que eu tinha acabado de fazer com ele...Eu dei o golpe de misericórdia! Falei que o sexo entre nós de agora em diante seria assim, só assim e era só isso que ele teria por uns tempos. Para dar alguma esperança para ele disse que eu poderia permitir alguma coisa melhor se ele fizesse por merecer...Foi assim Shamir, eu fiz tudo exatamente como você mandou e tenho que reconhecer que não sei como você estava certo e sabia previamente a reação que ele teria, o Saul meu marido é um corno mesmo e eu estou liberada...Shamir meu querido...eu estava quase certa de que meu casamento estava acabado, pensei que o Saul me expulsaria de casa...
Eu olhei bem nos olhos da Ariel e a abracei com força, lhe dei um beijo e pedi:
-Tira a roupa meu amor, você foi fantástica e merece uma recompensa, acho que agora você aprendeu a confiar em mim.
Ela jogou longe suas roupas e eu a coloquei na posição de frango assado no sofá mesmo.
Meti forte, a boceta molhadinha como de costume absorveu o golpe e meu pau mergulhou nela gostoso, as partes da Ariel abraçaram meu cacete apertando bem e eu senti quando toquei lá no fundo, o gemido, quase um grito dela foi bom de ouvir, aumentou ainda mais a tesão que eu estava sentindo por essa mulher recém liberta. Segurei com força os tornozelos da minha fêmea e empurrei suas pernas bem abertas até a borda do encosto do sofá. Nessa posição bastante rude bombei severamente, com vigor e bem rápido. Ariel fez seu show já meu conhecido, gritava, gemia e tremia toda e quando gozou fez um escândalo enorme...e eu amei tudo isso! Como é bom possuir uma casadinha assim, liberada e pronta para tudo.
Não vou negar, o fato da Ariel seguir ao pé da letra minhas instruções e ter conseguido convencer o marido a aceitar ser um corno me deixou orgulhoso, já estou acostumado a fazer isso, mas sempre é um orgulho cada vez que consigo, porque na verdade sou eu manipulando o casal, nas poucas vezes que a coisa deu errado eu não perdi nada, o casal que se fodeu na relação deles. É a vida meus caros...


Na próxima parte -06, vou ter o sublime prazer de foder a Ariel na frente do Saul o marido dela, os poucos que já provaram uma situação assim sabem do que falo, é uma experiência muito especial reservada para os homens que são homens de fato. Esperem e poderão ler tudo o que vou contar...em detalhes.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.