"Os mais excitantes contos eróticos"


■1.Novinho Nativo com a Madura


autor: Máquina55
publicado em: 26/09/16
categoria: hetero
leituras: 3179
ver notas
Fonte: maior > menor


Caros leitores é sempre um prazer contar um pouco da minha vida sexual para vocês, confesso que compartilhando me deixa bem excitada. Sou a mulata quarentona de seios grandes e durinhos, quadril largo e bumbum grande.

Nossa família tem um sítio no interior herança dos avós, e sempre que é possível nos reunimos para festejos são irmãos, cunhados, primos, sobrinhos e as vezes amigos é uma festança só. A área de terra é grande tem uma casa confortável e uns aptos construídos no anexo bem no estilo arquitetônico. Eu disponho de um deles, somente quarto sala e suíte.

Dentro da propriedade tem um braço do rio que corre por entre umas frondosas árvores e um pomar bem produtivo. Umas das vezes que fui tive a oportunidade de ver um nativo da região, novinho de cor morena de mais ou menos 25 anos, alto, magro e bem insinuante. Ele já me viu numa situação de pegação com um primo e em outra ocasião nua tomando banho.

Numa quinta feira resolvi ir até o sítio para ver se conseguia ve-lo tinha uma tesão naquele macho que me comia com os olhos. Peguei a estrada e cheguei no sítio período do início da tarde, me livrei das roupas e vesti um biquíni minúsculo cor azul turquesa que me favorece muito e coloquei um roupão e rumo a caça.

Antes dei uma volta na redondeza para ver se ele estava por perto. Tudo me favoreceu e o encontro logo, faço de conta que não o vejo e tiro o roupão ficando de biquíni, e me encaminho bem devagar para o rio. De longe ele me observa e tiro o soutien é a isca. Ele vem arisco.

Entro na água e o espero, ele chega e me observa entre as árvores me movimento sensual me exibindo para ele provocante. Faço tentativas de tirar a calcinha e ele já apertando a rolona, sorrio por dentro e me excito cada vez mais. Uso uma estratégia.

- "Aí meu pé torceu, sem ninguém como faço, socorro..."murmuro.

Ele não tem alternativa, aparece eu cobro meus peitões com as mãos... mas são grandes mesmo assim aparecem, e peço que ele me ajude a sair da água. Ele entra rápido no rio com roupa e tudo, me esfrego no seu corpo hummm... com cheiro de macho suado, de sol, de perfume venvido, de desejo. Por fim me seguro no seu pescoço com a barba crescidinha... me arranhando... fazendo com que os peitões ficasse ao alcance da sua boca, roço roço na barba ... arde ... e ele cheira mas não abocanha, mas transpira como uma cafeteira.

Provocante mais e coloco os " bicos "nos lábios, na sua boca e ele timidamente abocanha, mordeu a isca , gemo... gemo e o prazer é imediato ... ele entendo o que quero.

- "Você tem tirado meu sono desde aquele dia aqui no rio." Eu murmuro.
- "Voce não me sai da cabeça venho todos os dias aqui te ver." Ele.

E volta a chupar meus peitões com as marcas do bronzeados me deixando enlouquecida. Agora atrevido mete a mão dentro da calcinha e com dois dedos bolina minha xoxota, uma sensação indescritível, eu o ajudo e abro as pernas e ele introduz os dois dentro, fungando como leão cortejando a leoa no cio.

Me solto e vejo que não é local certo, dentro do rio, a céu aberto sendo seduzida por um macho novinho de mais ou menos 25 anosm quero tudo completo, ele tira meu sono e aqui sem apoio. Murmuro.

- "Amor agora alguem pode ver, me espero a noite perto da minha casa para passar a noite juntos".
- "Você é casado?".
- "Não sou casado." Ele responde enebriado.

Saimos do rio enganchados sem nos soltar. Ficamos num local mais escondido e ele continua a chupa meus peitões com a bocarra macia e os dentes afiados ... mais e mais, continua a bolinar minha xana, eu meto a mão dentro da bermuda, sem cueca com a rolona solta solta uma delicia, e punheto o " picão". Impossivel de nos separar tamanho é o desejo.

Mas, nos contemos e ele segui para o trabalho e eu para a casa. Chego e subo rápido tiro a roupa e me jogo na cama, com o corpão em chama. Tomo banho e desco tomo café e converso com a mulher do caseiro. Peço a ela para dar uma caprichada no quarto com flores e lençol branco.

A noite me preparo para a noitada, vou ao banho, passo óleo no corpo e chuveirada. Coloco um babydoll minúsculo no tom laranja que combina com minha pele bronzeada. Coloco um roupão e ando pelo jardim.

O espero no local marcado, ele vem logo nos beijamos seu cheiro de perfume masculino ... forte ... camista e bermuda, ele aperta meus seios, minha calcinha molha, melhor entramos. Já dentro do apto, o derrubo na cama para me observar , tiro uma alça da parte de cima e folgo o laço da calcinha também de um lado, fico uma cadela oferecida.

Ele reagi e me alcança, me segura docilmente e tira a parte de cima do babydoll ver meus peitões trêmulos e bronzeados e segura-os como bandeja agora nus, lambe todo... bolina os bicos... chupa um com bebê ... e o outro aperta ... com os dentes cerrados mordica um e outro ... me olhando no alto dos seus 1:85 de altura, me delicio com esse jovem homem e sem ação ele segue e chupa cada um com habilidade de macho no cio. Eu desabo de tesão e tenho meu primriro orgasmo.

Me leva pra cama... no lencol branco deito com a bunda pra cima ... ele alisa ... e de quatro me escancaro, ele desata os laços restante ... arranca a peça e joga longe ... fico nua com a xota raspando o lençol.

Ele me suspende e mergulha o rosto no meio das minhas pernas e ... cheira minha xota ... ambe meu gozo ... eu trêmula sento no seu rosto e ele ... chupa a xoxota grito desavirada e ele chupando chupando e mordica.

Tenho desejo de mamar também, me viro e tiro da bermuda sua "rolona" e abocanho toda o que minha boca suporta e ele geme geme mumura indecências... e segue me chupando minha xoxota suculenta.

Mas o desejo é de copular e me viro psra o abate me posiciono na cama ... escancarada ... esperando ... ele se posiciona e começa o ato de copular, enfia a troncuda picona ... sinto um pouco o tamanho é grande ... ele mete mete e tira ... arde um pouco ...mas ele mete ... e eu gemo de dor ... de desejo ... de vontade .. rosno e temos um gozo intenso e forte.

Ele tira da xota de jorra o leite no meu corpo me deixando hidratada... me deixa morma... descansamos. Refeitos vamos ao banho ... no box tudo acontece... ele é insaciável e eu desejosa de um macho novinho...

Ele se ajoelha com a cabeça proxima a boceta água correndo morna.. ele levanta minha perna coloca no ombro largo e chupa minha xoxota lavada e imensa por conta rolona grossa. Ele lambe e eu murmuro.

- "Amor esta dolorida por conta do maltrato do picão... o que melhora?"
- "Só outra massagem da rola na xoxotinha."
- "Quero... quero..."

Ele me toma nos braços e me coloca pingando de água num sofa da sala me escancaro no braço do sofá, ele coloca um creme que trouxe do banheiro e coloca na xoxota... sua mão macia me atiça... se prepara e enfia a pica toda toda... me seguro no encosto e ele cavalga cavalga ... o movimento meus peitões balançam ... ele segue metendo ... sinto um tesão imenso com esse macho vigoroso... segue segue ... a dozinha transforma-se em desejo... o fogo me toma e ele um potro indomável me come feroz urrando ... amo sexo selvagem e gozamos juntos...

Ele me leva pra cama nos limpamos e dormimos de conchinha... a madrugada.... depois conto.


Comentem votem...

Releiam sempre...




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.