"Os mais excitantes contos eróticos"


Histórias de Liz (capítulo 6)


autor: casalcuidadoso
publicado em: 28/09/16
categoria: grupal
leituras: 2877
ver notas
Fonte: maior > menor


A carta

Iniciamos a semana com a certeza de que nossa vida sexual havia mudado completamente. Mas aquilo tudo acabou despertando em mim algumas curiosidades sobre Rodrigo. E, definitivamente, achei que era hora de entendê-lo um pouco mais. Puxei assunto, durante nosso café da manhã.

_ Sabe, fiquei impressionada como curtiu me ver com outro homem, ainda mais sendo um grande amigo seu. Como conseguiu encarar isso com tanta tranquilidade? Já havia feito algo assim antes?

Rodrigo ficou imóvel durante alguns segundos, olhando para o nada, com a xícara de café na mão.

_ Sabe amor, sexo pra mim é algo além do que a maioria das pessoas imagina. A Internet sempre me deu acesso e me ajudou a entender certas coisas que passavam na minha cabeça, desde jovem. Então descobri que haviam outras pessoas que também viam o sexo de uma forma fora do convencional. E elas experimentavam. E relatavam suas aventuras em blogs e sites pessoais. Até que um dia tudo aquilo saiu da minha fantasia. Vivi algumas coisas interessantes ao longo destes anos. Poucas, mas situações bem gostosas. Situações estas que adoraria conversar com você. Mas não agora pois estamos atrasados, né? Completou ele, sorrindo.
_ Certo vamos conversar mais sobre isso, quero muito saber, concluí.
_ Ok, meu amor, vou nessa. Ah, o porteiro ligou dizendo que tinha uma carta pra nós lá embaixo. Você pega antes de sair?
_ Claro, amor. Bom trabalho, até mais tarde.
_ Amo você, vai ser difícil ficar concentrado em contratos hoje! Sorriu ele, sarcástico.
Me deu um beijo gostoso e saiu.

Terminei de me maquiar, calcei os sapatos e desci. Chegando na garagem, lembrei do envelope que estava na portaria, mas como estava atrasada, optei por deixar para a volta, à noite.
Durante todo o dia, os momentos com André não saiam de minha cabeça. E da imaginação de Rodrigo também não. Era difícil me concentrar nas obrigações no escritório, e pra piorar, a todo tempo recebia mensagens do meu gato pelo Whatsapp. Algumas carinhosas, mas a maioria muito safadas. Coisas tipo:

_Vou foder muito você hoje, amanhã, a semana toda!

Estava tão excitada que cheguei ir até o banheiro e tirar uma foto da minha buceta encharcada e enviei a ele. Não demorou muito pra ele responder:

_ André te deixou assim, amor? Nossa, quero você rebolando em outra pica grande muito em breve!

Aquele sarro virtual estava muito, mas muito bom!!!

À noite, passei na casa de meus pais e jantei com eles, como de costume todas as segundas-feiras. Lá pelas 9 horas, cheguei em casa, e enquanto estacionava, lembrei da carta que estava na portaria.

_ Boa noite seu Jurandir, esposa vai bem, Jorginho? Tem um envelope para nós ai, não?
_ Boa noite dona Liz, a senhora parece bem feliz, que coisa boa! A patroa e Jorge estão ótimos, obrigado por lembrar. _ Tem sim. Aqui está, disse ele.

Parei por uns instantes para analisar o envelope. Apenas o número do apartamento nele.
_ Sabe quem deixou, seu Jurandir?
_ Também estranhei não ter remetente, dona Liz. O porteiro da manhã disse que a pessoa saiu do prédio em frente.
_ Ah, ok. Obrigado pelo elogio e minhas lembranças aos dois, seu Jurandir, obrigado! Respondi, já saindo.
_ Boa noite dona Liz.

Me dirigi ao elevador. Segurei o envelope com os lábios enquanto procurava as chaves de casa. Encontrei-as, entrei no elevador, coloquei a bolsa embaixo do braço e então abri o envelope. Nele apenas os dizeres:

"Ficamos muito excitados com a festinha ontem! Beijos Mile e Rob."

Meu coração foi parar na boca. Meu Deus! Como pode? Meu corpo tremia mais do que "vara verde".

Ao chegar em casa, não conseguia colocar a chave no buraco da porta. Rodrigo percebendo isso, gritou pelo lado de dentro:
_ Amor, não é essa chave. É a outra, kakaka!
_ Abre essa porra, Rodrigo, por favor, gritei.

Rodrigo abriu a porta, entrei rapidamente, larguei o envelope na mão dele. Fechei as cortinas e sentei no sofá, apreensiva.
_ O que é isso, Liz? O que está acontecendo?
_ Abra, leia, respondi.

Rodrigo, abriu o envelope e após alguns segundos esboçou um sorriso, como se aquilo fosse um presente que acabara de ganhar.

_ Você tá doido? Tira esse sorriso da cara! Nos viram trepando com André ontem, não percebeu? Podem ter nos filmado, colocado na Internet, cacete!

Rodrigo lentamente abriu a cortina. Vestia apenas a calça jeans que havia usado para trabalhar. Seu tórax nu e sarado é uma das partes que mais gosto em seu corpo. Apagou a luz da sala, deixando apenas o abajur ligado. Ficou de frente pra mim, se inclinou e me deu um beijo quente e demorado. Enquanto me beijava, passava uma das mãos em minha coxa e com a outra puxou minha mão direita até o volume que já aumentava em sua calça.

_ Esperei o dia todo por este momento, Liz.
_ Rodrigo, calma, estou nervosa, feche essa cortina.
_ Fechar pra que? E tirar a diversão de quem está adorando nos ver?
_ Mas… m... não deixou eu terminar de falar e enfiou a língua em minha boca, me beijando com força.

Comecei a ficar excitada com aquilo tudo, ainda mais por saber que alguém poderia estar nos olhando novamente. O pior era saber que estava noiva de um "doente mental" e pervertido. Mas aquilo me completava. Me preenchia. E estava me deixando cada vez mais louca e satisfeita sexualmente.

Abri o zíper da calca de Rodrigo, puxei o membro já duro dele pra fora e abocanhei-o com força. Fiquei louca pra foder o dia todo, pensando no que havia acontecido na noite anterior. E era isso que meu corpo pedia.

Que pica suculenta tem meu noivo! Chupava a cabeça dela enquanto acariciava suas bolas. Fazia minha língua percorrer toda a sua extensão. Quando voltava para a glande, Rodrigo controlava meus movimentos, empurrando minha nuca, ora para frente, ora para trás. Volta e meia ambos olhávamos para a varanda, tentando descobrir quem eram nossos voyeurs.

_ Chupa sua puta! Oh, como é bom, só você faz assim. É uma profissional!
_ Você gosta não é seu cachorro. Adorou ver eu mamando no pauzão do André ontem, não?
_ Adorei, morri de tesão! Você é minha vagabunda!
_ Então vem seu corno, fode minha buceta, quero sua porra quente dentro dela!

Larguei a pica dele e saquei minhas roupas num instante. Me ajoelhei em cima do sofá, de costas para Rodrigo, revelando a bunda que ele tanto adora, grande, redonda e lisinha.

_ Uau, você está cada dia mais linda!
_ Você é que está cada dia mais apaixonado, amor. Vem, me come, respondi, rebolando a bunda pra ele.

Rodrigo me pegou pela cintura e meteu sua vara sem dó. Sentia o poder de suas estocadas na entrada do útero. Dificilmente olhava para mim, me comia e olhava para for a, em busca de algum vulto, algum movimento. Em vão.

_ Isso meu cavalo, come sua égua sedenta! Gritava pra ele.
_ É a buceta mais gostosa que eu já comi, ele respondeu.
_ Quero comer esse seu cu.
_ Seu pau é muito grande, não entra nele. Se contente com essa buceta quente.

Aquilo serviu como uma provocação. Rodrigo então aproximou seu rosto do meu, agarrou meus cabelos, como se estivesse domando uma égua brava e começou a beijar e chupar minha nuca e minha orelha. Passou os dedos da outra mão na minha boca para que eu pudesse chupá-los. Ai, meu Deus, eu sabia no que isso ia dar. Logo eles estavam acariciando meu clitóris. Nossa, como esse maldito sabe fazer as coisas! Sabe do que eu gosto! Ahhhh!

_ Vai gozar no meu pau sua piranha, dizia ele no meu ouvido.
_ Soca seu filho da puta!!!! Soca vaaaaaai, vou gozar!!!! Ahhhhh!!!
_ Ahhhhhhh to gozando também!
_ Isso goza, quero sentir sua porra quente dentro de mim.
_ Ahhhhhhhhhhh! Ohhh! Ahhhh!

A real sensação de quem alguém nos olhava nos proporcionou um orgasmo maravilhoso. Sem tirar o pau de dentro de mim, Rodrigo me empurrou para a extensão sofá e ali ficamos na posição conchinha. Foi tão bom que adormecemos ali mesmo.

(continua…)



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.