"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Seduzida pela minha coordenadora madura


autor: katyferreira
publicado em: 02/10/16
categoria: lésbicas
leituras: 12329
ver notas
Fonte: maior > menor


Já faz um tempo que eu trabalhei no editorial de um jornal da minha cidade onde passava boa parte dos meus dias, todos me conhecem como Katy (abreviação do meu nome que prefiro não revelar por questão de privacidade). Pele clara, cabelos claros e sou bem fofinha rsrs, tenho 1,69 de altura e os seios médios e um bumbum grandinho.

Tudo começou quando precisamos nos mudar de sala no trabalho, ficamos um pouco isoladas do restante da empresa, devido a algumas reformas. Silvia, minha coordenadora é uma mulher com seus 38 anos, alta, quadril largo e coxas grossas, sua pele branquinha realça seu cabelo preto meio cacheado.

Normalmente trabalhavamos até tarde pois havia muito trabalho extra e nesse dia foi exatamente isso que aconteceu, ficamos eu, minha coordenadora e um pessoal de outro setor bem afastado da gente, depois das 19h começamos a conversar sobre relacionamento, auto-estima, etc. Silvia entre uma frase e outra me elogiava, dizia que minha cintura era fina e meu bumbum grande que os homens deviam ficar loucos, entrava em assuntos da minha vida sexual e gostava dos detalhes.

Aos meus 25 anos devido ao trabalho, minha vida sexual não era tão ativa quanto eu gostaria, sempre fui muito ligada a sexo e ter prazer individuais. Depois de algumas horas trabalhando e conversando resolvemos nos despedir, eu não conseguia parar de olhar pra boca da minha "chefe", era perfeita, boca grande, lábios médios e bem realçados pelo batom, eu devia estar louca.

Acho que Silvia pela sua maturidade percebeu logo que eu estava incomodada com algo e me perguntou o que era, eu sorri e disse que falar sobre sexo me deixa “assim”, ela rapidamente perguntou;
- Assim como Katy, excitada?

Eu fiquei vermelha e disse que não, só fico com vontade, e sorri sem graça. Ela começou a me provocar, se aproximando mais a cada assunto, falávamos de viagens, roupas íntimas, relacionamento e quando ela maliciosamente perguntou sobre fetiche pegou minha mão, aquele toque macio não tinha nada de mais, porém fez minha cabeça virar uma bagunça. Quando respondi que meu fetiche era transar em lugares públicos e que eu tinha curiosidade ela simplesmente me beijou, já estávamos em pé a essa hora, ela se apoiou na mesa com as mãos e se "jogou" na minha direção, foi um beijo caloroso, intenso, molhado e com gosto de safadeza.

Nos despedimos e fomos embora, sem prolongar muito nossos carinhos. No dia seguinte a vergonha tomava conta de mim, acho que um pouco dela também, o “bom dia” foi bem baixo e tímido pois havia mais gente na sala. As 9h todos foram para o café eu e ela ficamos, eu precisava tirar satisfação e logo fui falando que eu havia gostado, mas que aquilo era errado, quase apaixonei quando recebi outro beijo, calando minha boca e segurando minha nuca, aquela mulher era muito intensa, meuu Deussssss

Voltamos pros nossos afazeres, mas sempre trocavamos olhares e até uns sorrisos safados, aquilo era mais forte que nós, na parte da tarde Silvia pediu para ajudar a procurar umas matérias no arquivo (uma salinha bem nos fundos da empresa, que raramente procuramos alguma coisa), prontamente eu atendi. Mal entrei na sala já recebi beijos e carícias, alí mesmo começamos nos amar.

Eu fiquei em pé, de frente pra ela, enquanto ela tirava minha blusa e me encostava na parede, rapidamente começou a tocar meus seios, chupar e lamber como eu nunca tinha sentido antes, era uma mistura de vontade louca com carícias, era bruta e ao mesmo tempo carinhosa. Um pouquinho depois eu fiz o mesmo, tirei a blusa dela e pedi que me abraçasse, ficamos alí alguns minutos, seios com seios, bocas se misturando e a língua se movimentava rápido.

Silvia era maior que eu o que facilitou pra ela me dominar facilmente, de uma forma agressiva tirou minha calça jeans, colocou minha calcinha pro lado e começou a me tocar, eu suspirava fundo e pegava no cabelo dela. Ela desceu com sua língua até minha buceta, aquilo foi INCRÍVELLL, quando senti o calor daquela língua no meu grelinho eu delirei, pedia pra ela chupar e ela respondia com a língua passando cada vez mais rápida de um lado ao outro, as vezes dava chupadas me fazendo sentir aqueles lábios deliciosos...

Uma mulher madura, atraente ajoelhada na minha frente me chupando, era tudo que eu queria em um dia de trabalho rsrs, nunca me passou pela cabeça beijar uma mulher, e agora eu estava alí, entregue a minha chefe. Ela se mostrou um pouco mandona me dizendo o que fazer várias vezes.
- Vira de costas pra mim amor?!

Ao me levantar, ela também se levantou e me abraçou por trás, eu sentia aqueles seios tocando minhas costas, os biqunhos durinhos me deixava mais louca ainda, me pegando por trás ela começou a tocar minha buceta com uma das mão e com a outra meus seios, sua boca procurava a minha, estávamos meladas e se lambendo enquanto eu sentia um tesão descomunal.

Passados alguns minutos abraçadas ela percebeu meus movimentos e logo deduziu que eu estava no ápice do prazer, me surpreendeu quando se abaixou novamente, levantou uma de minhas pernas e começou a chupar novamente minha bucetinha, meu líquido escorria pela sua boca, lábios e pescoço, estava muito molhada.

Por alguns segundos eu me senti a mulher mais realizada do mundo, meus músculos se contraíram, soltei um gemido mais forte e despejei meu gozo na boca da minha chefinha linda... Ela se descontrolou, lambia, e colocava os dedos, apertava minha bunda, dava tapas, lambia minha coxa, foi uma loucura...

Ela me fez gozar de uma forma que eu jamais havia experimentado, engoliu cada gota do meu líquido de prazer, lambeu os lábios e me olhou sorrindo. Nos recompomos e ficamos mais uns 5 minutos nos beijando e trocando carícias até voltarmos para o trabalho.

O dia foi extremamente produtivo, ficamos cerca de 40 minutos nos amando e aquilo melhorou meu humor e também o dela, o restante do dia ficamos trocando beijos quando não tinha ninguém por perto. Aquilo estava tomando uma proporção deliciosa, eu estava amando ter uma amante madura e tão próxima de mim, todos os dias eu verei aquela mulher que me apresentou ao prazer feminino.

Até hoje mantemos contato, as vezes marcamos de ir na casa uma da outra provar lingeries, nossos maridos mal imaginam o quanto somos safadas entre a gente (nosso segredinho) rsrsrs

Foi assim que iniciei minha vida amando uma mulher, uma amante madura, espero receber comentários sobre meu conto, gostaria de trocar informação sobre a vida sexual de vcs

Bjos da Katy

katyf083@gmail.com






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.