"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Te amei, amo e sempre vou te amar-13-O S


autor: mrpr2
publicado em: 04/10/16
categoria: gays
leituras: 1032
ver notas
Fonte: maior > menor


Te amei, amo e sempre vou te amar-13-O Segredo de Augusto.

Durante a reunião antes de iniciar o feirão meu telefone não parava de vibrar, eram notificações de mensagens de Augusto cheio de si me fazendo um monte de perguntas. Quando sai da reunião respondi apenas que mais tarde em meu apartamento conversaríamos sobre esse assunto, pois naquele momento eu estava muito ocupado e provavelmente ele também deveria estar já que me disse estar indo para uma reunião.
Algumas mensagens a mais foram enviadas, mas ignorei todas. O feirão estava bombando devido a crise o valor das casas e apartamentos tinham diminuído e as condições de pagamento, apesar da redução do incentivo do governo que foram negociadas com o banco com nossa imobiliária estavam bem atraentes.
Era hora do almoço eu acabei ficando por ultimo pois estava negociando com um cliente estava saindo para almoçar quando fui parado por Rafael.
_ Aonde você vai?
Olhei para ele com uma cara de quem não estava entendendo a pergunta e respondi.
_ Sei que você é uma espécie de sócio do Sr. Valter, mas ele ainda não me disse que eu tinha que reportar a você cada vez que eu me levantasse.
_ Opa vai com calma só te fiz uma pergunta ou seu “amigo” não gosta que você fale com seus ex’s?
Nem respondi passei por Rafael e disse a Margo:
_ Margo estou indo para meu almoço, logo estou de volta.
_ Sem problemas, bom apetite!
Agradeci e sai. Procurei um restaurante perto do local onde estávamos, entrei estava lotado e quando me sentei quem vi entrando e vindo em minha direção? Isso mesmo Rafael.
_ O que foi esta me seguindo agora?
_ Preciso almoçar não posso me sentar com um colega de trabalho? Além disso esta lotado aqui não tem outra mesa.
Quando eu ia responder o garçom chegou trazendo o cardápio, resolvi deixar quieto logo eu almoçaria e sairia dali.
Tentando não ficar olhando para a cara de Rafael e seu sorrisinho de quem tinha vencido mais uma luta ao sentar se em minha mesa, algumas mesas a frente vejo Augusto se sentar em uma mesa ao seu lado uma mulher que não parecia ser sua irmã e duas meninas que deveriam ser suas sobrinhas, será que a mulher era irmã apenas por parte de mãe?
_ Ei como você esta? Melhor, não teve mais aquela tonteira?
_ Aquilo não foi nada, eu apenas demorei a tomar café da manha e minha glicose caiu.
_ Tem que tomar cuidado se alimentar direito.
Disse Rafael colocando a sua mão sobre a minha o que retirei rápido.
_ Depois de três anos você vem se preocupar com minha alimentação? Obrigado mas creio que estou fazendo um ótimo trabalho sem sua ajuda!
Rafael responde algo, mas nem ouço o que ele diz prestando atenção na mesa adiante. Então reparo uma coisa estranha, a mulher ao lado de Augusto começa a acariciar e pegar na mão dele. Um violinista se aproxima e um garçom entrega um ramalhete de flores vermelhas a mulher que emocionada da um beijo em Augusto na boca. Meu coração dispara um no se forma em minha garganta.
_ Santiago você esta bem?
_ Sim estou só preciso de um pouco de agua.
Bebo agua e tento respirar com calma tentando entender a situação. O Violinista começa a tocar algo um pouco mais suave e baixo para que Augusto fale. Augusto se levanta pega em uma das mãos da mulher e começa a falar um monte de coisas então percebo o que esta acontecendo, estão comemorando doze anos de casados, a mulher não é irmã, mas sim sua esposa e as meninas suas filhas.
Um sentimento de raiva, misturado com sentimento de traição toma conta de mim, minha vontade era de levantar ali mesmo e fazer um escândalo e dizer a ela quem era de verdade seu marido e do que ele realmente gostava, mas ela iria acreditar? Além disso diante de todas aquelas pessoas quem estaria mais errado na historia provavelmente eu seria taxado de viado amante que teria seduzido o marido para destruir mais um lar perfeito.
_ Santiago você não esta bem, o que esta acontecendo?
_ Eu quero ir embora daqui.
_ Mas o pedido ainda não chegou.
_ Não estou com a mínima fome neste momento Rafael.
Me levantei joguei o guardanapo na mesa peguei minha pasta e sai. Rafael veio atrás de mim sem entender o que estava acontecendo. Já estávamos na porta quando ele avistou o garçom que havia nos atendido e cancelou o pedido e neste momento viu Augusto.
_ Fica calmo Santiago, se você quiser te levo para outro lugar e pode ficar tranquilo não conto para ninguém que você esta enrolado com homem casado.
_ Cala a boca Rafael! Eu não sabia que ele era casado, ele me enganou assim como você.
_ Eu não enganei você.
_ Você disse que me amava e do nada sumiu, isso é amor? Quem ama quer estar junto.
_ E quem disse que eu não queria? Todos esses anos cada segundo meu pensamento era você, o que estava fazendo, com quem, se tinha seguido em frente. Eu queria que você fosse feliz!
Disse Rafael segurando minha face com as duas mãos.
_ Eu era feliz ao seu lado, por muito tempo eu não conseguia olhar para ninguém quando eu percebi que você não ia voltar eu tentei, mas só encontrava pessoas que só estavam afim de sexo, de ficar e nada serio ate que encontrei o Augusto ele era mais experiente, mais serio me propôs namoro logo de inicio, claro que eu percebia que tinha algo errado, mas ele dizia que sua mãe era controladora, não aceitava sua homossexualidade além disso eu fiquei pensando que eu é quem estava tentando sabotar mais uma tentativa de me livrar de você.
_ Desculpa, desculpa te fazer sofrer assim, eu também senti sua falta, mas eu não podia voltar.
_ O que te impedia? Diz o que?
_ Eu fui um fraco Santiago, eu parecia forte dono de mim, mas eu era um fraco...
_ Santiago, Rafael já almoçaram? Que caras são essas esta acontecendo alguma coisa?
_ Não Margo esta tudo bem. Acabei não almoçando, mas não estou com muita fome vou so ficar um pouco aqui, mais tarde eu como algo.
Rafael já tinha saído, Margo pegou algumas coisas na sala e logo saiu. Dormi um pouco, mas logo acordei com Rafael me chamando ele tinha me trago uma marmitex eu não queria, mas ele insistiu e eu acabei aceitando.
Eu queria continuar a conversa, mas a tarde o volume de pessoas aumentou e quando o feirão terminou Rafael já tinha ido embora. Em meu celular varias mensagens de Augusto eu estava com ódio dele, não sabia se respondia com um monte de desaforos ou se era melhor eu apenas risca lo do mapa da minha vida, afinal ele não merecia se quer uma explicação.

Continua...

Autor: Mrpr2




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.