"Os mais excitantes contos eróticos"


Minha putinha de calcinha rosa


autor: adriano.master
publicado em: 16/10/16
categoria: hetero
leituras: 6614
ver notas
Fonte: maior > menor


Tenho uma amiga que é um tesão. Por onde ela passa chama a atenção. Loira, seios grandes, coxas grossas e um rabo, lindo demais. Ela é bem séria, não da muita atenção as cantadas na rua, não. Advogada de sucesso, tudo isso, faz alguns homens sentirem insegurança pra chegar junto.

Ela tem um namorado, mas que não trata ela do jeito que ela gosta de ser tratada na cama, como um puta gostosa, que ela é. Nos conhecemos já a bastante tempo, mas só agora nossa amizade ficou mais séria, e quando digo séria, estou falando de sacanagem, de sexo, bom é forte, de putaria das grandes.

Um dia nos encontramos em um motel, próximo ao nosso local de trabalho. Ela linda, deitada na cama, lendo um conto erótico, cabelo amarrado em forma de rabo de cavalo usando uma roupa azul, com uma saia solta, que destacava, suas coxas e bumbum. Ela esta usando uma calcinha Rosa, de renda, enterrada na bunda. Esta calcinha rosa e das que ela usa somente pra mim. Deuses, eu amo, simplesmente amo, seu rabo. Grande, redondo, duro e calcinha da um charme a mais, Sempre enlouqueço.

Logo que entramos a puxei pela cintura e a beijei, com força e paixão. Nossos corpos desejando saciar nossas vontades de prazer. Seu beijo é como uma explosão de desejo. Talvez seja isso que a define mais verdadeiramente, desejo cru, puro, insaciável.

Puxo seus cabelos e afasto sua boca de mim.

_Calma putinha. Hoje vai ser como eu quero. E se desobedecer vai apanhar.

Ela me olhou dominada pelo desejo, com raiva incontida nos olhos. Eu retribui com frieza. Com a certeza de que se cedesse, algo entre nos dois se perderia.

_Tira a roupa. Fica apenas de calcinha.

Ela obedeceu. Ficando apenas de calcinha, sua calcinha rosa e rendas. Delicada e sexy. Uma das muitas que ela usava unicamente pra mim. Seu Dono e Senhor.

_De joelhos.

Me aproximei. Ela olhava para o chão. Ainda com raiva de mim.

_Olha pra mim.

_olha pra mim!

Seus olhos fitaram os meus. Sua raiva ainda permanecia. A seguro forte e a puxo para junto de mim. A beijo com vontade, ela suspira e logo sorrir, incapaz de sentir raiva por muito tempo. Coloco a mão entre suas pernas e a sinto molhadinha e pergunto:

_O que você leu no conto que te deixou molhadinha?

_Uma mulher é fudida bem gostoso... pelo cuzinho. Queria ser comida daquela forma!

_De quatro na cama!!! Seja uma boa menina e te como, do jeito do conto.

Seguro suas coxas e começo a chupa-la. Passo a língua em toda extensão. Percorro aquela buceta gostosa com vontade e anseio. Ela geme, respondendo ao calor da minha língua. Seu grelo inchado, estreme ao toque da língua ávida. Depois de alguns minutos, mando ela me chupar.

Ela busca com desejo meu cacete. Ela adora, a cabeça inchada, vermelha, as veias dilatadas e marcando meu pau. Seguro sua cabeça e soco o pau todinho. Metendo na garganta, até sair lágrimas dos seus olhos. Ela suga e arranha minha vara, com um tesão sem fim. Tiro meu pau e a faço olhar nos meu olhos.

_Quer chupar meu pau menininha?

_Quero! quero! Você deixa?

_Deixo. Abra a boca, língua pra fora.

Enfio o cacete novamente, sua língua percorrendo por baixo do meu mastro. Sensação deliciosa.

_Assim, assim. Boa menina.

_Engole tudo!!!

_Tá gostoso? Meu cacete na boca?

_Huuuurrrrummm. Ela responde de boca cheia.

Retiro meu cacete da sua boca e me sento na cama e a mando sentar no meu colo. Acaricio e sua bucetinha lisa e revezo com tapas na sua bunda. Beijo sua boca, desço para o pescoço. Sinto sua pele se arrepiar. Chego aos seus seios. Grandes, gostosos, duas maravilhas da natureza. Minha puta é gostosa demais!!!

Chupo seus seios, mamo, lambo com força. Ela não gosta de beijinhos. Prefere ser chupada com força. Aos bicos do seios inchados são um convite ao prazer, ao meu prazer. Minha pica fica mais dura entre suas pernas.

Me deito na cama e a peço para ela sentar no meu pau de frente pra mim e cavalgar. Ela posicionar, segura meu cacete e direciona para entrada da buceta. Ela senta devagar. Aproveitando o prazer da penetração lenta. Ela geme gostoso e enfia até o talo.

Pega minha mão e coloca um dos dedos na boca, chupando , como um pirulito de morango. Ela geme gostoso e isso me excita ainda mais. Ela me olha nos olhos. Adoramos isso, nos olhar durante o sexo.

_Tua buceta é gostosa demais. Digo, vendo seus seios balançarem, enquanto ela cavalga minha pica

Ficamos assim, durante algum tempo. Depois ela retira meu pau e fica admirando, o cacete saindo melado da sua xaninha.

Ela tenta coloca meu pau no cu, diz que o seu anel esta piscando de tesão e que ela esta morrendo de desejo, de levar vara no cu.

Seguro seu rosto e dou um tapa na sua cara, depois na sua bunda.

_Não é assim que eu quero puta. De quatro.

_Empina a bunda. Mostra bem o rabo. Vai apanhar na bunda.

Seguro meu cacete e bato com ele na buceta e no cu. Ela delira de desejo e seu mel, escorre entre suas coxas. Não aguento e começo a chupar sua bucetona, inchada e gostosa.

Enfio a boca, tento colocar tudo, sugar e enfiar a língua com vontade. Chupo e chupo, e chupo, e chupo, e chupo. Minha língua não tem descanso, logo ela goza em minha boca. Claro que sugo tudo, não deixo escapar uma gotinha do néctar do seu prazer.

Antes que ela consiga recuperar sua respiração, chupo seu cu, deixando-o, bem lubrificado. Ele se abre, totalmente. Me posiciono por trás, ele me encara, com cara de puta e sorrir.

Dou a primeira estocada, enfiando fundo. Fodo com vontade, a bombando seu cu, repetidas vezes. Me descontrolo e a chamo de todos os nomes que ela adora ser chamada: puta, vadia, gostosa, cadela, minha cadela, filha da puta.

Meto e meto, rasgando as pregas do cu, com vontade e força. Meu cacete, não para de fuder, estocar e bombar, seu cuzinho gostoso.

_ Quero ver sua cara de dor e prazer ao sentir seu cacete socado no teu cu, me olha cadela!!!

Ela geme e rebola, se contorcendo de prazer. Suas costas estão suadas, sua pele vermelha. Ela se vira e me encara, sorri e pedi:

_ Não para de socar até ver sair uma lagrima do meu olho. Mete, fude meu cu. Me da uma surra de pau, de vara, de cacete...

Puxo seu cabelo, bato em sua bunda, digo o quanto ela é gostosa e volto a meter com força. A coloco de bruços na cama e levanto suas pernas e penetro novamente o cu. Ela pede pra que eu foda sua buceta. Respondo:

_Não... Você disse que queria tomar no cu, então vou meter só no cu. Sua filha da puta, vadia, safada, biscate. Me seguro um pouco e dou uns tapas na cara dela. Começo novamente a comer cu, com desejo. Ela enlouquece de prazer e começar a dizer sacanagem:

_Sou uma cadela, uma puta...

Meu cacete responde, pulsando e pulsando, logo vou gozar. Sinto meu corpo estremecer e ser tomando pelo prazer. Digo que vou gozar no cu.

_Goza, goza tudinho. Mete forte, come esse cu. Come o cu dessa puta que você adora.

_Vai filha da puta, goza. Tarado, safado.

_Você não é comedor? Então goza, mete.

Seguro suas coxas e deixo meu corpo cair sobre o dela. Minha pica explode em gozo. A cada jato, forte, meu corpo estremece e arqueja. Jatos e jatos, enchem o cuzinho quente. Este foi um dos meus mais deliciosos gozos.





















ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.