"Os mais excitantes contos eróticos"


Viagem a trabalho


autor: tio59
publicado em: 22/10/16
categoria: hetero
leituras: 3372
ver notas
Fonte: maior > menor


Dizem que onde se ganha o pão, não se come a carne. Mas por vezes pode ser inevitável. Em viagem de trabalho de auditoria, junto foi uma colega chamada Thalia. Alta, bonita e com um corpo curvilíneo. Não que tivesse atração, pois a lei mencionada acima era muito forte para mim. Nosso trabalho se realizava numa cidade do sul do Brasil, na época do inverno, e fazia muito frio. Combinamos de jantar no hotel, onde havia um restaurante anexo. Na hora marcada, bati no quarto dela. Abriu a porta vestindo um chambre que permitia ver seu corpo. Embaixo do chambre, um pijama curto, que deixava ver as pernas e marcava sua xota, bem como os seios ficavam levemente visíveis. Disse que estava muito frio e não desceria para jantar. Tinha pedido algo e convidou-me para fazer o mesmo. Hesitei por segundos, mas aceitei a oferta. O quarto não era grande, mas não tinha sofá, apenas duas cadeiras. Ela assistia TV deitada, já que o aparelho se posicionava no alto e em frente à cama. Convidou-me para assistir enquanto esperávamos o jantar. E convidou-me para me acomodar na cama, que estava mais quente. Quando acomodado, começamos a conversar amenidades. Ela escorregou para mais perto de mim. Quando falava, pegava na minha perna, para reforçar minha atenção. Escorregou mais um pouco encostando suas pernas na minha. Passou o braço por cima de meu abdome e recostou a cabeça no meu peito. Comentei que ela estava com frio mesmo, de forma irônica. Thalia me olhou e disse que eu poderia ajudá-la a se esquentar. Não resisti e beijei-a, ao que ela não resistiu. Coloquei minha mão sobre sua cintura, escorregando para a perna. Tá esquentando, disse ela. Em seguida, durante outro beijo, escorregou as mãos para o meu pau e começou a acariciar por cima da calça. Abriu i fecho e sumiu embaixo das cobertas. Senti sua boca quente envolvendo meu pau e trabalhar sua língua. Fui ficando quase louco com aquilo. Quando se levantou ficou montada em mim, com o pau à sua frente. Beijamo-nos. Ela afastou o pijama e a calcinha e sentou-se vagarosamente no meu pau, fazendo-o desaparecer na sua vagina. Cavalgou durante um tempo e pediu para passar para baixo. Abriu as pernas e dei-lhe um show de língua antes da nova penetração. A transa seguiu gostosa até gozarmos. Ficamos abraçados por algum tempo. Sempre aos beijos. Ela pediu que eu penetrasse por trás para ela se masturbar. Fizemos isso e novamente gozamos. Thalia parecia insatisfeita. Perguntou se eu gostava de sexo anal. Eu respondi que sim. Ela se dispôs a fazer e, surpresa minha, até um lubrificante próprio para isso ela tinha na bagagem. Após chupar meu pau mais um pouco ela lambuzou-o com lubrificante e deitou-se de lado para que pudesse penetrá-la. Coloquei o pau com firmeza, ouvindo os gemidos de quem já estava acostumada. Transamos e novamente gozamos. Estávamos cansados de tanto foder, quando o jantar chegou. Fomos dormir cedo, cada um em seu quarto, satisfeitos com tudo que havia ocorrido. Outras oportunidades aconteceram e soubemos aproveitá-las.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.