"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Só deixo se for atrás


autor: Sabrina Costa
publicado em: 22/02/15
categoria: jovens
leituras: 68125
ver notas
Fonte: maior > menor


Meu baile de formatura do 9º ano foi no auditório da minha própria escola, estava lotado, tudo muito bonito e bem decorado, eu e minhas amigas estávamos nos divertindo muito, dançávamos sem parar, aquele momento pra muitas de nós seria também nossa despedida, afinal estávamos saindo da escola pra ingressar no ensino médio em escolas diferentes.

Estava muito feliz naquela noite me sentindo linda com o cabelo escovado, um batom vermelho sensual na boca, uma gargantilha delicada, brincos que combinavam com o vestido de seda azul turquesa. Era um vestido tomara que caia que exaltava meus seios, justíssimo até a pouco abaixo da cintura marcando bem meu corpo, a saia rodada até acima do joelho e scarpins pretos de salto bem altos, alongando minhas pernas grossas.

No momento em que estava dançando com minhas amigas, chegou pra perto da gente, um grupinho de uns oito rapazes que estudavam numa escola tradicional de ensino médio da minha cidade, foi nessa hora que conheci Nikinha (Nikolas) um loirinho magrelo e espinhudo de 18 anos, mas que quase todas as meninas queriam, pois era um líder entre seus amigos e chamava a atenção ali no meio de sua galera, por ser o mais animado, dançava de um jeito engraçado, pra zuar mesmo, mexia com todo mundo que estava perto, divertia a todos com seu carisma.

Como era um pouco tímida nunca que ia imaginar que ele me notaria entre as meninas do baile, logo o cara mais popular do baile ia me dar mole!!?? Nem imaginei tal coisa. Continuei a dançar, me divertindo com minhas amigas, formávamos uma rodinha de umas seis meninas, todas nós com aproximadamente 15 anos.

Nikinha, muito do folgado, entrou no meio da nossa rodinha de amigas e começou a dançar todo desajeitado tentando ser sexy, parou bem na minha frente, fazendo biquinho de beijo, quando olhei bem na cara do “palhacento” vi que estava usando brilho labial, só de sacanagem pra ver se alguma das meninas lhe tirava o brilho da boca com um beijo, e começou a se insinuar pra mim querendo que eu provasse o gosto do gloss de sua boca.

Então ele chegou bem no meu ouvido e disse:

- Vai tirar o batom não? Olha que tem outra ali querendo provar heim!!

- Então vai lá ué! Quem falou pra você que eu to afim de tirar o seu batom?!! folgadinho você né! Falei isso berrando em seus ouvido, a música estava muito alta, a equipe de som era poderosa.

- Poxa, é só tirar o brilho! Ele disse no meu ouvido com jeito de moleque safado. E respondi:

-Num sei se quero, nem te conheço, num saio beijando desconhecidos em bailes de formaturas não!

- Quem falou pra você que quero te beijar, só quero que você tire o brilho!! Disse ele.

- Tudo bem então! Cheguei bem pertinho dele segurei seu queixo e limpei sua boca com o polegar, e disse:

- Prontinho, já tirei!! Rindo muito da cara dele.

Ele ficou surpreso com minha atitude e acho que ficou até um pouco bolado comigo, e não conformado me disse:

- Ahhh!! Tá de sacanagem!! num era assim!!...era desse jeito:

Me puxou sem me dar chances e me tascou uma beijo na boca, no início tentei resistir, mas depois, o beijo dele era tão gostoso que me entreguei e beijei muitoooo até o final do baile.

Aquele foi só o nosso primeiro beijo, depois do baile ele passou a frequentar minha casa, sou filha única de pais muito ciumentos, mas Nik ficou amigo da minha mãe e quando ganhou a confiança de meu pai pediu autorização pra me namorar. Que mico!!

Mas tudo bem! Eu num era muito santinha, só que isso ninguém sabia, afinal já tinha vivido muita coisa no meu primeiro namoro, mas tudo muito bem escondido e meus pais nunca imaginaram o que eu andava aprontando nos motéis da cidade enquanto matava aulas.

Enfim, depois que terminei com Luiz, num tinha ficado com mais ninguém, me dediquei apenas aos meus estudos até conhecer e ficar com Nik que num era tão bonito, mas era um garoto muito legal, o seu jeito inteligente e divertido me atraiu, ele me fazia rir até mesmo quando eu não estava bem.

Nikolas morava num bairro vizinho e caminhava uma boa distância quase todas as noites pra me namorar, e todas as vezes que ia pra minha casa, levava uma garrafa de vinho branco pra minha mãe, ela adorava beber enquanto assistia novelas, e mal acabava a novela das nove a ela já estava “chapada”, meu pai trabalhava até tarde no mercadinho da família e quando chegava em casa exausto, tomava banho e ia dormir, “tadinha” da minha mãe!!

Ótimo pra nós que tínhamos algumas horas de privacidade de namoro na área de serviço, lá tinha uma mesa onde eu ficava sentada e Nik ficava de pé no meio de minhas pernas num encaixe perfeito. Geralmente eu namorava de short ou bermudinha decente, blusinha, sultien bem comportada e ele sempre de jeans, camisa e tals, outro que usava muita roupa.

Nossos amassos foram ficando cada vez mais intensos, era uma delícia ficar com a prexeca molhada de tanto roçar na pica durinha do meu namorado, os beijos e abraços me deixavam louca de tesão, ele também ficava entesado demais, já estava na hora dele tomar uma iniciativa, mas o danadinho num fazia nada, me respeitava demais.

Eu estava doidinha pra ele me tocar, chupar meus seios, queria mesmo era dar logo pra ele, então, pra provocar, num dia de namoro daqueles, vesti uma mini saia jeans e uma blusinha de malha sem sultien pra namorar.

Deveria ser umas 19 h quando ele chegou trazendo o “vinho do apagão” pra minha mãe, ao entrar nos beijamos, ele logo me elogiou, disse que estava linda naquela saia, o safadinho sacou na hora minhas segundas intenções, ficou todo animadinho me olhando com cara de cachorro.

Conversamos um pouco com minha mãe na sala, mas nossos olhares cúmplices se cruzavam, dizendo o quanto nos queríamos, daí minha mãe finalmente foi beber o vinho e assistir as novelas, eu e Nikinha fomos o mais rápido possível para nosso cantinho na área.

Encostei na mesa, nos abraçamos e beijamos com volúpia, sarramos bastante, eu já estava com a bucetinha latejando, e ele com o pau duríssimo, então olhei pra cara dele com cara de safada, sentei na mesa e abri bem as pernas, mostrando minha calcinha branca de malha, ele olhou com sorriso sacana e passou as duas mãos por dentro das minhas coxas, alisando até pertinho da minha xoxota protegida apenas pela calcinha, fechei os olhos e inclinei minha cabeça pra trás, demonstrando o quanto tinha gostado de seu toque, percebi o tesão que moveu aquele garoto, quando não resistiu e passou a mão na minha xota por cima da calcinha e me disse:

- Nossa!! Hoje você está muito gostosa!!deixa ver os peitinhos? Deixa?

- É só você levantar minha blusa!!...E foi levantando minha blusa até meus seios ficaram expostos pra ele e me disse:

- Sabrina seus seios os são lindos!! Você é muito gostosa!! Vai deixar eu mamar agora? Vai?

- Pode mô, mas tem que ficar esperto, minha mãe nunca vem aqui, mas que vai que ela resolve aparecer!!

E ele aproximou a boca e começou a mamar feito louco meus seios, foi muito gostoso a boquinha macia e molhada dele chupando meus peitinhos sem parar, e seu pau ainda dentro da bermuda esfregando na minha xotinha, o tesão estava demais, e Nik tarado continuou a me pedir:

- Sabrina! Se eu te pedir uma coisa você deixa?

- O quê Nikinha? Pede!!

- Deixa eu ver sua bucetinha? Tá me deixando louco, deixa eu ver?!! Daí eu abri mais as pernas, inclinei meu corpo um pouco pra trás, usei uma das mãos pra me apoiar e cheguei a calcinha pro lado, ele se abaixou pra olhar bem de perto, não se conteve em só olhar e pediu:

- Linda!! Que bucetinha rosinha gostosa!! Nossa!! Que tesuda! tá molhada tá dando pra ver como tá molhada!! Chega tá escorrendo!! Que vontade de chupar! Deve tá uma delícia! Deixa chupar mô??!

- Chupa mô, pode chupar, chupa gostoso vai!!

Primeiro ele passou a mão nela, estava tão molhada que seus dedos escorregaram pela fenda, depois ele abriu minha xota com a língua e foi chupando ela toda, estava tão gostosa aquela chupada dele, meu tesão foi tão forte que não aguentei aquela linguada deliciosa por muito tempo, gozei feito louca na boca do meu namorado, tive que me controlar pra não gemer alto demais e não chamar atenção de minha mãe.

Quando acabei de gozar, ainda extasiada, disse ofegante pra ele que queria pagar um bolagato bem gostoso pra ele, o garoto ficou louco com meu pedido, foi logo abrindo a bermuda e tirando aquele pau veiudo delicioso pra fora, desci da mesa, ele se apoiou nela, comecei com um chupada bem gostosa na glande, depois lambi o pau todo, do saco a cabeça, punhetei, engoli, fiz tudo, percebi que o seu tesão estava demais, sua respiração estava curta e rápida, aí eu aumentei a potência da chupada, engolia tudo e punhetava sem parar até ele gozar gostoso na minha boca.

Assim que ele gozou, levantei e colei meu corpo no dele, nos abraçamos e nos beijamos com o gosto do seu leitinho na minha boca e ficamos de namorinho gostoso até o tesão nos consumir de novo, eu queria muito sentir o pau dele dentro de mim, mas já estava ficando tarde, quase na hora dele ir embora, mas o fogo estava demais, era nosso primeiro momento de intimidade, e a gente queria tudo e muito mais, a gente queria mesmo era devorar um ao outro de tanto tesão, ele queria me penetrar ali mesmo, mas fiquei com medo, e ele insistiu:

- Sabrina, tá tão gostoso! Quero muito te comer, deixa eu por um pouquinho?!

- Não sei Nik, não tomo pílula, tenho medo...

- Deixa!? prometo que tiro pra fora, num gozo dentro não, deixa!?

- Vai demorar e já tá na hora de você ir embora.

- Do jeito que eu tô com tesão gozo rapidinho, to com muita vontade, você tá me deixando louco, quero você todinha... deixa!?

- ai ai ai que chato!! Só deixo se for atrás!!

- O quê!? Vai deixar eu comer seu cuzinho??!

- É, hoje eu deixo você comer meu cuzinho, outro dia deixo você meter na minha prexeca, tá bom?!!

- Caramba!! você é gostosa demais!! Você é virgem?! É por isso que você não vai deixar eu comer a sua bucetinha gostosa?!

Não respondi nada, fiquei em silêncio, na verdade a experiência que havia tido com meu primeiro namorado não foi exatamente uma transa completa, eu não sabia se era virgem, a única coisa que eu sabia que naquela hora eu estava doidinha de tesão e queria dar o cu pra ele, amava sexo anal e gozava gostoso com um pau todinho dentro do butãozinho.

Como estávamos de pé com ele escorado na mesa, trocamos de posição, só virei de costas pro Nik, levantei minha saia até na cintura, tirei a calcinha, debrucei na mesa abri um pouco as pernas e empinei bem a bunda pra bunda pra ele, então ele encheu de saliva meu cuzinho e começou a enfiar o dedo bem devagar, enfiou o dedo algumas vezes, depois chegou seu pau na minha xota, nessa hora eu assustei, e disse:

- Aí não!!! no cu!!

- Calma mô!! Ela tá molhadinha estou molhando a cabeça do pau nela, relaxa!!! Num tá gostoso??!!

- Ahhh!! Tá uma delícia sim, faz isso!! esfrega meu grelo com ele vai!! Hummm, gostoso!!!

O tesão nos dominava, meu namorado entesado posicionou seu pau no meu anelzinho e começou a forçar pra entrar, aos poucos foi metendo até entrar tudo, quando estava todinho dentro me deu umas estocadas deliciosas, esfreguei meu grelinho com a mão por baixo da minha bucetinha que latejava de tesão, nosso prazer foi ficando cada vez mais forte até que não resistimos e os dois ao mesmo tempo, sentimos a chegada do orgasmo, ele se debruçou sobre mim, senti seu pau pulsando e despejando seu leite quente dentro do meu cu, que gozada intensa, foi bom demais.


Estávamos unidos pelo tesão, pela paixão, naquele momento eu sabia que era com ele que seria feliz...




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.