"Os mais excitantes contos eróticos"


Bem vindo, vizinho! Parte 2


autor: Lola89
publicado em: 27/10/16
categoria: hetero
leituras: 2565
ver notas
Fonte: maior > menor


1 semana depois voltando da faculdade, avistei um caminhão estacionado na frente do prédio. Logo pensei "finalmente o Guilherme vai chegar!"
Depois daquele dia não cheguei a vê-lo. Como de costume, entrei no predio, cumprimentei seu Paulo e peguei minhas correspondências. Peguei o elevador acompanhada de uma poltrona com um estilo meio vintage, com um acabamento de couro. Linda! Me distrai olhando a peça quando as portas do elevador se abriram e ouvi aquela voz denovo:
- Gostou da poltrona? Era a preferida do meu pai, também gosto muito dela!
Disse o Guilherme arrastando a poltrona pra fora do elevador. Cumprimentei ele com um beijo suave no rosto me deliciando com aquele cheiro, e meu sexo logo contraiu em aprovação também. Perguntei como estava indo a mudança e ele divertido  respondeu:
- uma bagunça!

Me ofereci pra ajudar mas ele dispensou ao dizer que um amigo viria passar uns dias com ele e o ajudaria.
Puta merda! Sera que ele é gay?
Desejei as boas vindas e entrei no meu apartamento. Desejava pular no pescoço daquele homem e sentia que ia fazer isso a qualquer momento. Abri meu notbook, coloquei um dos meus porno preferidos, e me masturbei. Recuperada da minha masturbação, fui fazer o trabalho da faculdade pra distrair.

Olho no relógio e são 19:30, ufa! Passei a tarde e um pouco da noite trabalhando no meu projeto e finalmente concluí.
Tomei um banho quente, prendi o cabelo com um coque no alto da cabeça, coloquei uma camisola não tão curta, mas bem sensual, vermelha com detalhes em renda, e coloquei meus óculos de leitura. Estava parecendo atriz pornô, e aquele pensamento me fez rir sozinha.
Liguei a tv, e me sentei pra assistir um pouco. O relógio marcava 20:15 quando a campanhia tocou. Olhei no olho mágico e o Guilherme estava do lado de fora com uma camiseta folgada mostrando os músculos e calça aparentemente de pijama e uma xícara na mão. Pensei em colocar um roupão mas ia demorar muito. Abri a porta. Ele me olhou de cima a baixo boquiaberto. Perguntei se havia algum problema ele negou com a cabeça e o convidei para entrar. Peguntei o se eu poderia ajudá-lo e ele respondeu
- Você poderia me emprestar uma xícara de café?
Rimos.
- Emprestar? Como você me pagaria?
- Da forma que você quiser.
E um silêncio pairou entre nós.
O convidei pra jantar e ele aceitou. Não havia jantado ainda. Nos sentamos e fomos comer.

Depois do jantar servi um vinho e nos sentamos pra conversar. Falamos sobre tudo, e depois da segunda garrafa a conversa era sexo. Notavelmente ele não aguentava beber e estava levemente alto. Eu com meu velho truque de beber tomando água, tinha o controle da situação quando ele partiu pra cima de mim, me beijando com um fogo imenso. Retribui o beijo entrelaçando meus dedos no cabelo dele, e nessa altura do campeonato meus seios já pulavam pra fora da camisola e o pau dele estava duro feito pedra roçando em minha buceta. Pouco depois ele percebeu que eu estava sem calcinha. Deu um riso safado e caiu de boca na minha buceta. Chupando, mordendo bem de leve meu clitóris, enfiando a língua toda dentro de minha buceta, apertando meu peito, chupando com vontade e eu só conseguia gemer feito puta
- Aaaaiiii Guilherme, chupa minha buceta chupa, enfia a língua toda dentro dela vai safado

Agarrei pelos cabelos dele e enfiava a cara dele entre minhas pernas esfregando meu grelo na lingua dele quando ele mandou trocar a posição:
- Fica de quatro que quero chupar vc.
Obedeci e fui surpreendida pela língua dele invadindo meu cú, me explorando, dando chupões na minha bunda, mordiscando. Enfiou dois dedos na minha buceta e continuava a chupar meu cú... Estremeci, sabia que ia gozar e pedi
- Deixa eu gozar na sua boquinha Gui?
E então ele enfiou a língua com força na minha buceta e enfiou o polegar no meu cudeixando a mão espalhada na minha enfiando o dedo sem parar, lambendo, chupando, babando
- aaaiiii que delícia, eu vou gozaaaar, ai ai ai
E derramei meu gozo na língua dele que não parava de chupar. Minhas pernas estava estremecidas. Ele me deitou de frente e fui apresentada a aquele pau enorme apontando pra mim, babando ...
- vai ficar só olhando?
Perguntou ele.
E caí de boca nele chupando, passando a língua em todo o pau dele. Dei uma bela cuspida na cabecinha e fui punhetando, chupando as bolas dele, sugando uma de cada vez, deixando ele louco..
- Chupa sua cadelinha, chupa..
Com um movimento ele tirou meu pirulito da boca, me deitou, arreganhou minhas pernas e tirou uma camisinha do bolso. O que me fez pensar que ele já estava planejando isso. Vestiu a camisinha e me socou de uma só vez. Veio por cima agarrando minha bunda e metendo com força, metia sem parar e eu gemia
- Fooode vai, fode minha buceta caralho, aaai aaai esfola buceta vai..
Agarrada aos cabelos dele gozei e ele gozou pouco depois. Nos jogamos no carpete da sala nos perguntando o que havia acontecido ali. Demos um beijo e fomos tomar banho. Agora sim, isso iria ficar bom.


Continua....



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.