"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha namorada puta topou o meu fetiche


autor: Leona
publicado em: 29/10/16
categoria: traição
leituras: 9178
ver notas
Fonte: maior > menor


Semanas se passaram e a cada transa que tivemos um leve desejo se tornava mais forte, o de fantasiar com a minha mulher com outro homem. Ela é uma morena linda dos cabelos longos e pretos, seu corpo é magro e suas curvas bem acentuadas, sua bunda é grande e bem redondinha, os peitos médios dos bicos pontudo, os quais tentavam furar as blusas que vestia, pelo fato de nunca usar sutiã, usava sempre roupas folgadas e nada de calcinha, roupas práticas que nos ajudavam a foder despercebidos onde quer que estejamos; Mesmo após eu ter revelado esse meu fetiche eu e minha mulher mal tocávamos neste assunto, deixando ele de lado, cabendo a minha mente se calar e apenas fantasiar durante nossas transas. Eu já havia insistido algumas vezes na ideia enviando links sobre o assunto e desmistificando alguns conceitos básicos sobre o fetiche, e ela lia todos, passava a se informar e eu também, para ver se era aquilo que eu realmente queria, e eu a incentivava a fantasiar se masturbando quando estivesse sozinha, mas isso sem êxito. Eu nunca tive tanta certeza sobre algo como eu tinha sobre aquilo. Só de pensar na minha mulher com outro eu tinha ereções e a visão da cena clássica de um ménage masculino preenchia a minha mente dia após dia - Ana de quatro me chupando enquanto o outro a penetrava por trás. Num dia qualquer fui pego desprevenido pela mensagem da minha mulher que eu acabara de ler no meu celular "Fiz algo ontem a noite, mas não sei se vai gostar", minha primeira reação física foi o aumento da minha pulsação, seguido pela minha ereção me peguei imaginando que ela finalmente havia realizado o meu fetiche, um dos aspectos que eu adorava no meu fetiche era nela escolher o cara e fazer de conta que havia sido uma traição, com o meu total consentimento é claro. E continuamos a conversa "O que você fez?" Perguntei, mas ela respondeu que estava com receio de me contar, insisti que ela contasse pois não havia nada que eu não a pudesse perdoar, e eu confiava totalmente nela, foi quando ela respondeu "Ontem a noite eu estava sozinha com vontade de você..." aquilo me pegou de choque, poderia ser o que eu sempre desejei acontecendo ali e agora? Ela continuou "Eu estava conversando com um amigo meu, não nos falavamos a 2 anos e marcamos de sair ontem" meu coração gelou no momento em que li as palavras "Você não estava online já fazia duas horas e pensei que tinha ido dormir, e me peguei pensando se eu saísse com ele você ficaria bravo ou poderia achar ruim" "Decidi sair com ele, o dia tinha sido cansativo e nada de bom aconteceu naquela tarde, foi quando encontrei ele me esperando de carro na porta da minha casa" "Seguimos para um bar onde tomamos algumas e a medida em que as horas passavam eu me via cada vez mais liberta para falar sobre assuntos mais intimos" "Quando num devaneio disse em voz alta que estava afim de dar para ele ali e agora, percebendo o que havia dito saí de lá correndo envergonhada, ele veio atrás de mim e me puxou pelo braço" "Eu disse que queria ir para casa e que ter saído com ele tinha sido uma péssima ideia" "Voltávamos de carro para casa já tarde da madrugada, deveria ser por volta das 3:00, nossas casas ficavam no mesmo rumo e quando percebi eu havia pegado no sono" "Acordei bem sonolenta na minha cama e senti a presença de alguém, a vontade que eu estava de você subiu tanto a minha cabeça que enquanto sonhava semiacordada eu podia sentir sua língua percorrer o meu corpo" "Ou achava que era a sua língua" "Quando gemi mais alto acordei num quarto desconhecido, aquela cama não era a minha, e nem de longe era você que estava entre as minhas pernas" "Quando olhei para baixo vi ele apoiando as mãos nas minhas coxas enquanto as abria, me fazia sexo oral já fazia alguns minutos, longos minutos que mais me pareciam horas, naquele momento tudo se passava mais devagar, e a cada toque o meu prazer aumentava desencadeando uma leve fraqueza em mim" "No primeiro momento quando percebi que não se tratava de você eu tentei me afastar, aquilo não estava certo, não mesmo. Mas eu me via fraca e totalmente entregue aquele homem" "Senti o primeiro orgasmo me inundar de prazer, tinha sido forte me levando a gemer alto como um alivio. Já faz mais de duas semanas que não transavamos e aquilo para mim foi muito gostoso" "Mas logo após eu recobrar a consciencia longe daquela língua que me fazia delirar senti um remorso, uma sensação ruim, eu o havia traído, mas o sentimento não era só por isso, era por que eu havia gostado e lá no fundo eu queria mais" "Foi quando eu tentei sair da cama rastejando entre os cobertores a procura das minhas roupas que senti suas mãos me envolvendo a cintura, me puxando forte de encontro ao seu corpo, onde pude sentir de um só vez aquele pau me penetrar me arrancando mais gemidos e suspiros" "Eu estava entregue a ele, e o que eu podia fazer se resumia a curtir o momento. Me lembrei da tal licença que você havia me dado, para fazer com quem eu quisesse e de fantasiar quando eu sentisse vontade. Aquilo era melhor do que fantasiar me masturbando. Com esse pensamento aos poucos a minha expressão deprimdia foi dando espaço para o desejo, meus olhos se reviravam, meu cabelo sendo puxado violentamente por trás e meus gemidos que tentava controlar afundando a cara nos travesseiros, até que não sentia mais culpa, somente prazer, e quando me vi, a mão que tapava minha boca eu usava para massagear o meu clitóris" "Explodi em mais um orgasmo que me levou cansada de encontro a cama, ele ainda não havia se satisfeito comigo, ele se deitou me colocando por cima dele e eu iniciei uma cavalgada leve encima daquele pau grosso, comecei a me acostumar com o ritmo e quando vi as mãos dele já não me prendiam mais, agora com os braços apoiados as costas ele tirava vantagem de sua nova putinha, me prender já não era mais necessário, eu estava completamente domada por ele" "Seus olhos brilhavam com um charme incrível, e vi ele morder os própios lábios quando gozou, cavalguei mais rapidamente encima dele até a última gota de poha escorrer por entre as minhas pernas" "Descansamos por uns cinco minutos arfando na cama com a barriga voltada para o teto, do meu lado ele se recuperava da foda que havia me levado a loucura" "Reparei seu pau crescer novamente e notei mais de perto que ele era maior do que eu imaginava, chegava a ter uns vinte centimetros na certa, não ando com uma régua, mas já sabe. Não acreditei quando vi ele vindo de frente para mim esfregando o pau na entrada da minha buceta, havia gozado a menos de dez minutos e já estava duro novamente, dessa vez senti centímetro por centímetro me preenchendo ao me penentrar, senti um leve desconforto, mas era bom de mais." "Ele não meteu por mais que dez minutos antes de tirar aquele pau de dentro de mim e mirar gozando na minha barriga, nos meus peitos, cara e boca enquanto ele me puxava o cabelo e eu abria a boca para receber...
As mensagens pararam neste instante e ela ficou offline. Alguns segundos se passaram e ouvi passos vindo na direção do meu quarto. Não pude acreditar no que li, ela havia me traído, senti raiva, cíumes e tesão ao mesmo tempo, durante a leitura me controlei para não gozar. Quando ouvi a maçaneta girando e do portal de madeira vi Ana se aproximando de mim, ela parou na minha frente, eu atonito jurava que era algo da minha mente, ela levantou a blusa e revelou algo que me deixou louco. Seus peitos e barriga estavam cobertos de poha seca. E ela completou a última mensagem que havia me enviado: Receber a poha quentinha do meu novo macho...




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.