"Os mais excitantes contos eróticos"


Minha ex esposa deu para um ma


autor: publicitario45
publicado em: 20/07/15
categoria: aventura
leituras: 6951
ver notas
Fonte: maior > menor


Quando comecei a relatar minhas aventuras, mencionei que meu casamento tinha chegado ao fim devido a um grande número de brigas e ofensas. Já tinha se passado mais de doze, eu morava sozinho e o relacionamento com a minha ex, era dos melhores, o que resultava em algumas transas. Acho que, devido ao fato dela ter começado a sair, se envolver com algumas pessoas e até transar apenas por que estava com tesão e não pela máxima que diz “Sexo só com amor”, na cama estávamos cada vez melhor. O que vou relatar agora, foi dito por ela, e foi neste dia que eu descobri que ela estava dando para outro cara. Foi uma mistura de ciúmes, raiva, tesão e medo dela encontrar alguém e se casar de novo. Então vamos lá.

Minha ex, que aqui vou chama-la de Lúcia, é filha de um pai negro de olhos azuis e uma mãe branca de cabelos negros. O resultado é uma mulher de 1,65 de altura, peso normal, olhos azuis, boca carnuda e cabelos cacheados naturalmente. Uma mulher linda, normal, ciumenta e temperamental. Após a nossa separação, ela demorou a sair com os amigos, mas quando começou deve ter percebido o fascínio que ela exercia sobre os caras. Até onde eu fiquei sabendo por ela, deu uns beijos numa festa e uns amassos com um amigo dos nossos vizinhos de frente. Mas sexo ainda não tinha rolado nada demais.

Eventualmente a gente se pegava e acabava na cama. O sexo tinha melhorado, ela voltou a se cuidar e a cada dia que se passava ficava mais linda. Quando arrumou um emprego no escritório de uma grande empresa aqui do estado, começou a ter que se arrumar diariamente. Outra coisa que deve ter ajudado muito é que enquanto estávamos casados ela não bebia, após a separação, por influência de umas amigas começou a beber Ice e Vinho Suave. Nestas festas, segundo ela, sempre rolava uns beijinhos, mas a maioria dos menininhos eram mais novos, todos amigos dos filhos das amigas dela.
Um dia, voltando do trabalho, um grupo de marinheiros entrou no ônibus e um deles sentou perto dela e começou a puxar papo. Após alguns minutos de conversa, o cara já sabia o nome dela e onde ela trabalhava, pois o nome da empresa estava escrito no uniforme dela.

Alguns dias depois, o tal marinheiro apareceu fardado na empresa procurando por ela. Nem precisa dizer que o cara chamou a atenção de todas as mulheres da empresa. Conversaram, trocaram telefone e os contatos foram aumentando. Como eu estava num relacionamento não muito sério e meio complexo, comecei a ir menos na casa dela e ai o cara se aproximou, fez o jogo certo e a convidou para jantar. Foram para um bom restaurante, boa comida, boa música, algumas taças de vinhos e em seguida o primeiro beijo, seguidos de uns amassos e um convite para um motel.

Quando retornei de viagem, fui na casa dela e sentado no sofá começamos a conversar normalmente, ela perguntou porque eu tinha sumido e eu respondi que estava viajando. Quando comentei com ela que eu tinha ligado mas ela não tinha atendido, ela fez uma cara estranha e ao questionar ela me disse que tinha saído e onde estava não poderia atender o telefone. Não me lembro qual a pergunta que eu fiz, mas a resposta foi: eu passei a noite no motel com um amigo que conheci no ônibus, ele é da Marinha.

Pronto! Desabei. Logo eu que tinha toda certeza do mundo que era o cara mais feliz do mundo sendo solteiro e pegando todo mundo que aparecia pela frente, estava zonzo, sem ação e com uma pontada de ciúmes. Começamos a conversar e ela me explicou que eu tinha feito a minha escolha e que ela estava vivendo a vida dela. Num piscar de olhos, nos abraçamos e do nada começamos a nos beijar. Eu já conhecia sua boca suave, seu corpo e começamos a nos tocar. A cena do cara possuindo a minha ex esposa me deixava louco.

Quando tirei a sua roupa, não resisti e cai de boca na sua buceta. Percebi que ela estava bem avermelhada e tinha um pouco de pomada. Ela se virou e pediu para chupar o meu pau.

Ela: deixa eu te chupar? Hoje eu não aguento mais....

Eu: porque?

Ela: ele me comeu a noite toda. Usou umas quatro camisinhas e camisinha acaba irritando a pele.

Eu: foi tanto assim?

Ela: foi. Ele parece que não cansava, tem uma resistência....

Eu: me conta como foi. Conta tudo.

Ela: não, não faz isso...

Eu: conta. Vocês saíram antes?

Ela: sim, fomos jantar num restaurante, ouvimos musica e depois ele me convidou para passar a noite com ele.

Ela ia contando isso enquanto eu já estava lambendo todo o seu corpo.

Eu: o que mais? Como você estava vestida?

Ela: fui de vestido preto, curto, salto alto e apenas uma calcinha por baixo.

Eu: e ai?

Ela: fomos para o motel, bebi Ice, dancei pra ela, fiz um strip tease enquanto ele ficava me olhado deitado na cama completamente sem roupa. Não resisti, fui só de calcinha e me deitei ao lado dele. Ele começou a me chupar toda, lambeu meus dedos dos pés, beijou minhas pernas, me deu mordidinhas na nuca, nas costas, nas coxas. Depois abriu minhas pernas e caiu de boca na minha bucetinha, me chupou até eu perder a conta de quantas vezes eu estava gozando. Ai me virei, mandei ele deitar e fiz a mesma coisa. Beijei suas coxas fortes, sua barriga, lambi seu pau, mordi o cacete dele porque ele disse que gostava, mordi suas pernas. Ai ele colocou a camisinha, passou gel e eu fui por cima. O pau dele não é grande mas é grosso e por ele ter que fazer exercícios diariamente no navio ele não cansou. Meteu em mim por baixo, de quatro, em pé, na banheira, na cadeira, na garagem do motel encostado no capô do carro. Me fudeu até de manhã na mesa do café.

Eu: nossa, e você? O que esta sentindo?

Ela: além de toda ardida, cheguei em casa me sentindo a mulher mais desejada da terra e mais. Além de você, ele também meteu no meu cuzinho hoje pela manhã. Passou manteiga na camisinha e foi entrando. Parecia que ele ia me rasgar com aquela pica grossa. Por isso eu to ardida. Vamos deixar para transar outro dia?

Eu, já louco com este relato, disse não, virei ela de frente, coloquei-a na beira da cama e fui entrando naquela buceta quente e avermelhada da foda da noite anterior.

Soquei de uma forma como nunca havia feito com ela. Ela mandava eu meter mais forte, pedia para eu encher a bucetinha dela de porra, que depois ela ia dar pro marinheiro de novo e eu gozei. Gozei como nunca.
Depois deste dia, Lúcia se soltou de vez e um ano depois, voltamos a morar juntos e nas nossas trepadas ela me relatou outros casos, que eu irei escrever em outras oportunidades.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.