"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A amiga virtual


autor: icl
publicado em: 19/11/16
categoria: hetero
leituras: 1768
ver notas
Fonte: maior > menor


Esse conto é verídico, aconteceu comigo e com uma amiga virtual minha. A gente se conheceu a 1 ano e alguns meses e a gente acabou se gostando um do outro porém nunca namoramos virtualmente pelo fato de não conseguirmos ficar juntos, fazer carinhos, se beijar. Meu nome é Mateus [nome fictício], tenho 15 anos, 1,83 de altura, loiro, olhos verdes e moro no interior de São Paulo. Bianca [nome fictício], uma menina linda, pele morena, olhos castanhos, cabelo cacheado, peitos e bunda com grande volume, para uns, normal porém para mim era um tesão de menina.

A gente sempre imaginou como seria se a gente se encontrasse e sempre no final dessa conversa que tínhamos, nós falávamos putaria, nossos fetiches, trocávamos mensagens prazerosas, enfim, um sonho de nos encontrar que seria impossível até um dia que minha mãe me liberou para viajar pra uma cidade do Maranhão, onde Bianca morava. Fiquei muito feliz e contei a ela, a felicidade foi recíproca, nós iriamos realizar o tão esperado sonho de se encontrar.

Peguei um ônibus em uma sexta-feira a noite e no sábado cheguei logo pelas 13:40~13:55, desci do ônibus e vi ela lá, esperando toda ansiosa por mim. Fui correndo abraçar ela, eu não via a hora de sentir o cheiro dela, do cabelo, sentir seu carinho, logo peguei e dei um beijo nela e ela devolveu, nossas línguas entrelaçaram, foi o ápice da felicidade, fui descendo minha mão por sua costa, ela estava vestindo uma camisa de renda amarela com um short pequeno branco, segurem em sua cintura e apertei sua bunda redonda e bem durinha, cabia na minha mão perfeitamente.

Nós paramos pois eu estava muito cansado e com fome, ela me indicou um restaurante porém não poderia ir comigo pois tinha marcado de ir no shopping com a mãe e a irmã. Almocei e fui pro hotel (meus pais eram bem de vida por isso nunca me faltou nada), dormi por um longo tempo até acordar com a ligação dela falando que a mãe deixou ela dormir na casa de uma amiga. Claro que falei para ela que eu queria que ela dormisse no hotel, ela entendeu e falou que ia levar o video game para a gente assistir um Netflix. Tomei um banho e ela estava batendo na porta do meu quarto, eu estava com uma camisa preta e short tactel azul claro e quando eu abri a porta, Bianca estava com uma camisa rosa decotada e uma saia com desenhos abstratos vermelho claro, vermelho escuro e preto, estava muito cheirosa e parecia uma Deusa, não aguentei e soltei um elogio, ela ficou com vergonha e retribuiu com um obrigado. Chamei ela para entrar no quarto e levei ela até a sala, ela disse que iria fazer uma pipoca e eu comecei a instalar o vídeo game.

Arrumei tudo e coloquei na minha conta do Netflix, selecionei a série Spartacus e ela veio com a pipoca, eu me deitei nas coxas dela e a gente começou a assistir, eu sempre fazia carinho na perna dela. Apareceu uma cena de sexo e eu comecei a pensar em nós e comecei a ficar de pau duro, ela observou e falou para eu parar de ficar excitado pois a gente só estava ali para assistir a série, perguntei a ela se ela já tinha feito sexo ou se ela era inocente assim mesmo, ela apenas riu.

Como eu não sou bobo me levantei e comecei a beijar seu pescoço e dar leves mordidas na sua orelha, ela retribuiu beijando meu pescoço. Nós ficamos um bom tempo entrelaçando as nossas línguas até que comecei a passar a mão na sua bunda, ela começou a passar a mão no meu pau que já estava super duro. Tirei sua camisa e comecei a passar a língua na sua barriga, coloquei o sutiã para o lado e comecei a rodear seus bicos com minha língua, eles estavam durinhos...
Eu comecei a baixar minha língua até que fui tirando sua saia e sua calcinha, ela já estava completamente pelada, comecei a tirar minha roupa. Cheguei na sua bucetinha, pequena e toda molhada, comecei a passar a língua, alternando entre devagar e rápido o movimento no clitóris, enfiei um dedo e ela gemeu, seu gemido me deu mais tesão ainda. Ela disse que queria me chupar, então deixei ela assumir o controle, eu me sentei no sofá e ela veio chupando meu pau, passando a língua na cabeça e depois engolindo tudo.

Ela veio em cima de mim e encaixou meu pau na sua bucetinha, naquela hora ela gemeu gostoso e começou a quicar sem parar falando:

- Fode minha bucetinha seu safado, fode amor, arromba essa buceta apertada que você sempre quis comer

Eu, louco de tesão, comecei a dar tapas na bunda dela e chupar seus bicos, morder seus lábios e chupar sua língua. Ela estava anunciando que iria gozar em meu pau então eu troquei de posição, coloquei ela no braço do sofá e comecei a comer sua buceta de 4.

- Vai delicia, goza para mim, minha putinha, goza vai, sua gostosa

Eu enfiava o dedo no cuzinho e masturbava sua buceta enquanto comia, não deu minutos, sua buceta apertou e ela gozou no meu pau.

Perguntei se ela deixava eu colocar no cuzinho, ela até deixou só que com cuidado para não machucar. Fui colocando bem devagar, seu cuzinho era apertado porém muito gostoso, comecei a meter devagar até que ela começou a gemer de tesão, comecei a aumentar o ritmo e bater na sua bunda, segurar seus peitos, puxar seu cabelo cacheado. Ela gozou novamente porém eu pedi a ela que deixasse eu gozar na sua boquinha, ela deixou. Coloquei ela de joelhos e gozei na sua boca deliciosa.
Após isso ficamos a noite inteira fazendo sexo, a gente fez na cadeira, na mesa, na pia da cozinha, no banho (esse foi o melhor pois nós gozamos muito) e na sacada.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.