"Os mais excitantes contos eróticos"


Eu e minha chefe molhadinhas (No motel)


autor: katyferreira
publicado em: 27/11/16
categoria: lésbicas
leituras: 12146
ver notas
Fonte: maior > menor


Alguns já me conhecem mas eu gosto sempre de me apresentar rs
Meu nome é Katy, tenho 25 anos e 1,69 de altura, sou gordinha e bem branquinha!


Já há algum tempo me envolvo com minha chefe, Silvia, que se tornou mais que minha amante.


Era um sábado eu tinha dito a Silvia que meu marido não estaria em casa a tarde, que a gente podia ir no shopping comprar algumas coisas, como já está um pouco próximo do natal, achei que seria legal ter companhia para as compras. Ela concordou e disse que passaria na minha casa por volta das 15h.


Tomei um banho, me arrumei e anotei algumas coisas que queria comprar. Silvia foi bem pontual chegando exatamente no horário, ofereci uma água ela disse que a gente iria parar em algum lugar pra beber alguma coisa, então entrei no carro e fui.


No meio do caminho ela me disse que queria ir a um motel que já havia visto na internet, concordei e ela então seguiu o caminho. O lugar era bem luxuoso e aconchegante, ela pediu um quarto com banheira e eu fiquei muito empolgada.


Chegando no quarto ela disse que precisaria de um banho, eu balancei a cabeça positivamente e aguardei ela se dirigir ao banheiro, como eu sempre fui impulsiva eu fui logo depois, já sem nada, com segundas intenções, entrando no banheiro eu comecei a beijá-la, ajudei a tirar sua roupa e ficamos trocando carícias.


Foi o banho mais gostoso da minha vida, entre troca de beijos e carícias ela me deu um prazer descomunal me tirando um gozo com os dedos na minha bucetinha, eu estava louca de tesão e queria muitooo mais.


Saímos do banheiro e decidimos ir para a hidromassagem, aquilo parece coisa de cinema, ela entrando com aqueles seios fartos, molhando o corpo branquinho e sensual. Me sentei ao seu lado na banheira e comecei a mamar aqueles seios maravilhosos, ela então começou a me chamar de sua bebê, de amorzinho, o que me excitou mais ainda.


Silvia me beijava e me acariciava enquanto sentíamos a água quentinha em nossos corpos, a pele macia e quente dela me deixava cheia de vontades, o biquinho dos seus seios estavam rígidos e parecia que pulsavam na minha boca de tanta vontade, eu sugava e mordia cada vez mais forte.


Trocamos de posição e eu fiquei na beirada da banheira, deixando minha buceta na altura pra ela lamber, abri bem as pernas e só senti a língua dela me preenchendo, passando em meu grelinho, em meus lábios, eu abria cada vez mais as pernas, quase me rasgando rs


Enquanto ela me chupava ela se tocava, eu senti o tesão que corria pelo corpo dela, nos levantamos na banheira e ela ficou de quatro, peguei em sua cintura como se fosse meter bem gostoso e fiquei por trás fazendo movimento de penetração, ela então abriu bem o bumbum e me pediu pra chupar, como de costume comecei a lamber aquele cu delicioso e apertadinho, não me contive e coloquei dois dedinhos dele, Silvia gemia louca. Comecei então a penetrar o cuzinho dela e esfregar o grelinho. Não demorou muito até ela ficar com as pernas bambas e se contorcer. Minha amante estava gozando, ela pedia pra eu dar mais prazer pra ela, pouco depois que ela gozou ela se sentou na beiradinha da banheira com a buceta de frente pra mim e me pediu pra chupar.


Tinha o dever de fazer minha chefe e amante gozar na minha boquinha, fiquei chupando os lábios, quase que dando beijo de língua, vez ou outra eu lambia as coxas, mas rapidamente voltava para o grelinho gostoso da minha amante.


Em um momento louco de desejo ela gozou novamente, me dava tapas na cara, puxava meu cabelo, me chamava de puta… Eu adorava tudo aquilo!


Cada palavra dela me excitava mais e mais. Depois da minha querida chefinha gozar duas vezes ela se sentiu no dever de me fazer gozar novamente, eu então “me deitei” na banheira, empinei a bucetinha e senti a língua dela me tocar. Aquela língua quente e molhada na minha buceta. As mãos dela pelo meu corpo molhado e suado, arrepiava de desejo, susupirava, perdia o fôlego, gemia, era uma loucura.


Silvia achou um jeitinho de me penetrar no cuzinho e ainda continuar me lamendo, só percebi quando estava quase gozando, estava sensacional, eu gritava de desejo e rapidamente enchi a boca da minha amante de gozo, que delíciaaa!


Ela veio me beijar toda melada com meu melzinho, amei o beijo, toquei seu corpo e dei uma última lambida nos seios, uma mordidinha no biquinho que ainda estava durinho e uma acariciada na buceta perfeita dela.


Quando caímos na real percebemos que já havia passado umas 2 horas. Saímos do motel e ainda fomos pro shopping, só que mal deu tempo de comprar os presentes, mas eu já havia recebido o meu presente, apesar de ter ficado com a sensação de quero mais rs


Eu amo minha chefe Silvia, com todo meu desejo e vontade!
Espero que possam sentir um pouquinho do meu amor nessas palavras e que se excitem com meu relato!


bjos
Não esqueçam de me escrever
katyf083@gmail.com


até mais




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.