"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Os negros da borracharia!


autor: tiozão1
publicado em: 29/11/16
categoria: hetero
leituras: 4591
ver notas
Fonte: maior > menor


Os Negros da Borracharia Meu nome é Jonas, tenho 32 anos e sou casado com Fabiana de 24 anos, somos ambos brancos e moramos na grande São Paulo. Sempre tive fantasias sobre ser corno mas nunca levei isso a serio, eu costumava ficar em chats fingindo ser um homem que procurava um macho para minha esposa, aquilo me excitava, mas sempre mantive isso em segredo, Fabiana de nada desconfiava. De um ano para cá comecei a notar que Fabiana estava muito mudada, pois vivia passando as tardes fora e freqüentemente inventava desculpas para não transar comigo, aquilo tudo começou a mexer com a minha cabeça, comecei a imaginar se ela tinha um amante, e isso embolou minha cabeça. Ao mesmo tempo em que isso me deixava puto da vida também me excitava, preferi dar um tempo e não disse nada sobre as saídas misteriosas dela durante as tardes. Foi então que um dia cheguei bem mais cedo, quando cheguei ela não estava em casa, ela acabou por chegar uma hora depois, entrou correndo e foi tomar banho, veio servir o jantar e nada falou, também fiquei quieto dando uma de mané. Naquela noite Fabiana dormiu logo que deitou, parecia estar cansada. Fabiana tem o habito de dormir sem calcinha e naquela noite ela estava sem, começei a reparar no corpo dela, ela era uma bela mulher, fiquei admirando-a, foi então que quando me aproximei de sua vagina notei que ela estava bem avermelhada e levemente dilatada, para estar daquele jeito deveria ter sido penetrada por um pênis bem grande, nesse momento percebi que fantasia e realidade se misturou, minha fantasia secreta de ser corno estava se tornando realidade, não sabia se brigava com ela ou ficava quieto, bom preferi ir dormir para pensar pacientemente. No dia seguinte liguei para o serviço e disse que não iria trabalhar por motivos de saúde, mas nada contei para Fabiana, quando eram 7:30h eu sai como se fosse trabalhar normalmente, fiquei na esquina de casa esperando ela sair, passaram-se horas, e nada, eu já estava morrendo de fome, dei uma corrida para comer um lanche e logo voltei. Quando eram exatamente 13:30h ela saiu de casa e tinha nas mãos um saco, começou a subir a rua a pé , eu fui seguindo e a uns 350mts dali ela parou em uma borracharia, foi então que um homem negro de cerca de 35 anos apareceu, ela entregou a ele o saco que tinha um lanche completo, ele comeu todo o lanche e eles ficaram batendo papo por uns 15 minutos, foi então que um outro rapaz negro aparentando ter no máximo 18 anos apareceu, o homem negro pediu ao rapaz que ficasse na borracharia, nesse momento minha esposa e o negro entraram em um cortiço ao lado da borracharia, esperei do lado de fora, em 30 minutos ele saiu, mas saiu sozinho, foi então que ele fez um sinal para o rapaz, o garotão correu para o local e entrou no cortiço, o negão voltou para a borracharia, passaram-se então mais 20 minutos, e ai minha esposa e o rapaz negro sairam do cortiço, estavam sorrindo e conversando muito, ela olhou para a borracharia e acenou um tchau para o outro homem, desceu a rua e foi para casa. Foi assim que descobri tudo, minha esposa estava servindo sexualmente dois homens negros ali mesmo do bairro. Fiquei uns 30 minutos sentado refletindo sobre tudo aquilo, resolvi então discretamente ir para a borracharia, fingi querer comprar um pneu re-condicionado, bati um papo com o homem, ele disse se chamar Aguinaldo e apresentou seu ajudante, naquele momento conheci os dois amantes de minha esposa, eles logicamente nada desconfiavam, eu estava morrendo de vontade de ir ao banheiro, afinal havia ficado o dia todo de tocaia, fui ao banheiro da borracharia mesmo, quando entrei o rapaz negro também aproveitou para dar uma mijada, foi então que ele tirou para fora aquele pênis, era negro como um carvão, tinha a cabeça avermelhada e grande, de longe dava para ver as veias saltando, devia ter uns 22 a 24 centimetros, enquanto ele mijava abriu a boca e disse “cara tô co meu caralho inchadado, acabei de fuder uma puta mulher gostosa...” eu disfarcei com uma risadinha, perguntei se era alguma namorada dele, foi então que ele disse “que nada é um putinha que meu chefe anda fudendo a toda hora, quando ele termina, eu vo lá e aproveito pra dá uma foda...”, dei uma risada disfarçada e fui embora. Agora eu entendia porque Fabiana estava com a vagina avermelhada e levemente dilatada, afinal sendo penetrada por dois mastros negros, que mulher não ficaria”. Voltei para casa no horário normal, e lá estava ela, quieta com cara de inocente, naquele mesmo momento resolvi fazer a coisa mais difícil de minha vida, fui e me abri com ela sobre minhas mais intimas fantasias, especialmente sobre aquela de ser corno, ela ficou perplexa olhando para mim, ela queria saber porque eu estava falando tudo aquilo, então contei a ela que já sabia de tudo, ela negou, mas quando contei tudo que vi em detalhes ela não teve como negar e assumiu, fomos juntos para o quarto e como dois adultos que somos conversamos sobre o assunto, ela dizia não nunca mais iria lá, que tudo havia sido uma aventura, eu por sua vez procurei atenuar a situação, dizendo a ela que nada deveria mudar, se ela estava feliz eu também estava feliz. No dia seguinte voltamos a conversar sobre o assunto, ela dizia estar envergonhada, e insistia que não mais ia voltar na borracharia. Realmente ela não voltou, passaram-se quatro dias sem ela ir, foi então que eu resolvi vestir a camisa de corno definitivamente, fui até a borracharia e conversei com Aguinaldo, abri o jogo e por fim convidei ele e o ajudante dele para irem jantar em casa, aquela seria uma noite dificil, pelo menos no começo. Sentamos todos os quatro na mesa, Fabiana serviu o jantar com discrição, Aguinaldo e seu ajudante também ficaram na deles, durante o jantar conversamos sobre coisas comuns, como futebol. Ao final do jantar fomos para sala e Fabiana que praticamente não havia jantado, logo foi tomar um banho, na verdade ela estava um pouco envergonhada. Enquanto ela estava no banheiro eu pedi ao Aguinaldo que ele fosse para o banheiro enquanto ela tomava banho, ele até ficou meio sem jeito, nesse momento o ajudante dele disse “opa deixa que eu vou...” Aguinaldo disse “que isso menino, fica quieto...” , naquele momento defendi o ajudante, e pedi ao ajudante que ele fosse para o banheiro, ele nem sequer relutou levantou e foi lá, esperamos uns dez minutos e ele não voltou. Ao que tudo indicava Fabiana havia se entregado ao ajudante, ouvimos a porta do banheiro abrir e a do quarto fechar, Aguinaldo olhou para mim e começamos a conversar, começamos a falar sobre Fabiana, e de uma maneira que não consigo explicar começamos a falar com toda naturalidade sobre o fato dele e o ajudante estarem transando com ela, Aguinaldo estava mais avontade e elogiava muito Fabiana, dizia que eu era um homem de sorte por ter uma mulher tão bela, ai eu disse “ela também é boa da cama, isso você sabe bem né Aguinaldo” , ele deu uma risada e concordou. Depois de uns 15 minutos Fabiana saiu do quarto com o ajudante, ela estava em um ropão e ele só de cueca, o ajudante perguntou se havia cerveja e se dirigiu para a cozinha, ficamos nós três na sala, então eu disse “é isso aí, agora é a sua vez Aguinaldo...” , Fabiana balançou a cabeça em um sinal de aprovação, então ela disse “poxa Jonas, eu sou a mulher mais feliz do mundo...” , naquele momento meio sem jeito eu disse “Aguinaldo eu já vi o pênis do seu ajudante uma vez, o seu também é um monumento?“, Aguinaldo balançou a cabeça sinalizando um sim, Fabiana sem qualquer cerimonia botou a mão nas calças dele e puxou o pinto dele para fora, era negro como a noite, mesmo mole como estava era enorme, a cabecinha era de um marrom mais claro como um chocolate branco, Fabiana “brincava” com o pênis dele, enquanto isso ele ia ficando duro, as veias começavam a aparecer, Fabiana então pos aquele caralho na boca, o ajudante dele apareceu e começou a falar “é isso aí seu Jonas, agora você vai ver sua esposa sendo fodida por um macho de verdade....” , Aguinaldo se afastou um pouco e pediu para ir para o quarto, eles foram indo na frente, logo depois o ajudante disse “vamos lá ver seu Jonas, vamos ver a Fabiana sendo aberta ao meio....”, concordei com ele e fomos ao quarto, a cena que eu vi era fantastica, Fabiana estava de bruços e Aguinaldo a penetrava com todo vigor, ela gemia e quase chorava, era maravilhoso ver aquele caralho negro entrando e saindo de dentro dela, aquela cena durou uns 15 minutos, foi então que Aguinaldo gozou dentro dela, ele havia “enterrado” todo o mastro dentro dela, e gozou bem lá no fundo. Quando ele terminou, ficou um pouco sobre ela descansando, quando ele se levantou a vagina dela estava aberta, parecia a boca de um copo pequeno, Fabiana levantou-se e naquele momento o sêmen dele começou a escorrer pelas pernas dela, pude ver nitidamente todo aquele sêmen escorrendo da vagina chegando até a altura do joelho, ela estava até meio tonta. Naquela noite os dois dormiram lá em casa. Na manhã seguintes todos estavam de bem com a vida, Aguinaldo perguntando quando poderia voltar e tudo mais, Fabiana brincava dizendo que iria precisar fazer um controle para ser fodida por todos igualmente, com toda a naturalidade do mundo falavamos sobre aquilo, então mais seriamente combinamos que eles poderiam pousar em casa nos finais de semana, o ajudante mais afoito perguntou se não poderia vir mais vezes durante a semana também, nos aceitamos. Bom amigo essa é a minha história, hoje eu e Fabiana moramos em Guarulhos. Aguinaldo não tem vindo mais a nossa casa porque ele voltou a morar no Rio de Janeiro de onde veio, quanto ao ajudante dele, ele no momento está desempregado e mora aqui conosco, já ia me esquecendo o nome dele é Sergio. A Fabiana está grávida e acreditamos que o filho seja do Sergio(o ajudante), esse acontecimento mexeu muito com a gente mas estamos encarando com responsabilidade o fruto de nossos atos, mas sobre isso eu vou contar para vocês em uma outra história de nossas vidas. Quem quiser trocar emails conosco o nosso email é Um Big abraço.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.